Educação maker

muito mais que papel e cola

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/tsc.v7i2.14851

Palavras-chave:

Atitude maker, Experiência, Compartilhamento, Construcionismo, Educação maker

Resumo

Entusiastas em transformar a paisagem educacional e as aprendizagens atualmente vislumbram na Educação Maker a possibilidade de experiências e aprendizagens de interesse dos estudantes favorecendo o protagonismo.  O aprender fazendo sempre esteve presente na educação, mas, entender como se configura o fazer maker e como se deu essa relação entre o Movimento Maker e a educação em um contexto digital contemporâneo se faz essencial para a implantação de uma Educação Maker que não se trata de construir coisas com as próprias mãos usando materiais como papel e cola e sim de pessoas e suas atitudes, suas experiências contextuais e sociais em comunidades.  

Confira a participação da autora em live no YouTube, por ocasião do lançamento desta edição temática da TSC: https://www.youtube.com/watch?v=1b0hieNTodQ

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Regina Célia Fortuna Broti Gavassa, Secretaria Municipal de Educação de São Paulo

Mestre em Educação pela Pontifícia Universidade Católica PUC-SP. Atua no Núcleo de Tecnologias para a Aprendizagem na Secretaria Municipal de Educação de São Paulo/SP.

 

Referências

ALMEIDA, M. E. B.; RODRIGUES, A. Narrativas Digitais, Cultura Maker e Pensamento Computacional: reflexões sobre as possibilidades de articulação e aplicação em contextos educacionais. In: CAMPOS, F. R.; BLISKEIN, P. (Orgs.) Inovações Radicais na Educação Brasileira. Porto Alegre: Penso, 2019.

ALMEIDA, M. E. B.; VALENTE, J. A. Tecnologias e currículo: trajetórias convergentes ou divergentes? São Paulo: Paulus, 2011.

ANDERSON, C. Makers: A Nova Revolução Industrial. Tradução: Afonso Celso da Cunha Serra, Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

BEVAN, B. The promise and the promises of Making in science education. In: Studies in Science Education, v. 53, n.1, p. 75-103, 2017. Disponível em: https://www.ecsite.eu/sites/default/files/bevan_making_sse-min.pdf Acesso em: 06 abr. 2020

BLIKSTEIN, P. Digital Fabrication and ‘Making’ in Education: The Democratization of Invention. In: WALTER-HERRMANN, J.; BÜCHING, C. (Eds) FabLabs: Of Machines, Makers and Inventors. Publisher: Transcript Publishers, Stanford: Stanford University, 2013.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Educação Infantil e Ensino Fundamental. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2017.

DEWEY, J. Experiência e educação. 2. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2011.

DOUGHERTY, D. The Maker Mindset, MIT, 2016. Disponível em: https://llk.media.mit.edu/courses/readings/Maker-mindset.pdf. Acesso em: 01 set. 2019.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2004.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: Saberes Necessários à Prática Educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

FREIRE, P. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. 4. ed., São Paulo: Editora Unesp, 2000.

FREINET, C., Educação pelo trabalho. São Paulo: Martins Fontes,1998.

GAVASSA, R. C. F. B. Cultura Maker como proposta curricular de tecnologias na política educacional da cidade de São Paulo. 2020, 116fls, Dissertação (Mestrado em Educação: Currículo) Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2020.

GILBERT, J. Educational Makerspaces: Disruptive, Educative or Neither? In: New Zealand Journal of Teachers’ Work, v. 14, Issue 2, p. 80-98, New Zealand, 2017. Disponível em: https://files.eric.ed.gov/fulltext/EJ1230113.pdf. Acesso em: 20 mai. 2019

HALVERSON, E.; SHERIDAN, K. The Maker Movement in Education. In: Harvard Educational Review, v. 84, n. 4, p. 495-504. December 2014. Disponível em: her.hepg.org/content/34j1g68140382063/. Acesso em: 22 nov. 2019.

