Planos nacionais de educação

propostas para a constituição de diferentes culturas políticas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20888/ridpher.v7i00.15755

Palavras-chave:

Plano Nacional de Educação, Cultura política, Política educacional

Resumo

Objetiva analisar as tensões pela implementação de culturas políticas distintas, a partir de diferentes propostas de Planos Nacionais de Educação (1997). Fundamenta-se na análise crítico-documental, tendo como fontes as propostas de Planos Nacionais de Educação do Executivo Federal e do II Coned. Utiliza como instrumento de auxílio o software IRAMUTEQ. Os resultados evidenciam que: a) os planos tinham diferentes propostas para a constituição da cultura político-educacional; b) a do Executivo Federal estava voltada para as recomendações dos organismos multilaterais, e a do II Coned tinha como foco a diminuição das desigualdades; c) ambas as propostas partiam de um mesmo diagnóstico, com as mesmas fontes, principalmente os documentos dos organismos multilaterais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Heitor Negreiros, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutorando em Educação na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). Mestre em Educação pela Ufes. Graduado em Educação Física Licenciatura e Bacharelado pela Universidade de Vila Velha (UVV). Membro do Instituto de Pesquisa em Educação e Educação Física (Proteoria).

Amarílio Ferreira Neto, Universidade Federal do Espírito Santo

Atualmente é Professor Titular da Universidade Federal do Espírito Santo com atuação na graduação (licenciatura e bacharelado), mestrado e doutorado na área de Educação Física. Possui graduação em Educação Física pela Universidade Federal de Sergipe (1984), mestrado em Educação Física pela Universidade Gama Filho (1989) e doutorado em Educação pela Universidade Metodista de Piracicaba (1999). É docente da Universidade Federal do Espírito Santo desde 27 de dezembro de 1989.

Wagner dos Santos, Universidade Federal do Espírito Santo

Possui graduação em Educação Física pela Universidade Federal do Espírito Santo (2002), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (2005) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo (2010). Atualmente é Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Educação da Ufes, professor dos Programas de Pós-Graduação em Educação e em Educação Física (Mestrado e Doutorado) e do curso de Licenciatura e Bacharelado em Educação Física da UFES. Líder do Instituto de Pesquisa em Educação e Educação Física (Proteoria). Tem experiência na área de Educação e Educação Física, com ênfase em Avaliação Educacional, Currículo e Política Educacional. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2.

Referências

AVEIRO, J. F. H. O Plano Nacional de Educação (Lei 10.172), de 9 de janeiro de 2001. Educar em Revista, v. 22, n. 27, p. 239-258, 2006.

AZEVEDO, Fernando de et al. O manifesto dos pioneiros da educação nova. Revista Brasileira de Educação, 1932.

BANCO MUNDIAL. World Development Report. Poverty: Oxford University Press, 1990.

BANCO MUNDIAL. World Development Report. Poverty: Oxford University Press, 1994.

BERSTEIN, S. Culturas políticas e historiografia. In: AZEVEDO, C. et al. Cultura política, memória e historiografia. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009. p. 29-46.

BLOCH, M. Apologia da história: ou o ofício do historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

BRASIL. Educação profissional: Um projeto para o desenvolvimento sustentado. Brasília: SEFOR, 1995.

BRASIL. Exposição de Motivos nº. 273/1995. Diário da Câmara dos Deputados. Brasília, DF, 1995.

BRASIL. Lei 9.424/96, de 24 de dezembro de 1996. Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério. Brasília, 1996.

BRASIL. Lei de diretrizes e bases da educação nacional. Poder Legislativo, Brasília, DF, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Plano Nacional de Educação. Brasília, DF, 1997.

BRASIL. Plano Decenal de Educação para Todos. Brasília: MEC, 1993.

BRASIL: IBGE. Anuário Estatístico do Brasil. Brasília, 1993.

BRASIL: IBGE. Anuário Estatístico do Brasil. Brasília, 1995.

BRASIL: IBGE. Anuário Estatístico do Brasil. Brasília, 1996.

BRASIL: MEC/INEP. Sinopse Estatística 1996. Brasília, 1997.

