Ecos armoriais

influência e repercussão da Música Armorial em Pernambuco

Autores

  • Marília Paula dos Santos Universidade Federal da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.20396/muspop.v6i2.13160

Palavras-chave:

Ariano Suassuna, Crítica e interpretação, Música em Pernambuco, Música armorial

Resumo

O Armorial foi um Movimento cultural, político e artístico que englobou diversas formas de arte. Idealizado pelo escritor Ariano Suassuna (1927-2014) e integrado por inúmeros intelectuais e artistas, o Movimento objetivava criar uma arte erudita autenticamente brasileira. Acreditava que a matéria-prima para isto estava nos interiores do Nordeste do Brasil, pois a globalização não havia chegado de maneira tão enfática nestes lugares. Das artes do Movimento, a música foi um dos elementos que mais se sobressaiu, de modo que até os dias atuais é possível perceber sua influência na composição e performance de vários grupos e artistas. Diante disto, procuramos entender, no estado de Pernambuco, como se dá o vínculo de certos repertórios e práticas musicais atuais com a música armorial. Para isto foram realizadas entrevistas com artistas que integraram o Movimento Armorial e com aqueles que têm produzido música com sua influência. Nosso entendimento também ocorre através da compreensão da cultura. Procuramos entender como o Nordeste foi criado epistemologicamente e refletimos sobre os contextos de nacionalismo, regionalismo, fronteiras e criação de identidades.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marília Paula dos Santos, Universidade Federal da Paraíba

Mestrado em Música com área de concentração em Etnomusicologia pela Universidade Federal da Paraíba. 

Referências

ALBUQUERQUE JR., Durval Muniz de. A invenção do Nordeste e outras artes. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

ALMEIDA, Nelson. Entrevista à autora. Recife, dia 26, setembro, 2016.

ANDERSON, Benedict. Imagined Communities, reflections on the origin and spread of nationalism. London and New York: Verso, 2006.

BAILY, John. The Role of Music in the Creation of an Afghan National Identity, 1923- 73. In: STOKES, Martin (edt.). Ethnicity, identity and music: the musical construction of place. Oxford e New York: Berg, 1997, p. 45-60.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade, entrevista a Benedetto Vecchi/Zygmunt Bauman. 5. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

BEZERRA, Amílcar Almeida. (RE)inventando o autêntico: arte, política e mídia na trajetória de Ariano Suassuna. Tese (Doutorado em Comunicação). PPGCOM - UFF, Niterói, 2013.

CAMPELO, Sérgio. Entrevista à autora. Recife, dia 12, fevereiro, 2015.

CONTIER, Arnaldo Daraya. O nacional na música erudita brasileira: Mário de Andrade e a questão da identidade cultural. Revista de história e Estudos Culturais, Fênix, v. 1, ano 1, p. 1-21. 2004.

DA MATTA, Roberto. Relativizando, uma introdução à antropologia social. Rio de Janeiro: Rocco, 1987.

FERRAZ, Sérgio. Entrevista à autora (e-mail). Recife/São Caitano, dia 26, junho, 2017.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Paris: Press Universitaires de France, 1968.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 10. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

LEITE, Dante Moreira. O caráter nacional brasileiro, história de uma ideologia. 7. ed. São Paulo: Unesp, 2002.

LIMA, Ana Paula Campos. Introdução, o Movimento Armorial e suas fases. p. 1-33, 1999-2000. Disponível em: http://www.unicap.br/armorial/movimento/produtos/amusica-armorial.pdf. Acesso em: 12, abr., 2015.

MADUREIRA, Antônio. Entrevista à autora. Recife, dia 14, março, 2017a. MADUREIRA, Antúlio. Entrevista à autora (WhatsApp). Recife/São Caitano, dia 20, setembro, 2017b.

MANCINI, Renata Ciampone. Relampiano. In LOPES, Ivã Carlos; HERNANDES, Nilton (Orgs.). Semiótica, objetos e práticas. São Paulo: Contexto, 2005, p. 27-41.

MONTEIRO, Ângelo. Conversa com a autora (e-mail). São Caitano/Recife, dia 23, outubro, 2016.

MORAES, Maria Thereza Didier. Emblemas da Sagração Armorial, Ariano Suassuna e o Movimento Armorial 1970/76. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2000.

NÓBREGA, Antônio Carlos. Entrevista à autora (por Skype). São Paulo/São Caitano, dia 19, janeiro, 2017.

NÓBREGA, Ariana Perazzo da. A música no Movimento Armorial. Dissertação de mestrado em Música. Escola de Música – UFRJ, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2000.

PEREIRA, Clóvis. Entrevista à autora. Recife, dia 13, março, 2017.

QUARTETO ENCORE. Mosaicos. Produção independente, 2017. CD. DOI: https://doi.org/10.12957/e-mosaicos.2017.28563

REILY, Suzel Ana. Macunaíma‟s Music: National Identity and Ethnomusicological Research in Brazil. In: STOKES, Martin (Ed.). Ethnicity, identity and music: the musical construction of place. Oxford and New York: Berg, 1997, p. 71-98.

SANDRONI, Carlos. Feitiço Decente, transformações do samba no Rio de Janeiro (1917-1933). Rio de Janeiro: UFRJ Editora, Zahar, 2001.

______. Adeus à MPB. In CAVALCANTI, Berenice; STARLING, Heloísa; EISENBERG, José (Org). Decantando a República. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2004, p 23-35.

SEEGER, Anthony. Por que cantam os Kisêdjê, uma antropologia musical de um povo amazônico. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

STOKES, Martin (Ed.). Ethnicity, identity and music, the musical construction of place. Oxford and New York: Berg, 1997.

SUASSUNA, Ariano. O Movimento Armorial. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 1974.

TORRES, Dierson. Entrevista à autora. Recife, dia 26, setembro, 2016.

TRAVASSOS, Elisabeth. Ethics in the sung duels of north-eastern Brazil: collective memory and contemporary practice. British Journal of Ethnomusicology, Brazilian musics, Brazilian identities, UK, v. 9, p. 61-94. 2000. DOI: https://doi.org/10.1080/09681220008567292

Downloads

Publicado

2019-12-28

Como Citar

SANTOS, M. P. dos. Ecos armoriais: influência e repercussão da Música Armorial em Pernambuco. Música Popular em Revista, Campinas, SP, v. 6, n. 2, p. 29–54, 2019. DOI: 10.20396/muspop.v6i2.13160. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/13160. Acesso em: 1 dez. 2022.