https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/issue/feed Música Popular em Revista 2022-01-08T19:10:05+00:00 Rafael dos Santos rdsantos@unicamp.br Open Journal Systems <p><strong>Escopo</strong>: <strong>Música Popular em Revista (MPR) </strong>é um periódico de publicação contínua, online, de circulação gratuita, vinculado aos Programas de Pós-Graduação em Música do Instituto de Artes da UNICAMP e do Centro de Letras e Artes da UNIRIO. A MPR divulga artigos originais de estudiosos ligados a disciplinas distintas do campo das humanidades como musicologia, etnomusicologia, história, sociologia, antropologia, filosofia, linguística, letras e comunicação. Além de artigos, este periódico aceita outros tipos de contribuições como resenhas, entrevistas, transcrições comentadas, partituras e traduções cujos conteúdos sejam compatíveis com a sua temática.<br /><strong>Qualis CAPES</strong>: C - Artes / B4 – Interdisciplinar<br /><strong>Área do conhecimento</strong>: Artes<br /><strong>Ano de fundação</strong>: 2012<br /><strong>E-ISSN</strong>: 2316-7858<br /><strong>Título abreviado</strong>: Mus. Pop. em Rev.<br /><strong>E-mail</strong>: <a href="mailto:musicapopularemrevista@gmail.com">musicapopularemrevista@gmail.com</a><br /><strong>Unidade</strong>: IA<br /><strong>Prefixo DOI</strong>: 10.20396<br /><a title="CC BY" href="http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/" target="_blank" rel="noopener"><img src="https://i.creativecommons.org/l/by/4.0/80x15.png" alt="Licença Creative Commons" /></a></p> https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/16046 Múltiplas abordagens teóricas e metodológicas nos estudos de música popular 2022-01-08T19:10:05+00:00 José Roberto Zan zan@unicamp.br <p>Texto de apresentação dos artigos na temática Teoria e métodos de pesquisa,</p> 2021-12-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 José Roberto Zan https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/15843 Origem e reflexão 2021-09-07T13:15:49+00:00 Gabriel Sampaio Souza Lima Rezende gabriel_baixo@yahoo.com.br <p>Este artigo apresenta uma visão sintética de minhas experiências de crítica imanente com a música popular. Situadas no interior de um campo acadêmico em consolidação, e de uma linhagem teórica específica que nele se esboça, essas experiências são comentadas à luz das teorias e das obras que as motivaram. Dos trabalhos elaborados ao longo de mais de uma década, escolhi destacar aspectos específicos que demonstrem as virtudes e limitações desse tipo de abordagem interdisciplinar à música popular e, ao mesmo tempo, explicitar os vínculos teórico-metodológicos que as unem. A elaboração teórica dessas experiências conduz a uma reflexão final sobre as condições da própria crítica.</p> 2021-12-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Gabriel Sampaio Souza Lima Rezende https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/15838 A teoria crítica da música revisitada 2021-10-07T17:38:49+00:00 Ricardo Ribeiro Lira da Silva ricardo.r.lira@gmail.com <p>O artigo propõe retomar certos problemas fundamentais da teoria crítica da música de Adorno a partir de um de seus trabalhos tardios pouco discutidos na literatura secundária: a <em>Introdução à sociologia da músca</em> (1968). Nossa hipótese é a de que o livro fornece uma visão retrospectiva privilegiada dos escritos musicais adornianos, permitindo a reconsideração de categorias teóricas desenvolvidas nos anos 1930 e 1940, relacionadas tanto ao diagnóstico sobre a música popular no âmbito da indústria cultural, quanto ao potencial crítico da música de vanguarda e seus limites. Conforme pretendemos sustentar, tal reconsideração permite afastar interpretações que atribuem à reflexão de Adorno um caráter prescritivo e enrijecido, colocando em evidência que sua teoria crítica da música consiste sobretudo na pergunta pelas condições sociais concretas para uma relação não reificada e não regulamentada com a música.</p> 2021-12-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Ricardo Ribeiro Lira da Silva https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/14303 Improvisation and System from inside and outside 2021-06-11T11:34:37+00:00 Frederico Lyra de Carvalho lyrafred@gmail.com <p>In this article we propose to analyse some aspects of the music and musical thought of the musician Steve Coleman through the philosophy of Theodor Adorno. We will deal with Coleman's relationship to tradition and the concept of jazz, the practice of improvisation and the systematicality of his music. These questions will be treated under the prism of the dialectics of identity and non-identity dear to Adorno's Negative Dialectics. The objective is to try to demonstrate some of the contradictions that circumscribe Coleman's work and how it is built through them. We will deal with Coleman's relationship to the jazz tradition, his practice of improvisation and the systematicality of his music.