CARDOSO, F. H. Diários da Presidência: 1995-1996. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

CARDOSO, F. H. Notas sobre a reforma do estado. Novos Estudos, São Paulo: Cebrap, v. 50, p. 5-12, 1998.

CARDOSO, F. H. Prefácio: uma revolução silenciosa. In: SOUZA, P. R. A Revolução Gerenciada: educação no Brasil: 1995 a 2002. São Paulo: Prentice Hill, 2005a, p. xv – xviii.

CASTRO, M. H. G. Como anda a Educação Básica no Brasil: o desafio da qualidade. São Paulo, 2006.

CASTRO, M. H. G. O Saeb e a agenda de reformas educacionais: 1995 a 2002. Em Aberto, v. 29, n. 96, 2016.

CASTRO, M. H. G. O sistema educacional brasileiro: tendências e perspectivas. In: REIS VELLOSO, J.P. et al. (Org.). Um modelo de educação para o século XXI. Rio de Janeiro: José Olympio Editora, 1999. p. 35-117.

CERTEAU, M. A invenção do cotidiano: 1. artes de fazer. 15. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

DELLA FONTE, S. S. Pacto Nacional para o Fortalecimento do Ensino Médio no Estado do Espírito Santo: algumas decisões teóricas. In: VENTORIM, S.; FERREIRA, E. B.; SANTOS, W. Escritas de formação docente: experiências do Programa de Formação de Professores e Pedagogos do Ensino Médio (PNEM) no Espírito Santo, 2018. p. 47-54.

DELORS, J. Educação: um tesouro a descobrir. São Paulo: Cortez, 1996.

DUARTE, N. As pedagogias do "aprender a aprender" e algumas ilusões da assim chamada sociedade do conhecimento. Revista Brasileira de Educação, n. 18, p. 35-40, 2001.

GINZBURG, C. A micro-história e outros ensaios. Lisboa: Difel, 1991.

GINZBURG, C. Relações de força: história, retórica, prova. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

GOMES, H. M. Formando professores para a educação profissional. Trabalho apresentado na Reunião Anual da ANPEd, Caxambu, M. G. 2004. v. 27.

II CONED. Plano Nacional de Educação: Proposta da Sociedade Brasileira. Belo Horizonte: APUBH, 1997.

KUENZER, A. Ensino Médio Profissional: as políticas do Estado neoliberal. São Paulo: Cortez, 1997.

KUENZER, A. Z. O ensino médio agora é para a vida: entre o pretendido, o dito e o feito. Educação & Sociedade, ano XXI, n. 70, p. 15-39, abr. 2000.

MARX, K. O Capital. Livro I. Vol. I, DIFEL. 1985.

MINTO, C. A. Mudanças curriculares? Suplemento de Educação do Jornal Apeoesp, 1988.

MINTO, C. A. O lugar da educação na conjuntura nacional. Revista Educação em Debate, Secretaria de Educação de Mauá, n.1, 1998c.

MINTO, C. A. Política de premiação por bônus. [Entrevista concedida ao] Observatório da Educação. Depoimento. Ação Educativa, São Paulo, 2010. Disponível em: http://www.observatoriodaeducacao.org.br/index.php. 2010. Acesso em: 21 jan. 2021.

PINTO, J. M. R. Financiamento da educação no Brasil: um balanço do governo FHC (1995-2002). Educação e Sociedade, Campinas, v. 23, n. 80, p. 109-136, 2002.

POPPOVIC, P. P. Entrevista concedida à TV Cultura. 2011. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=-b10zNOkrh0&t=383s. Acesso em: 2 dez. 2019.

PROST, A. As palavras. In: REMOND, R. (org.). Por uma história política. Rio de Janeiro. Editora FGV, 2003. p. 295-330.

PSDB. Mãos à obra, Brasil: proposta de governo. São Paulo. 1994.

SAVIANI, D. Plano Nacional de Educação, a questão federativa e os municípios: o regime de colaboração e as perspectivas da educação brasileira. FÓRUM INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO DA REGIÃO METROPOLITANA DE CAMPINAS, v. 6, 2011.

