Cultura maker como proposta curricular de tecnologias na política educacional da cidade de São Paulo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/tsc.v7i2.14863

Palavras-chave:

Atitude maker, Curriculo, Aprendizagem, Formação, Educação maker

Resumo

A dissertação investiga a presença de premissas da Cultura Maker em práticas publicadas por educadores da Rede Municipal de Educação de São Paulo e no documento norteador da inserção das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC) “Currículo da Cidade - Tecnologias para Aprendizagem” adotada como política educacional para uso de tecnologias (São Paulo, 2017). Trata-se de uma pesquisa de metodologia documental que utiliza como objetos de estudo os Banners apresentados no 1o Seminário e Mostra de Tecnologias “Ação promovendo a Reflexão” e o documento norteador da inserção das TDIC na proposta curricular. Para a análise documental foi realizado levantamento das premissas da Cultura Maker em literaturas que tratam deste conceito (GAVASSA, 2020). Resumo de Disseração de Mestrado apresentada ao Programa de Pós Graduação em Educação: Currículo, na linha de pesquisa de Novas Tecnologias da Pontifícia Universidade Católica – PUC/SP, São Paulo, 2020. O link para baixar a dissertação está disponível no repositório de teses e dissertações da PUC-SP, em https://tede2.pucsp.br/handle/handle/23611.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Regina Célia Fortuna Broti Gavassa, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Mestre em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atua no Núcleo de Tecnologias para a Aprendizagem na Secretaria Municipal de Educação de São Paulo/SP.

 

Referências

ALMEIDA, M. E. B. de; VALENTE, J. A. Tecnologias e currículo: trajetórias convergentes ou divergentes? São Paulo: Paulus, 2011.

BLIKSTEIN, P. Maker Movement. Switzerland: Disponível em: https://link.springer.com/referenceworkentry/10.1007%2F978-3-319-44687-5_33. Acesso em: 20 out. 2019.

BLIKSTEIN, P. Digital Fabrication and ‘Making’ in Education: The Democratization of Invention. In: WALTER-HERRMANN, J.; BÜCHING, C. (Eds.). FabLabs: Of Machines, Makers and Inventors, Bielefeld: Transcript Publishers, 2013, p. 203–221.

DEWEY, J. Experiência e educação. 2. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2011.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: Saberes Necessários à Prática Educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido, 9a. Edição, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

GAVASSA, R. C. F. B. Cultura Maker como proposta curricular de tecnologias na política educacional da cidade de São Paulo. 2020. 116 fls. Dissertação (Mestrado em Educação) Programa de Educação: Currículo, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2020. Disponível em: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/23611. Acesso em: 15 dez. 2020.

GILBERT, J. Educational Makerspaces: Disruptive, Educative or Neither? In: New Zealand Journal of Teachers’ Work, v. 14, Issue 2, p. 80-98, New Zealand, 2017. Disponível em: https://files.eric.ed.gov/fulltext/EJ1230113.pdf. Acesso em: 20 mai. 2019.

HALVERSON, E.; SHERIDAN, K. The Maker Movement in Education. In: Harvard Educational Review: December 2014, v. 84, n. 4, p. 495-504. Disponível em: http://www.her.hepg.org/content/34j1g68140382063/. Acesso em: 22 nov. 2019

HATCH, M. The Maker Movement Manifesto: Rules for Innovation in the New World of Crafters, Hackers, and Tinkerers. Estados Unidos: MC Graw Hill Education, 2014.

PAPERT, S. A máquina das crianças: repensando a escola na era da informática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

PAPERT, S. Logo: computadores e Educação. São Paulo: Brasiliense, 1985.

PIAGET, J. Epistemologia Genética. 2a ed. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

RESNICK, M.; ROSENBAUM, E. Designing for Tinkerability: Mit Media Lab, 2013. Disponível em: https://www.media.mit.edu/publications/designing-for-tinkerability. Acesso em: 15 jun. 2018.

SACRISTÁN, J. G. O currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação. Coordenadoria Pedagógica. Currículo da cidade: Ensino Fundamental: componente curricular: Tecnologias para Aprendizagem. 2.ed. São Paulo, SME / COPED, 2017.

VALENTE, J. A. Integração do pensamento computacional no currículo da educação básica: diferentes estratégias usadas e questões de formação de professores e avaliação do aluno. Revista e-Curriculum, v. 14, n. 3, 2016.

VALENTE, J. A. A Espiral da aprendizagem e as tecnologias da informação e comunicação: repensando conceitos. In: JOLY, M. C. R. A. (Org.). Tecnologia no ensino: implicações para a aprendizagem. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2002.

VALENTE, J. A. O computador na sociedade do conhecimento. Campinas: UNICAMP/NIED, 1999.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 4a ed. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

Downloads

Publicado

2020-12-15

Como Citar

GAVASSA, R. C. F. B. Cultura maker como proposta curricular de tecnologias na política educacional da cidade de São Paulo. Tecnologias, Sociedade e Conhecimento, Campinas, SP, v. 7, n. 2, p. 194–196, 2020. DOI: 10.20396/tsc.v7i2.14863. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tsc/article/view/14863. Acesso em: 20 maio. 2022.