Letramento

construindo novas práticas com o uso das TICs

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/tsc.v3i1.14474

Palavras-chave:

Letramento, Tecnologias

Resumo

Este artigo trata de um relato de experiência sobre o trabalho desenvolvido a partir da leitura do livro Felpo Filva, de Eva Furnari, em uma turma de terceiro ano do ensino fundamental de uma escola municipal de Porto Alegre. O conjunto de ações vivenciadas permitiu observar e descrever as escritas das crianças, apontando suas evoluções no que se refere aos níveis de escrita. As ações envolveram atividades de alfabetização e práticas de letramento com portadores de texto[1] evidenciados pelo livro, na sala de aula e no laboratório de informática. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, na forma de estudo de caso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lisandra Almeida da Silva, Secretaria Municipal de Educação de Porto Alegre

Mestra em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Psicopedagoga do Serviço de Apoio à Inclusão na Educação Infantil da Secretaria Municipal de Educação de Porto Alegre/RS. (SMED). 

 

Silvana Corbellini, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Pesquisadora e Professora adjunta da área de Psicologia da Educação do Departamento de Estudos Básicos da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

 

Referências

BRASIL. MEC. Pró-Letramento: Programa de Formação Continuada de Professores dos Anos/Séries Iniciais do Ensino Fundamental – Alfabetização e Linguagem. Brasília: MEC, 2007.

COSTA, I. ; MADALENA, B. Internet na sala de aula. Porto Alegre: Artmed, 2003. DICIONÁRIO MICHAELIS Michaelis. Disponível em: http://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/. Acesso em: 21 mar. 2016.

FERREIRO, E. Reflexões sobre alfabetização. Trad. Horácio Gonzales. 25. ed. atual. São Paulo: Cortez, 2000. (Coleções Questões da Nossa Época, v. 14).

FERREIRO, E. O momento atual é interessante porque põe a escola em crise. Entrevista concedida pela psicolinguística argentina Emilia Ferreiro a revista Nova Escola. Out. 2006. Disponível em: http://revistaescola.abril.com.br/lingua-portuguesa/alfabetizacao-inicial/momento-atual-423395.shtml. Acesso em: 27 out. 2014.

FERREIRO, E.; TEBEROSKY, A. Psicogênese da língua escrita. Trad. D. M. Lichtenstein, L. Di Marco e M. Corso. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999. FURNARI, E. Felpo Filva. 1. ed. São Paulo. Editora Moderna, 2006. IBGE. Censo Demográfico. 2012. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/. Acesso em: 6 out. 2014.

KLEIMAN, A. B. Modelos de letramento e as práticas de alfabetização na escola. In: KLEIMAN, A. B. (Org.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado de Letras, 1995.

MARCUSCHI, L. A. O hipertexto como um novo espaço de escrita em sala de aula. Linguagem e Ensino, v. 4, n. 1, 2001.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONISIO, A. P. et al. (Org.) Gêneros textuais & ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, p. 19-30, 2002. MOREIRA, N. da C. R. Portadores de texto: concepções da criança quanto a atributos, funções e conteúdos. In: KATO, M. A. (Org.). A concepção da escrita pela criança. São Paulo: Pontes, 2002.

PIAGET, J.; INHELDER, B. A psicologia da criança. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1986. SANTAROSA, L. M. C. (Org.). Tecnologias digitais acessíveis. Porto Alegre: JSM Comunicação Ltda., 2010.

Downloads

Publicado

20-12-2015

Como Citar

SILVA, L. A. da; CORBELLINI, S. Letramento: construindo novas práticas com o uso das TICs. Tecnologias, Sociedade e Conhecimento, Campinas, SP, v. 3, n. 1, p. 40–57, 2015. DOI: 10.20396/tsc.v3i1.14474. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tsc/article/view/14474. Acesso em: 4 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)