Metodologias ativas no ensino da matemática no anos iniciais: aprendizagem por meio de jogos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20888/ridpher.v6i00.9923

Palavras-chave:

Anos iniciais, Ensino de matemática, Metodologias ativas

Resumo

O presente artigo é um estudo bibliográfico acerca da Metodologias Ativas na Matemática por meio de Jogos nos anos iniciais do Ensino Fundamental, voltado para um ensino com situações que possam estimular e instigar os alunos. O objetivo do mesmo é apresentar reflexões voltadas as metodologias diferenciadas no ensino de Matemática nos anos iniciais e o desenvolvimento de competências e habilidades necessárias para a compreensão da realidade, tomada de decisões fundamentadas nas mais diversas situações do cotidiano, interação entre professor-aluno e contribuições para uma aprendizagem mais significativa. O referencial teórico traz abordagens acerca das Metodologias Ativas no ensino da Matemática e Aprendizagem por meio de Jogos. Dentre os resultados parciais citam-se possíveis benefícios e possibilidades metodológicas para o processo de ensino-aprendizagem da Matemática bem como ações que contemplam a utilização de estratégias diversificadas (Aprendizagem por meio de jogos).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gesseca Camara Lubachewski, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões

Mestra em Educação pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, Campus de Frederico Westphalen. Atualmente é, professora produtora de materiais didáticos, professora do Estratégias Questões e professora de Espanhol do Pré-Vestibular Anderson Silva (EDUCAFRO).

Elisabete Cerutti, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões

Doutora em Educação. Professora do PPGEDU-URI, Universidade Regional Integrada-Campus de Frederico Westphalen (URI) – Rio Grande do Sul.

Referências

ALRO, H.; SKOVSMOSE, O. Diálogo e aprendizagem em educação matemática. Belo Horizonte Autêntica,2006

ALVES, Luciana; BIANCHIN, Maysa Alahmar. O jogo como recurso de aprendizagem. Revista Psicopedagogia [Online], v. 27, n. 83, p. 282-287, 2010

BARBOSA, Eduardo Fernandes; MOURA, G. Dácio. Metodologias Ativas de Aprendizagem na Educação profissional e Tecnológica. Tec. SENAC, Rio de Janeiro, v. 39, n. 2, p. 48-67, maio/ago. 2013.

BERBEL N. Neusi Aparecida. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes.2011Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/seminasoc/article/view/10326.pdf. Acesso em: 07 maio 2018.

BOUFLEUER, José Pedro. A aprendizagem em situação pedagógica e na mediação da docência. In: FONTELLA, A. S.; SAUSEN, I.T.; ALLEBRANDT, L. I. O curso de pedagogia da Unijuí - 55 anos. Ijuí, Ed. Unijuí, 2013. p. 103-121.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília: MEC/SEF. 1997

BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Brasília: MEC, 2015

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1997. 126p.

CERUTTI, Elisabete; PORTO, Ana Paula Teixeira. Possibilidades didáticas através de site infantil para os anos iniciais do Ensino Fundamental. Revista Ciências Humanas, Frederico Westphalen, RS v. 18 n.2 [31] set./dez. 2017

D’AMBROSIO, Beatriz S. Como ensinar matemática hoje? Temas e Debates, SBEM, Brasília, ano II, n. 2, p. 15-19, 1989.

D'AMBRÓSIO, Ubiratan. Educação Matemática: da teoria à prática. 4. ed. Campinas-SP: Papirus, 1998.

FADEL, Charles; BIALIK, Maya; TRILLING, Bernie. Educação em quatro dimensões: as competências que os estudantes precisam para atingir o sucesso. Traduzido por Instituto Península e Instituto Ayrton Senna, 2015.

GEWEHR, Diógenes; STROHSCHOEN, G. A. Andreia; MARCHI, I. Miriam; MARTINS, N. Silvana; SCHUCK, J. Rogério. Metodologias Ativas de ensino e de aprendizagem: uma abordagem de iniciação à pesquisa. Revista Ensino & Pesquisa, v. 14, n. 01, p. 225-246, jan./jun. 2016.

GRANDO, Célia Regina. O jogo e a Matemática no contexto da sala de aula. São Paulo: Paulus, 2004.

LIBANÊO, José Carlos. Didática. São Paulo: Cortez, 1994.

MELO, C. Bárbara de; SANT’ANA, Geisa. A prática da Metodologia Ativa: compreensão dos discentes enquanto autores do processo ensino-aprendizagem. Revista Ciências Saúde, p. 327-339, 2012. Disponível em: http://pesquisa.bvsalud.org/bvsecuador/resource/pt/mis-36480?lang=pt. Acesso em: 05 maio 2018.

PIAGET, J. A psicologia da criança. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998.

PRESTES, L. M.. A formação matemática docente para os Anos Iniciais do Ensino Fundamental: desafios e perspectivas. Revista de Ciências Humanas (Frederico Westphalen), URI - Frederico Westphalen, v. 1, n.5, p. 71-89, 2004

SCHEID, Neusa Maria John; KONFLANZ, Tais Lazzari; CERUTTI, Elisabete. Contribuições das tecnologias da informação e da comunicação em metodologias alternativas para o uso de animais não-humanos em aulas experimentais de ciências biológicas. In: NOGUEIRA, Fernanda; FERREIRA, Arnaldo Telles (Orgs.). Comunicação Educação e tecnologia: mídias e cultura digital no ideário coletivo. Campinas, SP: Librum Editora, 2017. 216p

Downloads

Publicado

2020-12-07

Como Citar

CAMARA LUBACHEWSKI, Gesseca; CERUTTI, Elisabete. Metodologias ativas no ensino da matemática no anos iniciais: aprendizagem por meio de jogos. RIDPHE_R Revista Iberoamericana do Patrimônio Histórico-Educativo, Campinas, SP, v. 6, n. 00, p. e020018, 2020. DOI: 10.20888/ridpher.v6i00.9923. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ridphe/article/view/9923. Acesso em: 15 jul. 2024.