Banner Portal
Ecos armoriais
PDF

Arquivos suplementares

Um Requiem Nordestino (Redução para piano). Compassos: 22-25.
Trecho de Um Requiem Nordestino (Redução para piano). Compassos: 33-39.
“Palma da coroa”. Compassos 28-35.

Palavras-chave

Ariano Suassuna
Crítica e interpretação
Música em Pernambuco
Música armorial

Como Citar

SANTOS, Marília Paula dos. Ecos armoriais: influência e repercussão da Música Armorial em Pernambuco. Música Popular em Revista, Campinas, SP, v. 6, n. 2, p. 29–54, 2019. DOI: 10.20396/muspop.v6i2.13160. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/13160. Acesso em: 28 maio. 2024.

Resumo

O Armorial foi um Movimento cultural, político e artístico que englobou diversas formas de arte. Idealizado pelo escritor Ariano Suassuna (1927-2014) e integrado por inúmeros intelectuais e artistas, o Movimento objetivava criar uma arte erudita autenticamente brasileira. Acreditava que a matéria-prima para isto estava nos interiores do Nordeste do Brasil, pois a globalização não havia chegado de maneira tão enfática nestes lugares. Das artes do Movimento, a música foi um dos elementos que mais se sobressaiu, de modo que até os dias atuais é possível perceber sua influência na composição e performance de vários grupos e artistas. Diante disto, procuramos entender, no estado de Pernambuco, como se dá o vínculo de certos repertórios e práticas musicais atuais com a música armorial. Para isto foram realizadas entrevistas com artistas que integraram o Movimento Armorial e com aqueles que têm produzido música com sua influência. Nosso entendimento também ocorre através da compreensão da cultura. Procuramos entender como o Nordeste foi criado epistemologicamente e refletimos sobre os contextos de nacionalismo, regionalismo, fronteiras e criação de identidades.

 

https://doi.org/10.20396/muspop.v6i2.13160
PDF

Referências

ALBUQUERQUE JR., Durval Muniz de. A invenção do Nordeste e outras artes. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

ALMEIDA, Nelson. Entrevista à autora. Recife, dia 26, setembro, 2016.

ANDERSON, Benedict. Imagined Communities, reflections on the origin and spread of nationalism. London and New York: Verso, 2006.

BAILY, John. The Role of Music in the Creation of an Afghan National Identity, 1923- 73. In: STOKES, Martin (edt.). Ethnicity, identity and music: the musical construction of place. Oxford e New York: Berg, 1997, p. 45-60.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade, entrevista a Benedetto Vecchi/Zygmunt Bauman. 5. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

BEZERRA, Amílcar Almeida. (RE)inventando o autêntico: arte, política e mídia na trajetória de Ariano Suassuna. Tese (Doutorado em Comunicação). PPGCOM - UFF, Niterói, 2013.

CAMPELO, Sérgio. Entrevista à autora. Recife, dia 12, fevereiro, 2015.

CONTIER, Arnaldo Daraya. O nacional na música erudita brasileira: Mário de Andrade e a questão da identidade cultural. Revista de história e Estudos Culturais, Fênix, v. 1, ano 1, p. 1-21. 2004.

DA MATTA, Roberto. Relativizando, uma introdução à antropologia social. Rio de Janeiro: Rocco, 1987.

FERRAZ, Sérgio. Entrevista à autora (e-mail). Recife/São Caitano, dia 26, junho, 2017.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Paris: Press Universitaires de France, 1968.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 10. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

LEITE, Dante Moreira. O caráter nacional brasileiro, história de uma ideologia. 7. ed. São Paulo: Unesp, 2002.

LIMA, Ana Paula Campos. Introdução, o Movimento Armorial e suas fases. p. 1-33, 1999-2000. Disponível em: http://www.unicap.br/armorial/movimento/produtos/amusica-armorial.pdf. Acesso em: 12, abr., 2015.

MADUREIRA, Antônio. Entrevista à autora. Recife, dia 14, março, 2017a. MADUREIRA, Antúlio. Entrevista à autora (WhatsApp). Recife/São Caitano, dia 20, setembro, 2017b.

MANCINI, Renata Ciampone. Relampiano. In LOPES, Ivã Carlos; HERNANDES, Nilton (Orgs.). Semiótica, objetos e práticas. São Paulo: Contexto, 2005, p. 27-41.

MONTEIRO, Ângelo. Conversa com a autora (e-mail). São Caitano/Recife, dia 23, outubro, 2016.

MORAES, Maria Thereza Didier. Emblemas da Sagração Armorial, Ariano Suassuna e o Movimento Armorial 1970/76. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2000.

NÓBREGA, Antônio Carlos. Entrevista à autora (por Skype). São Paulo/São Caitano, dia 19, janeiro, 2017.

NÓBREGA, Ariana Perazzo da. A música no Movimento Armorial. Dissertação de mestrado em Música. Escola de Música – UFRJ, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2000.

PEREIRA, Clóvis. Entrevista à autora. Recife, dia 13, março, 2017.

QUARTETO ENCORE. Mosaicos. Produção independente, 2017. CD.

REILY, Suzel Ana. Macunaíma‟s Music: National Identity and Ethnomusicological Research in Brazil. In: STOKES, Martin (Ed.). Ethnicity, identity and music: the musical construction of place. Oxford and New York: Berg, 1997, p. 71-98.

SANDRONI, Carlos. Feitiço Decente, transformações do samba no Rio de Janeiro (1917-1933). Rio de Janeiro: UFRJ Editora, Zahar, 2001.

______. Adeus à MPB. In CAVALCANTI, Berenice; STARLING, Heloísa; EISENBERG, José (Org). Decantando a República. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2004, p 23-35.

SEEGER, Anthony. Por que cantam os Kisêdjê, uma antropologia musical de um povo amazônico. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

STOKES, Martin (Ed.). Ethnicity, identity and music, the musical construction of place. Oxford and New York: Berg, 1997.

SUASSUNA, Ariano. O Movimento Armorial. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 1974.

TORRES, Dierson. Entrevista à autora. Recife, dia 26, setembro, 2016.

TRAVASSOS, Elisabeth. Ethics in the sung duels of north-eastern Brazil: collective memory and contemporary practice. British Journal of Ethnomusicology, Brazilian musics, Brazilian identities, UK, v. 9, p. 61-94. 2000.

A publicação Música Popular em Revista em sua obra adota e está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.