Ações da educação ambiental

reflexões e práticas na escola

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/tsc.v8i1.15336

Palavras-chave:

Educação ambiental, Robótica pedagógica, Interdisciplinalidade, Educação maker, STEAM

Resumo

Este artigo descreve algumas ações de Educação Ambiental (EA) em escolas de Curitiba- PR. O objetivo foi ampliar conhecimentos sobre a temática de gestão de resíduos. As atividades justificam-se pelo fato de induzir dinâmicas metodológicas de coletividade no território escolar em busca de soluções criativas, na resolução de problemas. As atividades envolveram estudantes do 6° ao 9° ano do Ensino Fundamental, professores/as e funcionários/as. A metodologia descreve aspectos da natureza qualitativa e de observação participante, com traços da educação maker em uma abordagem STEAM. Os resultados revelaram participações mais ativas de todos os atores, em busca de possíveis caminhos para minimizar o impacto dos resíduos no ambiente escolar.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcia Regina Rodrigues da Silva Zago, Secretaria do Estado da Educação do Paraná

Doutora pelo Programa de Pós Graduação em Tecnologia e Sociedade(PPGTE) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Professora ensino fundamental da Secretaria do Estado da Educação do Paraná.

 

Ana Claudia Nüernberg Vaz , Faculdade Anchieta de Ensino Superior do Paraná

Mestre em Ciência e Tecnologia Ambiental pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Professora universitária no curso de Engenharia ambiental na Faculdade Anchieta de Ensino Superior do Paraná.

Marcia Aparecida Linartevis da Cruz, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Mestranda do Programa de Pós Graduação em Ciência, Tecnologia e Sociedade e Meio Ambiente da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Welson Luiz Pereira, Secretaria Municipal de Educação do Município de Curitiba

Mestre em História pela Universidade Federal do Paraná. Professor de História do Ensino Fundamental 2 pela Secretaria Municipal de Educação do Município de Curitiba.

Lígia Marcelino Krelling, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Doutoranda do Programa de Pós Graduação em Tecnologia e Sociedade (PPGTE) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Referências

ABRELPE, Panorama dos resíduos sólidos no Brasil. Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, São Paulo, 2021.

ALBAGLI, S. Território e Territorialidade. In: LAGES, V.; BRAGA, C.; MORELLI, G. (Org.). Territórios em movimento: cultura e identidade como estratégia de inserção competitiva. Rio de Janeiro: Relumes Domará. Brasília, DF: SEBRAE, 2004.

ANDERSON, C. Makers: A Nova Revolução Industrial. Rio de Janeiro, Elsevier, 2012.

BLIKSTEIN, P. Digital Fabrication and ‘Making’ in Education: The Democratization of Invention. In: WALTER-HERRMANN, J.; BÜCHING, C. (Eds.) FabLabs: Of Machines, Makers and Inventors. Publisher: Transcript Publishers, Stanford. Stanford University, 2016.

BOFF, L. As Quatro Ecologias: Ambiental, Política e Social, Mental e Integral. Rio de Janeiro: Mar de Ideias, 2012.

BRANCO, S. Educação Ambiental: Metodologia e prática de ensino. Rio de Janeiro: Dunya, 2003.

BRASIL. Plano Nacional de Resíduos Sólidos. Governo Federal. Ministério do Meio Ambiente. 2012. Disponível em: https://sinir.gov.br/images/sinir/Arquivos_diversos_do_portal/PNRS_Revisao_Decreto_280812.pdf. Acesso em: 28 mar 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Alimentação e Nutrição. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Básica. 1. ed., 1. reimpr. – Brasília: Ministério da Saúde, 2013. 84 p.

BRASIL. “Decreto n.7.272 de 23 de agosto de 2010 regulamenta a Lei n°11.346 que cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional“. Diário oficial da União, Brasília, 2010.

CARVALHO, R. M. A. de. Tecnologias da informação e da comunicação e a escola pública: Relato de uma experiência. 2001. 141 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2001.

CURITIBA. Diretrizes Curriculares para a Educação Municipal de Curitiba. Secretaria Municipal da Educação. Curitiba: SME, 2006.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A.; PERNAMBUCO, M. M. Ensino de Ciências: fundamentos e métodos. Colaboração Antônio Fernando Gouvêa da Silva. São Paulo: Cortez, 2009.

DEMO, P. Desafios modernos da educação. 11. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001.

DICIONÁRIO INTERATIVO DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA. 2004 Agência Educa Brasil. Disponível em: www.educabrasil.com.br/eb/dic/dicionario.asp? Acesso em: 20 jul. 2021.

