O anarquismo e o saber: prática, permanência e atualidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20888/ridpher.v8i00.17504

Palavras-chave:

Anarquismo., História da Educação., Prática Anarquista.

Resumo

Este texto trata de princípios e práticas escolares anarquistas, presentes em movimentos em torno da educação em meios operários, populares, livre-pensadores difundidos em contextos sociais urbanos e rurais das sociedades contemporâneas. Essas escolas ocorreram em decorrência de convergências políticas, culturais e sociais, que imprimiram expressões significativas de práticas educacionais questionadoras de diferentes estabelecimentos da forma escolar, no decorrer de sua história. Destaca-se, dessa forma, algumas emblemáticas práticas educacionais anarquistas e seus significados na História da Educação.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Eliza dos Santos, Universidade de São Paulo, Brasil

Doutora em História da Educação pela FEUSP, pesquisadora no Centro de Memória da Educação da Faculdade de Educação da USP, no qual realiza pesquisas sobre arquivos e fontes para investigação da história da educação, com ênfase na educação libertária e nos movimentos de renovação da educação. Atualmente, é professora de História da Educação na Faculdade de Educação da USP.

Referências

FERREIRA, J. M. C. Jaime Cubero e o movimento anarquista no Brasil. Entrevista. Revista Utopia. 1997. Disponível em: https://bibliotecaanarquista.org/library/jose-m-carvalho-ferreira-jaime-cubero-e-o-movimento-anarquista-no-brasil. Acesso em: 18 dez. 2022.

GOLDMAN, E. Educação. São Paulo: Biblioteca Terra Livre, 2019.

MALATESTA, E. Solução anarquista para a questão social. São Paulo: Guilda de Estudos Socais, 1962.

MOLE, F. L’école rénovée: une revue d’éducation nouvelle entre anarchisme et syndicalisme (1908-1909). In: Histoi re du mouvement de l ’éducat ion nouvelle, Car refours de l ’éducat ion, n. 31, p. 9-22, 2011.

MOURA, M. L. Ferrer, o clero romano e a educação laica. São Paulo: Centro de Cultura Social, 2021.

MORIYÒN, F. G. A Educação Libertária. Porto Alegre: Artes Médicas, 1989.

RECLUS, É. A evolução, a revolução e o ideal anarquista. São Paulo: Imaginário, 2002.

SANTOS, L. E. A educação libertária e o extraordinário: traços de uma pedagogia (r)evolucionária. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

SILVA, D. Accioly e. A educação escolar na obra-trajeto de Maurício Tragtenberg: legitimação do poder versus autogestão pedagógica. In: BOTO, C., ed. Clássicos do pensamento pedagógico: olhares entrecruzados [online]. Uberlândia: EDUFU, p. 293-317, 2019.

SILVA, R. R. Anarquismo, ciência e educação: Francisco Ferrer y Guardia e a rede de militantes e cientistas em torno do ensino racionalista (1890-1920). Tese (Doutorado) - FEUSP, 2013.

TRAGTENBERG, M. Francisco Ferrer e a Pedagogia Libertária. Educação & Sociedade, São Paulo, n. 1, 1978.

TOLSTOI, L. La Escuela de Yásnaia Poliana. Palma de Mallorca: José J. de Olañeta Editor, 2003.

ULLMAN, Joan Connelly. La Semana Tragica: Estudio sobre las causas socioeconómicas del anticlericalismo em España (1898-1912). Barcelona: Ediciones Ariel, 1972.

Fontes documentais primárias

REVUE L’ÉCOLE RÉNOVÉE. 1º Année; n. 1, 15 avril 1908.

BOLETÍN DE LA ESCUELA MODERNA, Época II, Año I, n. 1, 1 de mayo de 1908.

Downloads

Publicado

2022-12-30

Como Citar

SANTOS, L. E. dos. O anarquismo e o saber: prática, permanência e atualidade. RIDPHE_R Revista Iberoamericana do Patrimônio Histórico-Educativo, Campinas, SP, v. 8, n. 00, p. e022029, 2022. DOI: 10.20888/ridpher.v8i00.17504. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ridphe/article/view/17504. Acesso em: 25 fev. 2024.

Edição

Seção

DOSSIÊ TEMÁTICO