HATCH, M. The Maker Movement Manifesto: Rules for Innovation in the New World of Crafters, Hackers, and Tinkerers. Estados Unidos: MC Graw Hill Education, 2014.

MARTINEZ, S. L.; STAGER, G. Invent to Learn: Making, Thinkering and Engineering in the Classroom. Torrance: CA: Constructing Modern Knowledge Press, 2013.

MONTESSORI, M. Spontaneous activity in education. Nova York: Schocken Books, 1965. PAPERT, S. A máquina das crianças: repensando a escola na era da informática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

PAPERT, S. Logo: computadores e Educação. São Paulo: Brasiliense, 1985. PIAGET, J. Epistemologia Genética. 2a ed. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

PIAGET, J. To understand is to invent: The future of education. 1973. New York: Grossman Publishers. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000006133. Acesso em: 17 nov. 2019.

RESNICK, M. Lifelong Kindergarten: Cultivating Creativity through Projects, Passion, Peers, and Play. Cambridge, MA: MIT Press, 2017.

RESNICK, M., ROSENBAUM, E. Designing for Tinkerability: Mit Media Lab, 2013. Disponível em: https://www.media.mit.edu/publications/designing-for-tinkerability. Acesso em: 15 jun. 2018.

RYOO, J. J.; BARTON, A. C. Equity in STEM-rich Making: Pedagogies and Designs. Equity & Excellence in Education, v. 51, no 1, p. 3-6, 2018. Disponível em: DOI: 10.1080/10665684.2018.1436996. Acesso em: 9 abr. 2020.

SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação. Coordenadoria Pedagógica. Currículo da Cidade: Ensino Fundamental: componente curricular: Tecnologias para Aprendizagem. 2.ed. São Paulo, SME / COPED, 2017.

SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação (SME). Projeto Gênese: a informática chega ao aluno da escola pública municipal, São Paulo, 1992.

VALENTE, J. A. Movimento Maker: Onde Está o Currículo? In: V Seminário Web Currículo: educação e cultura digital. São Paulo: PUC-SP, 2017. Disponível em: http://www4.pucsp.br/webcurriculo/downloads/Anais_VWebC_V60.pdf. Acesso em: 22 nov. 2019.

VALENTE, J. A. Inovação nos processos de ensino e de aprendizagem: o papel das tecnologias digitais. In: VALENTE, J. A.; FREIRE, F. M. P.; ARANTES, F. L. (Org). Tecnologia e educação: passado, presente e o que está por vir. Campinas, SP: NIED/UNICAMP, 2018. 406 p. Disponível em: https://www.nied.unicamp.br/wp- content/uploads/2018/11/Livro-NIED-2018-final.pdf. Acesso em: 22 nov. 2019.

VALENTE, J. A. A espiral da espiral de aprendizagem: o processo de compreensão do papel das tecnologias de informação e comunicação na educação. 2005. Tese (Livre- Docência) – Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, São Paulo, Brasil. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000857072&opt=4. Acesso em: 9 abr. 2020.

VALENTE, J. A. A Espiral da aprendizagem e as tecnologias da informação e comunicação: repensando conceitos. In: JOLY, M. C. R. A. (Org.). Tecnologia no ensino: implicações para a aprendizagem. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2002.

VALENTE, J. A., BLIKSTEIN, P. The Construction of Knowledge in Maker Education: A Constructivist Perspective. USA Abstract: Constructivism Foundation, 2019. Disponível em: https://constructivist.info/14/3/252.valente.pdf Acesso em: 20 out. 2019.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 4a ed. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

Downloads

Publicado

2020-12-15

Como Citar

GAVASSA, R. C. F. B. Educação maker: muito mais que papel e cola. Tecnologias, Sociedade e Conhecimento, Campinas, SP, v. 7, n. 2, p. 33–48, 2020. DOI: 10.20396/tsc.v7i2.14851. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tsc/article/view/14851. Acesso em: 17 jan. 2022.