Acervos provocados e possibilidades de pesquisa sobre o patrimônio histórico bibliográfico educativo no APEM

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20888/ridpher.v7i00.15805

Palavras-chave:

Patrimônio histórico bibliográfico educativo, História da educação, Arquivo público do estado do Maranhão

Resumo

Esta comunicação objetiva recuperar as pesquisas realizadas NEDHEL baseadas no acervo do APEM, visando destacar os instrumentos de coleta e análise de dados elaborados ou adaptados para a recuperação e interpretação das informações sobre a instrução pública maranhense. Utilizou-se como fonte de análise os trabalhos de Santos e Reis (2018), Cabral (2013) e Menezes (2016), explorou-se o site do APEM no intuito de verificar os instrumentos de consulta ao acervo selecionaram-se três monografias de graduação e três dissertações de integrantes e ex-integrantes do Núcleo. Os procedimentos são frutos de discussões, empregos, análises, adaptações e, por fim, reemprego da técnica de coleta de dados pertinentes e registrá-las na ficha de análise, de acordo com a natureza do documento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diana Rocha da Silva, Universidade Federal do Maranhão, Brasil

Professora Adjunta do Departamento de Biblioteconomia da Universidade Federal do Maranhão. Doutora em educação escolar pelo Programa de Educação Escolar da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita - Araraquara/SP - 2017. Mestre em Educação pela Universidade Federal do Maranhão - 2011, Graduada em Biblioteconomia - UFMA, 2009. Integrante do Núcleo de Pesquisa e Documentação em História da Educação e das Práticas Leitoras do Maranhão - NEDHEL.

Cesar Augusto Castro, Universidade Federal do Maranhão, Brasil

Professor Titular da Universidade Federal do Maranhão. Graduação em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Maranhão (1988). Mestrado em Ciência da Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1993). Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo (1998). Pós Doutor em Educação pela USP (2006) e pela Universidade do Porto (2011). Docente do Programa de Pós-graduação em Educação e o Curso de Biblioteconomia (UFMA). Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Pará .Diretor do Centro de Ciências Sociais (2006-2015). Coordenador do GT 2 - História da Educação da ANPED. Coordenador do Núcleo de Estudos e Documentação em História da Educação e Práticas Leitoras (NEDHEL). Desenvolve estudos e pesquisa sobre História da Educação (Cultura Material Escolar, Instituições Escolares e imprensa de ensino). História do Livro e da Leitura e História das Bibliotecas e da Biblioteconomia. Pesquisador Produtividade do CNPq. Fonte: Plataforma Lattes

Samuel Luis Velazquez Castellanos, Universidade Federal do Maranhão, Brasil

Possui graduação em Artes pelo Instituto Superior de Artes de Havana ? ISA (1996) e em Filosofia pela Universidade da Habana (1996). Mestre em Educação pela Universidade Federal do Maranhão (2007). Doutor em Educação Escolar pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2012). Pós-Doutor em Educação pelo Centre d´Histoire Culturalle des Sociétés Contemporaines da Université de Versailles - França (2014-2015). Pós-Doutor em Educação pela Universidade Federal de São Paulo (2018-2019). Professor Associado I do Departamento de Educação I da Universidade Federal do Maranhão. Professor permanente dos Programas de Pós-Graduação em Educação: (PPGE) e do Ensino da Educação Básica (PPGEEB) da UFMA e do PPGEd da UFPA. Professor colaborador do Membro da Associação para a Pesquisa sobre o Brasil na Europa (ARBRE) e da Association pour le Développement de l´Histoire Culturelle (ADHC). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em História da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: História da Educação, História do Maranhão, Historia do Livro e da leitura e Cultura Material Escolar. Fonte: Plataforma Lattes.

Referências

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DO MARANHÃO. 2021. Disponível em: http://apem.cultura.ma.gov.br/siapem/index.php#. Acesso em: 3 jul. 2021.

BARROS, A. D’Assunção. Fontes históricas. Cortez: São Paulo, 2019.