</p> 2021-12-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Frederico Lyra de Carvalho https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/15902 Entre os passos do samba e o compasso da ditadura 2021-09-14T12:46:57+00:00 Adalberto Paranhos akparanhos@uol.com.br <p>Uma mesma canção, calcada no binômio letra e música, admite distintas leituras associadas a diversas constelações de sentido. Ela não é um objeto inerte, congelado no tempo e no espaço, cristalizado a ponto de mostrar-se impermeável a flutuações e a migrações de significado. Conforme as <em>performances </em>vocais, instrumentais, visuais que informam e conformam as canções, elas, em determinadas circunstâncias, podem vir a significar algo sequer imaginado pelos seus autores, configurando uma dança dos sentidos. Isso se aplica igualmente à análise de realidades históricas específicas. Um mesmo objeto – no caso, as relações entretecidas entre o “Estado Novo” e a área da música popular – é passível de ser apreendido sob diferentes prismas analíticos, na dependência, em grande medida, dos aportes teóricos e dos métodos de investigação a que nos agarramos como âncoras para levar adiante nossas pesquisas. Sob essa perspectiva, hábitos monológicos não são, nem de longe, bússolas confiáveis quando procuramos dar conta do caráter dialético das relações políticas e dos artefatos musicais. É disso que trata este texto ao pisar e repisar, uma vez mais, o chão muito batido da ditadura estado-novista para surpreender a existência de práticas discursivas que colocam em xeque certos pressupostos tradicionais da historiografia largamente disseminada sobre o período. Afinal, para além de colecionarem silêncios e/ou de se recolherem ao papel de câmaras de eco da “palavra estatal”, outras vozes, destoantes ou dissonantes, se fizeram ouvir também na época, apesar da censura que pesava sobre elas, asfixiando-as.</p> 2021-12-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Adalberto Paranhos https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/15807 O (im)provável encontro entre o Mulato Calado e o Delegado Chico Palha 2021-10-19T11:47:53+00:00 Humberto Junqueira junqueira.humberto@gmail.com <p>A pesquisa em música vem se desenvolvendo e ganhando novas abordagens a partir de contribuições advindas de diversos campos do conhecimento. A perspectiva interdisciplinar, portanto, tem se constituído como alternativa promissora diante de questões que emergem especialmente a partir da música popular, área privilegiada para a investigação de <br />pontos estruturantes de nossa sociedade. No presente trabalho, além de ressaltar as concepções que forjaram o conjunto de disciplinas que se dedicam ao estudo da música (tomada, nesse sentido, como uma instância abstrata), analiso também dois sambas compostos na primeira metade do século XX. O objetivo dessa análise é justamente revelar a dimensão social e “concreta” da música, apontando para as tensões, conflitos e contradições presentes na cultura brasileira. O encontro entre o “Mulato calado” e o “Delegado Chico Palha”, entre a polícia e o matador, entre um homem violento (“sem coração”) e o defensor de sua companheira, permite não apenas lançar um olhar sobre alguns aspectos <br />estruturantes do quadro sociocultural brasileiro, mas também propicia a reflexão sobre novas formas de lançar esse olhar através da pesquisa em música.</p> 2021-12-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Humberto Junqueira https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/15785 "A Banda” de Chico Buarque 2021-11-13T17:34:15+00:00 Juliana Soares da Costa Silva julianasoarescosta@yahoo.com.br <p style="text-align: justify;"><span style="font-family: 'Arial',sans-serif;">Este trabalho apresenta um estudo sobre a canção “A Banda” de Chico Buarque. A gravação utilizada foi da cantora Nara Leão, cujo arranjo instrumental é da compositora Geny Marcondes. O objetivo foi analisar tanto o texto, quanto a música e sobretudo o arranjo de Marcondes. Esses procedimentos mostraram que “A Banda” é uma canção simples e ao mesmo tempo complexa. Seu texto repleto de alegorias e antíteses, apresenta uma mensagem de esperança como também, veladamente, de protesto. Além disso, os recursos composicionais empregados pela arranjadora, forneceram subsídios para uma maior apreensão do discurso musical, o que também, outrora, proporcionou a canção ser amplamente apreciada pelo público através das vendas de discos.