O Instituto de Cegos da Bahia (ICB) e as primeiras iniciativas de integração de educandos com deficiência visual em escolas regulares

associação entre narrativas orais e fontes documentais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20888/ridpher.v7i00.9773

Palavras-chave:

Educação especial, Deficiência visual, Memória da escola.

Resumo

O texto apresenta um recorte da pesquisa em desenvolvimento, cujo propósito é sistematizar a memória da Educação Especial no estado da Bahia, enfocando o trabalho desenvolvido pelas instituições especializadas para o acesso à escola regular de educandos cegos e com baixa visão. Sintetiza-se o trabalho precursor do Instituto de Cegos da Bahia (ICB) no tocante às ações que culminaram com o início do processo de inserção de estudantes com deficiência visual nos espaços considerados comuns de ensino, através do convívio com os demais alunos. A análise fundamenta-se em fontes documentais associadas a narrativas orais destacando a potencialidade dos relatos de testemunhas para sistematização dessa memória. Da discussão conclui-se, apontando a relevância da pesquisa, a pertinência da relação estabelecida com os estudos concernentes ao patrimônio histórico educativo e a contribuição para compreender o atual contexto da Educação Especial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Robenilson Nascimento dos Santos, Universidade Federal da Bahia, Brasil

Possui doutorado em Difusão do Conhecimento pela Universidade Federal da Bahia, UFBA, 2018. Professor da Educação Especial, Secretaria de Educação do Estado da Bahia, SEEBA, Brasil. Professor da Educação Especial no Instituto de Cegos da Bahia.

Referências

ANAIS do I Congresso Brasileiro de Educação de Deficientes Visuais. São Paulo: Associação Paulista de Medicina, 1964.

ANAIS do II Congresso Brasileiro de Educação de Deficientes Visuais. Brasília: Ministério de Minas e Energia, 1968.

ASSIS, Alberto de. O Cego em face da Medicina, do Direito e da Pedagogia. Salvador: Escola de Aprendizes Artífices da Bahia, 1933.

BUENO, José Geraldo Silveira. Educação Especial Brasileira: integração/segregação do aluno diferente. São Paulo: Educ, 1993.

JANNUZZI, Gilberta S. de Martino. A Educação do deficiente no Brasil: dos primórdios ao início do século XXI. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 2006.

MASINI, Elcie. O perceber de quem está na escola sem dispor da visão. São Paulo: Cortez, 2013.

MAZZOTTA, Marcos José Silveira. Educação Especial no Brasil: História e políticas públicas. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

SOUZA, Rosa Fátima de. Preservação do Patrimônio Histórico Escolar no Brasil: notas para um debate. Revista Linhas, Florianópolis, v. 14, n. 26, p. 199-221, jan./jun. 2013.

Downloads

Publicado

2021-05-09

Como Citar

SANTOS, R. N. dos. O Instituto de Cegos da Bahia (ICB) e as primeiras iniciativas de integração de educandos com deficiência visual em escolas regulares: associação entre narrativas orais e fontes documentais. RIDPHE_R Revista Iberoamericana do Patrimônio Histórico-Educativo, Campinas, SP, v. 7, n. 00, p. e021028, 2021. DOI: 10.20888/ridpher.v7i00.9773. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ridphe/article/view/9773. Acesso em: 6 out. 2022.