SAVIANI, D. Sistema nacional de educação articulado ao plano nacional de educação. Revista Brasileira de Educação, v. 15, n. 44, p. 380-392, 2010.

SOUZA, P. R. A determinação dos salários e do emprego nas economias atrasadas. 1980. 195 f. Tese (Doutorado em Economia) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP. 1980.

SOUZA, P. R. A revolução gerenciada: educação no Brasil 1995-2002. São Paulo: Financial Times BR, 2005.

SOUZA, P. R. Um exame necessário. Folha de São Paulo, v. 26, p. 3, 1995.

UNDIME. Orientações ao dirigente municipal de educação: fundamentos, políticas e práticas. Brasília: UNDIME, 2008.

UNESCO. Declaração mundial sobre educação para todos. Conferência Mundial sobre Educação para Todos, Jomtien. 1990.

UNESCO. Statistical Yearbook. Maxéville, France, 1994.

UNICEF. Division of Information and Public Affairs. Situação mundial da infância, 1987. New York, 1996.

AVEIRO, J. F. H. O Plano Nacional de Educação (Lei 10.172), de 9 de janeiro de 2001. Educar em Revista, v. 22, n. 27, p. 239-258, 2006.

AZEVEDO, Fernando de et al. O manifesto dos pioneiros da educação nova. Revista Brasileira de Educação, 1932.

BANCO MUNDIAL. World Development Report. Poverty: Oxford University Press, 1990.

BANCO MUNDIAL. World Development Report. Poverty: Oxford University Press, 1994.

BERSTEIN, S. Culturas políticas e historiografia. In: AZEVEDO, C. et al. Cultura política, memória e historiografia. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009. p. 29-46.

BLOCH, M. Apologia da história: ou o ofício do historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

BRASIL. Educação profissional: Um projeto para o desenvolvimento sustentado. Brasília: SEFOR, 1995.

BRASIL. Exposição de Motivos nº. 273/1995. Diário da Câmara dos Deputados. Brasília, DF, 1995.

BRASIL. Lei 9.424/96, de 24 de dezembro de 1996. Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério. Brasília, 1996.

BRASIL. Lei de diretrizes e bases da educação nacional. Poder Legislativo, Brasília, DF, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Plano Nacional de Educação. Brasília, DF, 1997.

BRASIL. Plano Decenal de Educação para Todos. Brasília: MEC, 1993.

BRASIL: IBGE. Anuário Estatístico do Brasil. Brasília, 1993.

BRASIL: IBGE. Anuário Estatístico do Brasil. Brasília, 1995.

BRASIL: IBGE. Anuário Estatístico do Brasil. Brasília, 1996.

BRASIL: MEC/INEP. Sinopse Estatística 1996. Brasília, 1997.

CARDOSO, F. H. Diários da Presidência: 1995-1996. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

CARDOSO, F. H. Notas sobre a reforma do estado. Novos Estudos, São Paulo: Cebrap, v. 50, p. 5-12, 1998.

CARDOSO, F. H. Prefácio: uma revolução silenciosa. In: SOUZA, P. R. A Revolução Gerenciada: educação no Brasil: 1995 a 2002. São Paulo: Prentice Hill, 2005a, p. xv – xviii.

CASTRO, M. H. G. Como anda a Educação Básica no Brasil: o desafio da qualidade. São Paulo, 2006.

CASTRO, M. H. G. O Saeb e a agenda de reformas educacionais: 1995 a 2002. Em Aberto, v. 29, n. 96, 2016.

CASTRO, M. H. G. O sistema educacional brasileiro: tendências e perspectivas. In: REIS VELLOSO, J.P. et al. (Org.). Um modelo de educação para o século XXI. Rio de Janeiro: José Olympio Editora, 1999. p. 35-117.

CERTEAU, M. A invenção do cotidiano: 1. artes de fazer. 15. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

DELLA FONTE, S. S. Pacto Nacional para o Fortalecimento do Ensino Médio no Estado do Espírito Santo: algumas decisões teóricas. In: VENTORIM, S.; FERREIRA, E. B.; SANTOS, W. Escritas de formação docente: experiências do Programa de Formação de Professores e Pedagogos do Ensino Médio (PNEM) no Espírito Santo, 2018. p. 47-54.