BOTTENTUIT, Aldimar Martins. Os discursos dos presidentes da província do Maranhão sobre a instrução pública no período de 1870 a 1889. 2016. Dissertação (Mestrado em Educação) Programa de Pós-Graduação em Educação - Universidade Federal do Maranhão, 2016

BRASIL. Câmara dos Deputados. Centro de Documentação e Informação. Lei nº 8.159, de 8 de janeiro de 1991 - Dispõe sobre a política nacional de arquivos públicos e privados e dá outras providências. 1991. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1991/lei-8159-8-janeiro-1991-322180-normaatualizada-pl.pdf. Acesso em: 3 jul. 2021.

BRASIL. Presidência da República. Lei de 15 de outubro de 1827 - Manda crear escolas de primeiras letras em todas as cidades, vilas e lugares mais populosos do Império. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/LIM/LIM.-15-10-1827.htm. Acesso em: 3 jul. 2021.

BRASIL. Senado Federal. Constituição Federal do Brasil. Texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988, com as alterações determinadas pelas Emendas Constitucionais de Revisão nos 1 a 6/94, pelas Emendas Constitucionais nos 1/92 a 91/2016 e pelo Decreto Legislativo no 186/2008. 498 p. Disponível em: https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/518231/CF88_Livro_EC91_2016.pdf. Acesso em: 3 jul. 2021.

CABRAL, Maria Luísa Rosendo. Património bibliográfico e bibliotecas na construção da identidade colectiva entre um conceito e o seu desenvolvimento, 1750-1800. 2013. 515 f. Tese (Doutoramento em História moderna) - Faculdade de ciências humanas e sociais, Universidade de Lisboa, 2013.

CASTELLANOS, Samuel Luiz Velázquez. A representatividade do livro escolar no Maranhão Império: produção, circulação e uso. 2012. Tese (Doutorado em Educação escolar) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2012.

CASTRO, César Augusto (Org.). Cultura material escolar: a escola e seus artefatos (MA, SP, PR, SC e RS, 1870-1925). São Luís: EDUFMA: Café & Lápis, 2011.

CASTRO, Cesar Augusto; SILVA, Diana Rocha da; CASTELLANOS, Samuel Luiz Velázquez. A Biblioteca Pública do Maranhão como instituição educacional. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 16, n. 3, p. 255-269, jul. 2011. ISSN 19815344. Disponível em: http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/1160/916. Acesso em: 02 jul. 2021.

CHARTIER, Roger. A história cultural entre práticas e representações. Tradução de Maria Manuela Galhardo. 2. ed. Lisboa: Difel, [1988].

COELHO, Josivan Costa. A inspetoria da instrução pública maranhense (1843-1889). 2017. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Maranhão, 2017.

CORRÊA, Viriato. A Balaiada: romance do tempo da regência. São Paulo: Companhia editora nacional, [1927]. p. 7-12.

HANSEN, João Adolfo. O que é um livro? São Paulo: Sesc, 2019.

IPHAN. Dicionário do Patrimônio cultural. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/dicionarioPatrimonioCultural/detalhes/79/bem-cultural. Acesso em: 23 maio 2021.

LINARES, María Cristina. Memorias y huellas del patrimonio: investigación y exposición en el Museo de las escuelas. Memorias y huellas del patrimonio: investigación y exposición en el museo de las escuelas. In: MENEZES, Maria Cristina (org.). Desafios Iberoamericanos: o Patrimônio Histórico-Educativo em Rede. São Paulo: CME/FEUSP, 2016. p. 117-134.

LINARES, Maria Cristina. Memorias y huellas del Patrimonio: investigación y exposición em el museo de las escuelas. Rev. Iberoamericana do Patrimonio histórico-educativo, Campinas, v. 1, n. 1, p. 117-134, jul./dez. 2015.

LINARES, Maria Cristina. Memorias y huellas del Patrimonio: investigación y exposición em el museo de las escuellas. Rev. Iberoamericana do Patrimonio histórico-educativo, Campinas, v. 1, n. 1, p. 117-134, jul./dez. 2015.

LOBO, Antônio. Relatório apresentado ao Sr. Governador do Estado do Maranhão, João Gualberto Torreão da Costa. São Luís: Typ. Frias, 1900.

MARTÍNEZ, Silvia Alicia et al. Preservação, pesquisa e difusão do patrimônio educacional: o caso do Liceu de Humanidades de Campos (RJ). Vértices, Campos dos Goytacazes/ RJ, v. 14, n. Especial 2, p. 215-227, 2012.