DOUGHERTY, Dale. Free To Make: How The Maker Movement is Changing our Schools, our Jobs, and our Minds. California, North Atlantic Books, 2016. Disponível em: https://llk.media.mit.edu/courses/readings/Maker-mindset.pdf. Acesso em: 20 de jun de 2021.

FEINSTEIN, N. W.; KIRCHGASLER, K. L. Sustainability in Science Education? How the Next Generation Science Standards Approach Sustainability, and Why It Matters. In: Science Education, v. 99, n. 1, p. 121–144, 2015.

FREIRE, P. Educação e mudança. Tradução de Moacir Gadotti e Lilian Lopes Martin. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

FREIRE, P. Pedagogia da Indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: Editora UNESP, 2000.

LOUREIRO, C. F. B. Educação ambiental e movimentos sociais na construção da cidadania planetária. In: LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P.; CASTRO, R. S. de (Org.). Educação Ambiental: repensando o espaço da cidadania. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P. Ecologia política, justiça e educação ambiental crítica: perspectivas de aliança contra-hegemônica. RevistaTrab. Educ. Saúde, Rio de Janeiro, v. 11 n. 1, p. 53-71, jan./abr. 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/tes/v11n1/a04v11n1.pdf. Acesso em: 17 julh. 2021.

LOURENÇO, N.M.G. Manual de Vermicompostagem. FUTURAMB. 1.ª Edição. Lisboa -Portugal. 2014.

LOURENÇO, N.M.G; COELHO, S.I.D. Vermicompostagem nas escolas: manual prático do professor.1. ed. Lisboa: Sítio do Livro, 2012.

MIRANDA, et al. RoboFácil: Especificação e Implementação de um Kit de Robótica para a Realidade Educacional Brasileira. Revista Brasileira de Informática na Educação, v. 18, n. 3, 2010.

OENNING, A. S.; CARDOSO, M. Á.; DAL PONT, C. B.; LIMA, B. B.; VALVASSORI, M. L. Estudo de composição gravimétrica dos resíduos sólidos urbanos do município de Criciúma. Revista de Iniciação Científica, v. 10, n. 1, 2014.

PLUGLIESE, G.O. Os modelos pedagógicos de ensino de ciências em dois programas educacionais baseados em STEM (Science, Techonology, Engineering and Mathematics). Orientadora: Profa. Dra. Vera Nisaka Solferini.2017. 135fls.Dissertação(Mestrado em Genética e Biologia Molecular, na Área de Genética Animal e Evolução) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2017.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações- 2. ed. - São Paulo: Cortez: autores associados, 1991. -(coleção Polêmicas do nosso tempo; v.40).

SEGURA, D. de S. B. Educação Ambiental na escola pública: da curiosidade ingênua à consciência crítica São Paulo Annablume: Fapesp, 2001. 214p.

SMYTH, D. P.; FREDEEN, A. L.; BOOTH, A. L. Reducing solid waste in higher education: The first step towards „greening‟a university campus. Resources, Conservation and Recycling, v. 54, n. 11, p. 1007-1016, 2010.

SONG, Q; LI, J.; ZENG, X. Minimizing the increasing solid waste through zero waste strategy. Journal of Cleaner Production, v. 104, p. 199-210, 2015.

SOSTER, T. Revelando as essências da Educação Maker: percepções das teorias e das práticas. 2018. 172 fls. Tese (Doutorado em Educação). Programa Educação: Currículo. PUC-SP. São Paulo, 2018.

TRIVELATO, S. F.; SILVA, R. L. F. Ensino de Ciências. São Paulo: Cengage Learning. 2011 (Coleção Ideias em Ação).

UNESCO. Década da Educação das Nações Unidas para um Desenvolvimento Sustentável, 2005-2014: documento final do esquema internacional de implementação, Brasília, Brasil, 2005. 120 p.

VAZ, A. C. N. et al. Avaliação de dois modelos de vermicompostagem para gerenciamento de resíduos orgânicos crus e aplicação como tema de educação ambiental no ensino formal. 2017. Dissertação (Mestrado). Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Disponível em: http://riut.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/2554/1/CT_PPGCTA_M_Vaz%2C%20Ana%20Claudia%20N%C3%BCernberg_2017.pdf. Acesso em: 21 mai. 2021.

Downloads

Publicado

2021-08-09

Como Citar

ZAGO, M. R. R. da S. .; VAZ , A. C. . N. .; CRUZ, M. A. L. da; PEREIRA, W. L.; KRELLING, L. M. Ações da educação ambiental: reflexões e práticas na escola. Tecnologias, Sociedade e Conhecimento, Campinas, SP, v. 8, n. 1, p. 30–54, 2021. DOI: 10.20396/tsc.v8i1.15336. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tsc/article/view/15336. Acesso em: 16 maio. 2022.