Banner Portal
Articulações entre práticas de educação ambiental, robótica e cultura maker no contexto das aulas de laboratório de ciências
Capa miniatura volume 7, número 2, ano 2020, contendo uma imagem de um fractal, o tema deste número (Educação Maker e Robótica Pedagógica)
PDF

Palavras-chave

Horta escolar
Educação maker
Robótica educativa
Robótica pedagógica
Ensino de ciências
Educação ambiental

Como Citar

MACHADO, A. A.; ZAGO, M. R. R. da S. Articulações entre práticas de educação ambiental, robótica e cultura maker no contexto das aulas de laboratório de ciências. Tecnologias, Sociedade e Conhecimento, Campinas, SP, v. 7, n. 2, p. 143–168, 2020. DOI: 10.20396/tsc.v7i2.14869. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tsc/article/view/14869. Acesso em: 28 fev. 2024.

Resumo

O artigo descreve uma prática interdisciplinar desenvolvida em uma escola municipal de Ensino Fundamental 2 em Curitiba, que consistiu na articulação entre os saberes científicos desenvolvidos no componente curricular de Ciências e os saberes populares relacionados a hortas urbanas, costurados pela Robótica e pelo viés maker, realizando o reaproveitamento de materiais em uma abordagem STEAM. A metodologia é de natureza qualitativa, exploratória, com observação e pesquisa participante. Os resultados revelaram estudantes estimulados a refletir sobre as práticas alimentares, os cuidados com o ambiente, o consumo consciente e o reaproveitamento de materiais. Concluiu-se que as práticas interdisciplinares conduzidas de maneira lúdica e mão na massa, envolvendo tecnologias como a Robótica, contribuem positivamente para uma postura mais crítica e ativa dos estudantes.

https://doi.org/10.20396/tsc.v7i2.14869
PDF

Referências

AZEVEDO, E. Alimentos orgânicos: ampliando os conceitos de saúde, humana, ambiental e social. São Paulo: Editora Senac. 2012.

AZEVEDO, L. S. Cultura maker: uma nova possibilidade no processo de ensino eaprendizagem.2019, 100 p.Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós Graduação em Inovação em Tecnologias Educacionais, Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Instituto Metrópole Digital. Natal, 2019. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/28456/1/Culturamakernova_Azevedo_2019.pdf. Acesso em:27 jul. 2020.

BAUDRILLARD, J. A sociedade de consumo. Portugal: edições 70. Simulacros e simulação. Portugal: Relógio D’Água, 2008.

BOURSCHEID, J. L. W.; FARIAS, M. E.A convergência da educação ambiental, sustentabilidade, ciência, tecnologia e sociedade (CTS) e ambiente (CTSA) no ensino de ciências. Revista Thema, v. 11, n. 1, p. 24-36, 2014.

BAZZO, W.A. Ciência, Tecnologia e Sociedade e o contexto da educação tecnológica. 3. ed. Florianópolis: UFSC, 2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/abase/. Acesso em: 20 mar. 2020.

BRASIL. Lei 9795/1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. 1999. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htmAcesso em:27 jul. 2020.

CABEZA E. U. R; ROSSI, D.; MARCHI, V. Sagui Lab: Cultura Maker na sala de aula. Disponível em: https://www.academia.edu/28181007/Sagui_Lab_Cultura_Maker_na_sala_de_aula. Acesso em:27 jul. 2020.

CABEZA, E. U. R.; STEFANIN, T.; ROSSI, D.; ANDRADE, A. B. P.A cultura maker como democratização tecnológica no meio rural.Ciência Alimentando o Brasil, v. 143, p. 660-672. 2016. Disponível em: https://www.agbbauru.org.br/publicacoes/Alimentando2ed/pdf/Alimentando2ed-17-SNCT2016.pdf. Acesso em 27 jul. 2020.

CORREA, L. F.; BAZZO, W. A. Contribuições da Abordagem Ciência, Tecnologia e Sociedade para a Humanização do Trabalho Docente. Revista Contexto & Educação, v. 32, n. 102, p. 57-80, 2017.

CURITIBA. Secretaria Municipal da Educação de Curitiba. Subsídios para a Organização das práticas educativas em oficinas nas unidades escolares com oferta de educação em tempo integral. Curitiba: Secretaria Municipal da Educação, 2016a.

CURITIBA. 1º Plano Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional de Curitiba –PLAMSAN-CURITIBA. 2016b. Disponível em: https://mid.curitiba.pr.gov.br/2017/00188887.pdf. Acesso em:02 ago. 2020.

CURITIBA. Prefeitura Municipal. Currículo do Ensino Fundamental. Secretaria Municipal da Educação. Curitiba: SME, 2016c.

CURITIBA. Diretrizes Curriculares para a Educação Municipal de Curitiba. Secretaria Municipal da Educação. Curitiba: SME, 2006.

DEMO, P.. Educação científica. Revista Brasileira de Iniciação Científica, v. 1, n. 1, maio 2014, p. 1-19.

DEMO, P. Desafios modernos da educação. 11. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001.

FEENBERG, A. Questioning Technology. Londres: Routledge, 1999.

FERNANDES, I. M. B.; PIRES, D. M.; IGLESIAS-D. J. Perspectiva Ciência, Tecnologia, Sociedade, Ambiente (CTSA) nos manuais escolares portugueses de Ciências Naturais do 6º ano de escolaridade. Bauru, Revista Cienc. Educ., v.24. n. 4, 2018, p. 875-890.