DELORS, J. Educação: um tesouro a descobrir. São Paulo: Cortez, 1996.

DUARTE, N. As pedagogias do "aprender a aprender" e algumas ilusões da assim chamada sociedade do conhecimento. Revista Brasileira de Educação, n. 18, p. 35-40, 2001.

GINZBURG, C. A micro-história e outros ensaios. Lisboa: Difel, 1991.

GINZBURG, C. Relações de força: história, retórica, prova. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

GOMES, H. M. Formando professores para a educação profissional. Trabalho apresentado na Reunião Anual da ANPEd, Caxambu, M. G. 2004. v. 27.

II CONED. Plano Nacional de Educação: Proposta da Sociedade Brasileira. Belo Horizonte: APUBH, 1997.

KUENZER, A. Ensino Médio Profissional: as políticas do Estado neoliberal. São Paulo: Cortez, 1997.

KUENZER, A. Z. O ensino médio agora é para a vida: entre o pretendido, o dito e o feito. Educação & Sociedade, ano XXI, n. 70, p. 15-39, abr. 2000.

MARX, K. O Capital. Livro I. Vol. I, DIFEL. 1985.

MINTO, C. A. Mudanças curriculares? Suplemento de Educação do Jornal Apeoesp, 1988.

MINTO, C. A. O lugar da educação na conjuntura nacional. Revista Educação em Debate, Secretaria de Educação de Mauá, n.1, 1998c.

MINTO, C. A. Política de premiação por bônus. [Entrevista concedida ao] Observatório da Educação. Depoimento. Ação Educativa, São Paulo, 2010. Disponível em: http://www.observatoriodaeducacao.org.br/index.php. 2010. Acesso em: 21 jan. 2021.

PINTO, J. M. R. Financiamento da educação no Brasil: um balanço do governo FHC (1995-2002). Educação e Sociedade, Campinas, v. 23, n. 80, p. 109-136, 2002.

POPPOVIC, P. P. Entrevista concedida à TV Cultura. 2011. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=-b10zNOkrh0&t=383s. Acesso em: 2 dez. 2019.

PROST, A. As palavras. In: REMOND, R. (org.). Por uma história política. Rio de Janeiro. Editora FGV, 2003. p. 295-330.

PSDB. Mãos à obra, Brasil: proposta de governo. São Paulo. 1994.

SAVIANI, D. Plano Nacional de Educação, a questão federativa e os municípios: o regime de colaboração e as perspectivas da educação brasileira. FÓRUM INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO DA REGIÃO METROPOLITANA DE CAMPINAS, v. 6, 2011.

SAVIANI, D. Sistema nacional de educação articulado ao plano nacional de educação. Revista Brasileira de Educação, v. 15, n. 44, p. 380-392, 2010.

SOUZA, P. R. A determinação dos salários e do emprego nas economias atrasadas. 1980. 195 f. Tese (Doutorado em Economia) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP. 1980.

SOUZA, P. R. A revolução gerenciada: educação no Brasil 1995-2002. São Paulo: Financial Times BR, 2005.

SOUZA, P. R. Um exame necessário. Folha de São Paulo, v. 26, p. 3, 1995.

UNDIME. Orientações ao dirigente municipal de educação: fundamentos, políticas e práticas. Brasília: UNDIME, 2008.

UNESCO. Declaração mundial sobre educação para todos. Conferência Mundial sobre Educação para Todos, Jomtien. 1990.

UNESCO. Statistical Yearbook. Maxéville, France, 1994.

UNICEF. Division of Information and Public Affairs. Situação mundial da infância, 1987. New York, 1996.

Downloads

Publicado

2021-11-19

Como Citar

NEGREIROS, H.; FERREIRA NETO, A.; SANTOS, W. dos. Planos nacionais de educação: propostas para a constituição de diferentes culturas políticas. RIDPHE_R Revista Iberoamericana do Patrimônio Histórico-Educativo, Campinas, SP, v. 7, n. 00, p. e021023, 2021. DOI: 10.20888/ridpher.v7i00.15755. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ridphe/article/view/15755. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

DOCUMENTO