Vídeos experimentais

uma alternativa para o déficit de laboratórios para o ensino de química em escolas públicas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/tsc.v6i1.14631

Palavras-chave:

Vídeos experimentais, Laboratórios de química, Recursos midiáticos, Ensino teórico-prático, Química

Resumo

Devido ao fato do ensino público no Brasil ser bastante deficiente no que diz respeito aos laboratórios de Química, foi pensada uma alternativa de ensino para que houvesse uma diminuição dessa lacuna. A partir disso, o trabalho aqui relatado foi desenvolvido numa perspectiva tecnológica e social visando à contribuição de novos meios facilitadores da compreensão de conceitos químicos, tendo em vista que são definidos como de grande complexidade pelos discentes. A experiência foi realizada no Centro de Ensino de Período Integral Ary Ribeiro Valadão Filho no município de Inhumas e o desenvolvimento da pesquisa foi selecionada uma turma de 1º ano do ensino médio com 17 alunos. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabrielle Cristine Ferreira da Silva Rocha, Instituto Federal de Goiás

Licenciada em Química pelo Instituto Federal de Goiás, Câmpus Inhumas.

 

Brunielly Miguel Martins, Instituto Federal de Goiás

Técnica em Química pelo Instituto Federal de Goiás - Câmpus Inhumas. Licencianda do curso de Licenciatura em Química do Instituto Federal de Goiás - Câmpus Inhumas.

 

Renata Luiza da Costa, Instituto Federal de Goiás

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás com doutorado-sanduíche (Programa PDSE/CAPES) na Universidade de Sherbrooke no Canadá. Professora do departamento de informática no Instituto Federal de Goiás, Câmpus Inhumas.

 

Referências

BARBOSA, A. F. (Org.). Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nas escolas brasileiras: TIC Educação 2013. 2014. Disponível em: http://www.cetic.br/media/docs/publicacoes/2/TIC_DOM_EMP_2013_livro_eletronico.pdf. Acesso em: 01 jun. 2019.

BELLONI, M.; SUBTIL, M. Dos audiovisuais à multimídia: análise histórica das diferentes dimensões de uso dos audiovisuais na escola. In: BELLONI, M. (Org.) A formação na sociedade do espetáculo. São Paulo: Loyola, 2002. p. 42-73.

BELUSSO, R.; PERUCHIN, D. Modificações no processo de aprendizagem com a inserção de tecnologias digitais na educação. Tear: Revista de Educação Ciência e Tecnologia, v.7, n.1, 2018.

BRASIL. Assembleia Nacional Constituinte. Constituição da República Federativa do Brasil. Atualizada até Emenda Constitucional nº 38, de 12/06/02. Brasília: Diário Oficial da União de 05 jan. 1988.

BRASIL. Documento base nacional preparatório à VI CONFINTEA. Brasília. MEC, 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/documento_final.pdf. Acesso em: 22 jul. 2019.

CHASSOT, A. Para que(m) é útil o ensino?. 4ª ed. Editora Unijuí, 2018. 200 p. (Coleção educação em química).

ECHALAR, A. D. L. F.; PEIXOTO, J. Programa Um Computador por Aluno: o acesso às tecnologias digitais como estratégia para a redução das desigualdades sociais. Ensaio: Aval. Pol. Públ. Educ., v. 25, n. 95, abr./jun. 2017.

FILIPPO, D.; ROQUE, G.; PEDROSA, S. Pesquisa-ação: possibilidades para informática educativa. In: Metodologia de pesquisa em Informática na Educação. Vol. 3. 2019. No prelo. Disponível em: https://metodologia.ceie-br.org/wp-content/uploads/2018/10/livro3_cap2_Pesquisaacao_respostas.pdf. Acesso em: 08 dez. 2018.

GUIMARÃES, C. C. Experimentação no ensino de química: caminhos e descaminhos rumo à aprendizagem significativa. Química Nova na Escola, v. 31, n. 3, p. 198-202. 2009.