</span></p> 2021-12-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Juliana Soares da Costa Silva https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/15776 “Paixão e Fé” 2021-10-19T11:56:20+00:00 Daniel Menezes Lovisi daniel.lovisi@hotmail.com <p>O texto tem por objetivo trazer reflexões sobre os processos de construção de significados na canção “Paixão e Fé” a partir de uma análise semiótica. Tendo como base os estudos do musicólogo Philip Tagg (2012) pretende-se evidenciar a maneira como os códigos musicais e a letra atuam conjuntamente na elaboração de um artefato cultural multidimensional, a canção, que pode suscitar significados a partir da leitura do complexo que envolve a obra inserida em seu contexto histórico, social e cultural específicos. O fonograma de 1978, gravado no álbum <em>Clube da Esquina 2</em>, de Milton Nascimento, é confrontado com outras músicas pertencentes ao mesmo cenário histórico e musical de modo a permitir a verificação do modo como compositores, arranjadores e intérpretes atuantes no campo da música brasileira popular produzida em Minas Gerais mobilizaram aspectos da cultura regional em seus trabalhos, notadamente a religiosidade católica, de modo a representar traços de uma identidade cultural na canção.</p> 2021-12-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Daniel Lovisi https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/15759 Gilberto aqui e agora 2021-10-14T19:23:26+00:00 Victor Fernandes Albergaria vfernandesop@gmail.com Sérgio Paulo Ribeiro de Freitas sergio.freitas@udesc.br <p>Sabendo que as canções populares surgem em determinado lugar e época, o presente artigo viaja às últimas décadas do século XX, colhendo histórias e sentidos que, por fora, não se separam da canção “Aqui e agora” (1977) de Gilberto Gil. Em um primeiro momento o texto percorre entrevistas, depoimentos e documentários, relendo considerações sobre acontecimentos que cercam a canção. Considerando que o título funciona como parte do programa, no segundo momento o artigo averigua como o nome da canção é escutado em seu tempo: “aqui e agora” são duas palavras soltas que se unem para indicar o espaço-tempo do enunciador? Ou ganham significações mais amplas? Lidando com questões como essas, o artigo tece conclusões que, por fim, apontam para uma articulação entre o por dentro e o por fora da canção, notando que são várias as escutas que, ao mesmo tempo, se entrecruzam a partir da voz de um personagem.</p> 2021-12-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Victor Fernandes Albergaria, Sérgio Paulo Ribeiro de Freitas https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/15370 A vanguarda paulista instrumental 2021-05-18T18:47:00+00:00 Renan Branco Ruiz renan.ruiz@unesp.br <p>Este artigo analisa a formação da Vanguarda Paulista Instrumental (VPI) como objeto de estudo central para refletir e investigar a articulação entre jazz brasileiro, música popular e composições instrumentais durante o último terço da ditadura civil-militar (1964 -1985). No final dos anos 1970 e início dos 1980, o mercado musical brasileiro passou por diversas transformações. Nesse período, a VPI incorporou novas sonoridades para o universo da música popular instrumental e do jazz brasileiro. Baseando suas propostas no experimentalismo do <em>jazz fusion </em>em atrito com diversas noções de “brasilidade musical”, encontraram na produção musical independente a possibilidade de mediação para incluir suas obras na indústria fonográfica brasileira. São bandas como Metalurgia (1981 - 1983), Pé Ante Pé (1979 – 1983), Divina Increnca (1978 – 1981), Pau-Brasil (1978 - atual) e Grupo Um (1976 -1984), entre muitas outras. A Vanguarda Paulista Instrumental é formada pela convergência de determinados elementos e características que circunscrevem tanto as soluções para gestão de carreira artística quanto a estética musical das bandas em um mesmo campo de possibilidades, bastante específico, conforme veremos neste texto.</p> 2021-09-10T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Renan Branco Ruiz https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/15194 Eneida, amor e fantasia 2021-06-05T22:50:43+00:00 Flávia Guia Carnevali flaviaguia@alumni.usp.br José Geraldo Vinci de Moraes zgeraldo@usp.br <p>Embora diversos agentes tenham tomado parte na construção da memória do samba como música nacional brasileira na primeira metade do século passado, a ação intelectual de jornalistas da imprensa periódica e da especializada teve papel central. Contudo, há ainda poucos estudos sobre a prática e percepção desses cronistas na invenção de uma historiografia da música popular. Eneida de Moraes (1904-1971), primeira repórter do Diário de Notícias, por meio de suas crônicas e, sobretudo, no livro História do carnaval carioca (1958), construiu um discurso historiográfico que tinha no carnaval carioca seu eixo principal e, de maneira derivada, o samba. Este texto pretende exatamente discutir o papel dela neste processo cultural e intelectual e como seu discurso procurava valorizar certa concepção de cultura popular que tinha o carnaval carioca do subúrbio como uma espécie de resistência e utopia.