GONÇALVES, C. W. P. (Org.). O desafio ambiental. 3ª ed. Rio de Janeiro: Record, 2012.

HOLANDA, L.; BACICH, L. A aprendizagem baseada em projetos e a aprendizagem STEAM. in: HOLANDA, L.; BACICH, L. (Orgs.). STEAM em sala de aula: a aprendizagem baseada em projetos integrando conhecimentos na educação básica. Porto Alegre: Penso, 2020.

LOURENÇO, N.; COELHO, I. Vermicompostagem nas escolas: manual prático do professor.1a.ed. Lisboa: Sítio do Livro, 2012.

MELO, F. C. et al. Quais são as vozes do currículo oculto? Evidência, Araxá, v. 12, n. 12, p. 195-203, 2016.

MENEZES, E.T. de; SANTOS, T.H. dos. Robótica Educacional. Educabrasil. São Paulo: Midiamix, 2015. Disponível em: https://www.educabrasil.com.br/robotica-educacional/. Acesso em: 15 de set. 2020.

MONK, S. Programação com Arduino. Porto Alegre: Bookman, 2013.

MORAN, J. Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda.Educatrix. Dossiê currículo. Ano 7, n. 12. São Paulo: Moderna, 2013. Disponível em: http://www2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2013/12/metodologias_moran1.pdf. Acesso em:27 jul. 2020.

ONU. Organização Das Nações Unidas. Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. 2015. Disponível em: https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030/. Acesso em: 02 ago. 2020.

PAPERT, S. A máquina das crianças: repensando a escola na era da Informática. Porto Alegre: Artmed, 2008.

PARK, N.; KO, Y. Computer Education's Teaching-Learning Methods Using Educational Programming Language Based on STEAM Education. In: PARK, J. J. et al. (Eds.): NPC 2012, LNCS 7513. p. 320–327, 2012. Disponível em: https://link.springer.com/content/pdf/10.1007%2F978-3-642-35606-3_38.pdf. Acesso em:02 ago. 2020.

PIRES, M. P. O STEAM e as atividades experimentais investigativas. In:HOLANDA, L.; BACICH, L. (Orgs.). STEAM em sala de aula: a aprendizagem baseada em projetos integrando conhecimentos na educação básica. Porto Alegre: Penso, 2020.

RAABE, A.; GOMES, E. B. Maker: uma nova abordagem para tecnologia na educação. Revista Tecnologias na Educação, v. 26, n. 26, p. 6-20, 2018. Disponível em: http://tecedu.pro.br/wp-content/uploads/2018/09/Art1-vol.26-EdicaoTematicaVIII-Setembro2018.pdf. Acesso:em 27 jul. 2020.

RODRIGUES, A. P. S.; ZAGO, M. R. R. S.; OLIVEIRA, N. G. N.; LIMA, L.; CASAGRANDE JUNIOR, E. F.; SILVA, M. C.; HULLER, A. Movimentos a Favor da Agricultura Urbana em Curitiba -Paraná e a Constituição de Práticas de Ensino Ambientais/Educativas. Educação Ambiental em Ação, v. 64, s/p, 2018.

SACRISTÁN, J. G. O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3. ed. Porto Alegre: ArtesMédicas, 1998.

SACRISTÁN, J. G. O que significa currículo? in: SACRISTÁN, J. G. (Org.). Saberes e incertezas sobre o currículo. Porto Alegre: Penso. 2013.

SANTOS, W. L. P. Contextualização no ensino de ciências por meio de temas CTS em uma perspectiva crítica. Ciência & Ensino. 2007. Disponível em: http://files.gpecea-usp.webnode.com.br/200000358-0e00c0e7d9/AULA%206-%20TEXTO%2014-%20CONTEXTUALIZACAO%20NO%20ENSINO%20DE%20CIENCIAS%20POR%20MEI.pdf. Acesso em:17 set. 2020.

SCHONS, C.et al. A Robótica Educativa na Instituição Escolar para alunos do Ensino Fundamental da disciplina de Língua Espanhola através das Novas Tecnologias de Aprendizagem. I WORKSHOP DE COMPUTAÇÃO DA REGIÃO SUL. In:Anais [...]. 2004.

SETUBAL, M. A. Educação e sustentabilidade: princípios e valores para a formação de educadores. São Paulo: Petrópolis, 2015. 192p.

STELLA, A. L. et. al. BNCC e a cultura maker: uma aproximação na área da matemática para o ensino fundamental. Campinas. Revista InovaEduc.n. 4, ago. 2018. Disponível em: https://www.lantec.fe.unicamp.br/pf-lantec/n4.art6_.pdf. Acesso em 27 jul. 2020.

TRISTÃO, M.A Educação Ambiental na formação de professores: rede de saberes. São Paulo: Annablume; Vitória: Facitec, 2004. 236p.

VALENTE, J. A. Informática na educação no Brasil análise e contextualização histórica. In: VALENTE, J. A. (Org.). O computador na sociedade do conhecimento. Campinas: Unicamp/NIED, 1998. p 1-28.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 Tecnologias, Sociedade e Conhecimento

Downloads

Não há dados estatísticos.