IOSIF, R.M. G. A Qualidade da Educação na escola pública e o comprometimento da cidadania global emancipada: implicações para a situação de pobreza e desigualdade no Brasil. 2007. Tese (doutorado) - Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Humanas, Departamento de Serviço Social, Programa de Pós-Graduação em Política Social, 2007.

KENSKI, V. M. Novas tecnologias: o redimensionamento do espaço e do tempo e os impactos no trabalho docente. Revista Brasileira de Educação. n.8, p. 57-71, 2010.

MAIA, C.; GARCIA, M. O trajeto da Universidade Anhembi Morumbi no desenvolvimento de ambientes virtuais de aprendizagem. In: MAIA, C. (Org.). Ead.br: educação à distância no Brasil na era da Internet. São Paulo: Anhembi Morumbi, 2000.

MATSUURA, S. Ensino de ciências no Brasil está entre os piores do mundo. Jornal O Globo 06 Dez. 2016. Disponível em: https://oglobo.globo.com/sociedade/educacao/ensino-de-ciencias-no-brasil-esta-entre-os-piores-do-mundo-20596414. Acesso em: 01 Jun. 2019.

MAZZIONI, S. As estratégias utilizadas no processo de ensino-aprendizagem: concepções de alunos e professores de ciências contábeis. Revista Eletrônica de Administração e Turismo-ReAT, v.2, n. 1, p. 93-109, 2013.

MORAN, J. M.; MASETTO, M. T.; & BEHRENS, M. A.; Novas tecnologias e mediação pedagógica. 7 ed. Campinas, SP: Papirus, 2003.

MORAN, J. M. Ensino e aprendizagem inovadores com tecnologias. Informática na Educação: Teoria & Prática, v. 3, n.1, p. 137-144, 2000.

NETO, C. O. C. et al. Dificuldades no ensino-aprendizagem de química no ensino médio em algumas escolas públicas da região sudeste de Teresina. Disponível em: https://www.ebah.com.br/content/ABAAAfqmQAG/dificuldades-no-ensino-aprendizagem-quimica-no-ensino-medio-algumas-escolas-publicas-regiao-sudeste-teresina. Acesso em:22 jul. 2019.

NIC.br - NÚCLEO DE INFORMAÇÃO E COORDENAÇÃO DO PONTO BR. TIC domicílios 2015: pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nos domicílios brasileiros. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2016.

POLATO, A. Tecnologia + conteúdos = oportunidades de ensino. Revista Nova Escola. Ano XXVIV, n. 223, junho/julho, p. 50-58, 2009.

RIBEIRO, M. Só 11% das escolas brasileiras têm laboratório de Ciências. Jornal O Globo. 18 Nov. 2011. Disponível em: https://oglobo.globo.com/sociedade/educacao/so-11-das-escolas-brasileiras-tem-laboratorio-de-ciencias-10804574. Acesso em: 01 Jun. 2019.

SANTOS, M. P. dos. Recursos didático-pedagógicos na educação matemática escolar: uma abordagem teórico-prática. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna Ltda, 2011.

SCHUHMACHER, E.; RIZZO, P. R. T.; HÜLSE, D.; BREUCKMANN, H.J. Laboratório de Instrumentação para o Ensino de Ciências: inserção virtual no cotidiano das escolas. In:

SIMPÓSIO NACIONAL DE ENSINO DE FÍSICA, 17., 2007, Maranhão. Anais... p. 1-7.

TOKARNIA, M. Apenas 4,5% das escolas tem infraestrutura completa prevista em lei. Agência Brasil. 26 Jun. 2016. Disponível em: http://agenciabrasil.ebc.com.br/educacao/noticia/2016-06/apenas-45-das-escolas-

Downloads

Publicado

31-07-2019

Como Citar

ROCHA, G. C. F. da S.; MARTINS, B. M.; COSTA, R. L. da. Vídeos experimentais: uma alternativa para o déficit de laboratórios para o ensino de química em escolas públicas. Tecnologias, Sociedade e Conhecimento, Campinas, SP, v. 6, n. 1, p. 25–41, 2019. DOI: 10.20396/tsc.v6i1.14631. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tsc/article/view/14631. Acesso em: 5 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos