Banner Portal
Pensamento computacional desplugado
Capa miniatura volume 7, número 1, ano 2020
PDF

Palavras-chave

Pensamento computacional desplugado
Aprendizagem criativa
Material concreto

Como Citar

BORGES, Karen Selbach; NORONHA, Fabricia Py Tortelli; BACKES, Luciana. Pensamento computacional desplugado: análise da experiência com o projeto Pipe. Tecnologias, Sociedade e Conhecimento, Campinas, SP, v. 7, n. 1, p. 141–155, 2020. DOI: 10.20396/tsc.v7i1.14705. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tsc/article/view/14705. Acesso em: 28 maio. 2024.

Resumo

Este artigo analisa uma experiência de desenvolvimento do pensamento computacional desplugado (PCD) com o Projeto Pipe à luz da Epistemologia Genética de Jean Piaget. Inspirado em blocos de montar, o Pipe tem como objetivo desenvolver as habilidades cognitivas dos estudantes, potencializando o pensamentocríticonaresoluçãodeproblemas. Osdados foram obtidos por meio de diálogos estabelecidos nas relações de aprendizagens, de algoritmos criados a partir da atividade proposta e de registros fotográficos. Evidenciamos a eficácia do uso do material concreto no processo de aprendizagem, a importância do lúdico como um elemento mediador entre o prazer e a aprendizagem e o desenvolvimento das habilidades do pensamento computacional em situações de resolução de problemas,  gerando novos sentidos para o conhecimento.

https://doi.org/10.20396/tsc.v7i1.14705
PDF

Referências

ANDRADE, D. et al. Proposta de Atividades Para o Desenvolvimento do Pensamento Computacional no Ensino Fundamental. In: XIX Workshop de Informática Na Escola - II Congresso Brasileiro de Informática Na Educação, 2013. Anais... p. 169 – 178. Disponível em: http://www.br-ie.org/pub/index.php/wie/article/view/2645/2299. Acesso em: 10 mai. 2019.

AURÉLIO. Qual o significado de computação? Disponível em: https://dicionariodoaurelio.com/computacao. Acesso em: abr. 2019.

BECKER, F. Educação e construção do conhecimento. 2a. ed. ed. Porto Alegre: Penso, 2012a.

BECKER, F. Epistemologia Genética: perspectivas e temores. Revista de Psicologia da UNESP, 2012b, p. 81-98. Disponível em: http://seer.assis.unesp.br/index.php/psicologia/article/view/617/570. Acesso em: fev. 2020.

BECKER, F. Abstração Pseudoempírica: significado epistemológico e educacional. Schéme. v.6, n. especial, nov. 2014. p. 104 – 128. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/126295/000970474.pdf. Acesso em: jul. 2019.

BELL, T.; ALEXANDER, J.; FREEMAN, I.; GRIMLEY, M. Computer science without computers: new outreach methods from old tricks. In Proceedings of The 21st Annual Conference of The National Advisory Committee On Computing Qualifications Conference, Auckland, New Zealand. 2008. Anais... p.127 – 133. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/185e/07c6891b6c739b6027aa3e2817cd4e6a7f8b.pdf. Acesso em: jul. 2019.

BRACKMANN, C. P. Desenvolvimento do Pensamento Computacional através de Atividades Desplugadas na Educação Básica. 2017. Tese (Doutorado em Informática na Educação). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 2017

BORGES, K. S.; MENEZES, C. S.; FAGUNDES, L. C. Projetos Maker Como Forma de Estimular o Raciocínio Formal Através do Pensamento Computacional. In: XXII Workshop de Informática na Escola - V Congresso Brasileiro de Informática na Educação, Uberlândia, 2016. Anais... p. 515-524. Disponível em http://www.br-ie.org/pub/index.php/wie/article/view/6858. Acesso em: jul.2019.

PAPERT, S. Mindstorms: children, computers and powerful ideas. New York: Basic Books, 1980.

PIAGET, J. A equilibração das estruturas cognitivas: problema central do desenvolvimento. Rio de Janeiro: Zahar, 1976.

PIAGET, J. O desenvolvimento do pensamento: equilibração das estruturas cognitivas. Lisboa: Dom Quixote, 1977a.

PIAGET, J. A tomada de consciência. São Paulo: Melhoramentos, 1977b.

PIAGET, J. Abstração reflexionante: relações lógico-aritméticas e ordem das relações espaciais. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995. «PIAGET, J. Biologia e Conhecimento: ensaio sobre as relações entre as regulações orgânicas e os processos cognoscitivos. Petrópolis, RJ: Vozes, 1996.

PIAGET, J. Criatividade. In: VASCONCELOS, M. S.(org). Criatividade: psicologia, educação e conhecimento do novo. São Paulo: Moderna, 2001. p. 11-20.

PRIBERAM, Dicionário da Língua Portuguesa. "computação", 2008-2013. Disponível em: https://dicionario.priberam.org/computa%C3%A7%C3%A3o. Acesso em: mar. 2019.

RESNICK, M. Give P’s a Chance: Projects, Peers, Passion, Play. In: CONSTRUCTIONISM AND CREATIVITY. Vienna, Austria. 2014. Anais... Disponível em http://constructionism2014.ifs.tuwien.ac.at/papers/1.2_1-8527.pdf. Acesso em: jul.2019.

RESNICK, M. Lifelong Kindergarten: Cultivating Creativity through Projects, Passion, Peers, and Play. Capítulo 1. MIT Press, 2017. Disponível em: https://learn.media.mit.edu/lcl/resources/readings/chapter1-excerpt.pt.pdf?pdf=ch1-pt. Acesso em: ago. 2019.

WING, J. M. Computational Thinking. Communications of the ACM, v. 49, n.3, mar. 2006, p. 33–35. Disponível em: http://www.cs.cmu.edu/~CompThink/papers/Wing06.pdf. Acesso em: mar. 2019.

WING, J. M. Research Notebook: Computational Thinking--What and Why?. theLink - The magazine of the Carnegie Mellon University School of Computer Science, 2011. Disponível em: http://people.cs.vt.edu/~kafura/CS6604/Papers/CT-What-And-Why.pdf. Acesso em: mar.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 Karen Selbach Borges, Fabricia Py Tortelli Noronha, Luciana Backes

Downloads

Não há dados estatísticos.