MENEZES, Maria Cristina (org.). Desafios Iberoamericanos: o Patrimônio Histórico-Educativo em Rede. São Paulo: CME/FEUSP, 2016. 585p.

MENEZES, Maria Cristina. Patrimônio histórico-educativo: como não se envolver? In: MENEZES, Maria Cristina (org.). Desafios Iberoamericanos: o Patrimônio Histórico-Educativo em Rede. São Paulo: CME/FEUSP, 2016. p. 11-20.

MENEZES, Maria Cristina. Projetar espaços visando a organização e a difusão da cultura material escolar: diálogo entre acervos. In: MENEZES, Maria Cristina (org.). Desafios Iberoamericanos: o Patrimônio Histórico-Educativo em Rede. São Paulo: CME/FEUSP, 2016. p. 189-207.

NUNES, Clarice; CARVALHO, Marta Maria Chagas de. Historiografia da educação e fontes. In: GONDRA, José Gonçalves (org.). Pesquisa em História da educação no Brasil. Rio de Janeiro: DP&A, 2005. p. 17-62.

NUNES, Irajane. Inspetoria Geral da instrução pública do Maranhão imperial (1840-1889). 2012, 60f. Monografia (Graduação em Biblioteconomia) – Curso de Biblioteconomia, Universidade Federal do Maranhão, 2012.

SANDOVAL, Rodrigo; VIAL, Maria José. Intervención de um archivo escolar em Chile: arquivo Liceo Abate Molina de Talca (1827). Rev. Iberoamericana do Patrimonio histórico-educativo, Campinas, v. 1, n. 1, p. 97-115., jul./dez. 2015.

SANDOVAL, Rodrigo; VIAL, María José. Intervención de un archivo escolar en Chile: archivo Liceo Abate Molina de Talca (1827). In: MENEZES, Maria Cristina (org.). Desafios Iberoamericanos: o Patrimônio Histórico-Educativo em Rede. São Paulo: CME/FEUSP, 2016. p. 97-116.

SANTOS, Amaury Araújo. Berlamino de Mattos: o Didot da imprensa maranhense (1840-1870). 2019. 80f. Monografia (Graduação em Biblioteconomia) – Curso de Biblioteconomia, Universidade Federal do Maranhão, 2019.

SANTOS, Renata Ferreira dos; REIS, Alcenir Soares dos. O Patrimônio bibliográfico no Brasil: trajetória de leis, políticas e instrumentos de proteção legal. Investigación Bibliotecológica: archivonomía, bibliotecología e información, v. 32, n. 75, p. 223-259, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.22201/iibi.24488321xe.2018.75.57970.

SILVA, Diana Rocha da. A Biblioteca Pública do Maranhão como espaço de sociabilidade na Primeira República (1898-1902). Linhas, v. 21, p. 264-289, 2020. DOI: https://doi.org/10.5965/1984723821472020264.

SILVA, Diana Rocha da. As Casas de ensino no Maranhão: um estudo de sua representação no período republicano (1903-1912). 2017. 276f. Tese (Doutorado em Educação escolar) – Faculdade de Ciências e Letras, Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar, Araraquara, SP, 2017.

SILVA, Diana Rocha. A institucionalização dos Grupos escolares do Maranhão (1903-1920). São Luís: Eduema, 2012.

SILVA, Diana Rocha da. Reestruturação histórica da Biblioteca Pública da Biblioteca Pública na primeira república. 2009. 125 f. Monografia (Graduação em Biblioteconomia) – Curso de Biblioteconomia, Universidade Federal do Maranhão, 2009.

Downloads

Publicado

2021-11-19

Como Citar

SILVA, D. R. da; CASTRO, C. A.; CASTELLANOS, S. L. V. Acervos provocados e possibilidades de pesquisa sobre o patrimônio histórico bibliográfico educativo no APEM. RIDPHE_R Revista Iberoamericana do Patrimônio Histórico-Educativo, Campinas, SP, v. 7, n. 00, p. e021018, 2021. DOI: 10.20888/ridpher.v7i00.15805. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ridphe/article/view/15805. Acesso em: 6 out. 2022.