Letramento e sensibilidade: experiências e laboratório de leitura e identidade no ambiente escolar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20888/ridpher.v6i00.14665

Palavras-chave:

Leitura, Literatura, Educação e Trabalho Politécnico

Resumo

Um dos persistentes temas abordados na escola básica é a falta ou a dificuldade de leitura dos estudantes brasileiros. O baixo desempenho nas avaliações externas revela a necessidade de se buscar um caminho para melhorar o trabalho nas escolas, garantindo ao aluno o aprendizado pleno. O que se pretende através desse artigo é apresentar um projeto de pesquisa que vem sendo desenvolvido em escolas do ensino básico, no Estado do Rio de Janeiro, com objetivo voltado à formação de leitores por meio de oficinas de leitura de Literatura, as quais propõem  traduções intersemióticas de textos literários para o audiovisual, centradas no trabalho politécnico com caráter formativo como metodologia participativa (Maia, 2020). Essas oficinas trazem como resultado um engajamento do estudante, à medida que utiliza os recursos tecnológicos que fazem parte do seu cotidiano e o estimula por meio da leitura literária a observar, interpretar, analisar e produzir roteiros para traduzir o texto de forma significativa. Essa potência criativa surge assim pela autonomia que todo este processo permite. Portanto, o ambiente de trabalho coletivo no qual a literatura fornece possibilidades de compreensão e criação dentro de uma perspectiva transdisciplinar contribui para a melhoria da educação e transformação social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniele Oliveira Rosa, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestranda no Programa de Pós-Graduação de Tecnologia para o Desenvolvimento Social (PPGTDS), UFRJ. Licenciada em Letras pela Universidade Federal Fluminense (UFF), com especialização em Ensino de Leitura e Produção Textual pela Universidade Federal Fluminense(2014) e aperfeiçoamento em Curso de Aperfeiçoamento em Língua Portuguesa pelo Fundação Centro de Ciências e Educação Superior à Distância do Estado do RJ (2013). Atualmente é professora do Colégio Estadual Professora Adélia Martins e professora da Escola Municipal Professor Marcos Waldemar de Freitas Reis, também é pesquisadora no Grupo de Educação Multimídia (GEM/Letras/UFRJ).

Paulo Cezar Maia, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Pesquisador Pós-doutorando do Departamento de Ciência da Literatura da UFRJ. Doutor em Literatura Comparada (Ciência da Literatura) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atua como professor, pesquisador e orientador no Grupo de Educação Multimídia - GEM/UFRJ. É professor Colaborador Voluntário do Programa de Pós-graduação em Tecnologia Social do NIDES/UFRJ.

Referências

BENJAMIN, W. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre Literatura e História da cultura. Tradução: Sérgio P. Rouanet. 7. ed. São Paulo: Brasiliense, 1994. 222p.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei número 9394, 20 de dezembro de 1996.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: língua portuguesa. Brasília: SEF, 1997. 144p.

CANDIDO, A. Vários Escritos. 5. ed. corrigida pelo autor: Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2011. 272 p.

CALVINO, I. As cidades invisíveis. São Paulo: Companhia das Letras, 1990. 151p.

CHEDID, F. H. Tecnologia para o desenvolvimento social: Diálogos Nides-UFRJ, In: MAIA, Paulo. Oficina de Leitura e produção de imagem crítica: uma experiência de trabalho como princípio educativo. Marilia: Lutas Anticapital, 2018. 457p.

CUBERO, J. Arquivo Pessoal. 1980.

DUARTE, J. F. J. O sentido dos sentidos: A educação (do) sensível. 2000. 234 p. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2000.

FREIRE, P. A importância do ato de ler. São Paulo: Cortez, 2017.

FREIRE, P. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 69. ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2019. 256p.

GAGNEBIN, Jeanne-Marie. “Brecht e Benjamin: peça de aprendizagem e ordenamento experimental”. Viso: Cadernos de estética aplicada, v. 6, n° 11 (jan-jun/2012), p. 145-151. Disponível em: http://revistaviso.com.br/article/129. Acesso em: 11 ago. 2020.

KENEDY, E. O problema do analfabetismo funcional no brasil sob uma análise psicolinguística. In: MAIA, Marcos: Psicolinguística e Educação. Campinas: Mercado de Letras: EDUFRR, 2018. p. 81-102.

MAIA, P. Travessias: Palavra-Imagem. Revista Terceira Margem - Revista do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Literatura, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, ano XXIV, n. 44, p. 32-49, set./dez. 2020.

MAIA, P. Arquivo pessoal. 2017.

PESSOA, F. Livro do Desassossego. São Paulo: Companhia das Letras, 2006. 559p.

TIÃO ROCHA. Educação acontece em todo lugar. Palestra, 6 nov. 2014. 1 vídeo. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=PjQqjz01H-M. Acesso em: 15 ago. 2020.

SAVIANI, D. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, v. 12 n. 34, jan./abr. 2007.

SAVIANI, D. O choque teórico da Politecnia. Trab. educ. saúde (online). Rio de Janeiro 2003, v. 1, n. 1, p. 131-152, mar. 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/tes/v1n1/10.pdf. Acesso em: 14 dez. 2020.

SEVERO, F. G. TICs e TACs: o refazimento de softwares e engenheiros no limiar entre as ciências e os segredos. 2026. 164 p. Dissertação (Mestrado) – UFRJ/COPPE/Programa de Engenharia de Sistemas e Computação, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.

Downloads

Publicado

2020-12-29

Como Citar

ROSA, Daniele Oliveira; MAIA, Paulo Cezar. Letramento e sensibilidade: experiências e laboratório de leitura e identidade no ambiente escolar. RIDPHE_R Revista Iberoamericana do Patrimônio Histórico-Educativo, Campinas, SP, v. 6, n. 00, p. e020029, 2020. DOI: 10.20888/ridpher.v6i00.14665. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ridphe/article/view/14665. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

DOSSIÊ TEMÁTICO