</p> 2021-07-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Flávia Guia Carnevali, José Geraldo Vinci de Moraes https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/14880 A canção popular, a pesquisa folclórica e o legado preservacionista 2021-03-19T14:17:08+00:00 Urbano Lemos Junior urbano.lemos@hotmail.com Vicente Gosciola vicente.gosciola@gmail.com <p>O artigo resgata uma importante referência na pesquisa de campo e na gravação de canções de origem popular. Na década de 1920, a carioca Elsie Houston sistematizou seu trabalho em busca da brasilidade musical a partir da herança indígena, africana e ibérica. Neste sentido, o objetivo do estudo é resgatar o espólio preservacionista deixado pela musicista e destacar a relevância de Elsie para os estudos sobre música, identidade e cultura. Além da coleta de canções populares que estariam sob risco de desaparecimento, Elsie registrou em uma publicação científica 42 canções de diferentes regiões do Brasil, mostrando o timbre, a pronúncia e as intenções das músicas. Deste modo, a metodologia do artigo analisa as convergências do legado da pesquisadora a partir das teorias sobre documentário. Para tanto, o estudo recorre aos escritos de Penafria (2004), Nicholls (2012) e Ramos (2001 e 2013) para uma aproximação e ampliação dos conceitos sobre o registro criativo do encontro com o outro.</p> 2021-05-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Urbano Lemos Junior, Vicente Gosciola https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/15209 Discos fonográficos como fonte histórica 2021-05-03T19:21:29+00:00 Sandor Buys sandor.buys@gmail.com <p>Com o intuito de contribuir para a formação de uma literatura sobre discos de música brasileira lançados na fase inicial da indústria fonográfica, ainda gravados por meios mecânicos (1902-1927), neste trabalho os discos <em>Apollo</em> são analisados. Estes discos são peculiares em não possuir identificação de onde foram gravados ou prensados, provavelmente por isso passaram despercebidos por outros pesquisadores e não tinham sido mencionados na literatura até o momento. São apresentadas descrições detalhadas do corpo dos discos e dos selos; são comentados os passos dados para associar o selo <em>Apollo</em> à gravadora porto-alegrense Casa A Electrica e são feitas comparações com outros selos desta gravadora. Por fim, a falta de identificação do fabricante no selo <em>Apollo</em> é discutida. Procurou-se demostrar neste trabalho que discos fonográficos podem ser fontes históricas importantes quando analisados em detalhe e de forma comparada. </p> 2021-06-07T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Sandor Buys https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/15105 Sonhos do Oriente 2021-03-23T14:40:32+00:00 Gabriel Barth da Silva gabrielbarths@gmail.com <p>É possível perceber no decorrer da última década um crescimento relevante do consumo de K-Pop (gênero musical sul-coreano) a nível global, e isso não é uma exceção na realidade brasileira. Tendo um crescimento sensível principalmente entre os jovens, o consumo do gênero acaba por ocupar, em muitos casos, um lugar central na vivência cotidiana de seus consumidores, que passam a estabelecer contatos com outros sujeitos que também estão vinculados a essa música, atravessando suas identidades e modificando suas trajetórias de vidas junto com objetivos que acompanham imaginários atrelados ao gênero. A partir disso, a presente pesquisa buscou compreender como esse fenômeno se manifesta na cidade de Curitiba, PR, Brasil, utilizando-se de entrevistas com consumidores de K-Pop sobre suas experiências prévias ao gênero, seu contato com ele e suas perspectivas futuras, auxiliando a elucidar as estruturas que envolvem essa vivência. Foi possível perceber que o aprendizado do coreano, viajar para a Coreia do Sul e a construção de sua identidade foram aspectos centrais para as participantes.</p> 2021-06-04T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Gabriel Barth da Silva https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/15799 La confluencia entre raperos chilenos y sellos discográficos multinacionales en la década de 1990 2021-11-02T13:18:48+00:00 Nelson Rodríguez Vega ne.rodriguez@uc.cl <p>El artículo estudia la confluencia entre raperos chilenos y sellos discográficos multinacionales (<em>majors</em>) en la década de 1990. Este período se distingue por una serie de cambios en el despliegue del hip-hop en Chile. La injerencia de las <em>majors </em>fue importante porque consolidó una red de soporte integrada también por otros agentes, entre cuyos resultados estuvo que el rap/hip-hop alcanzó cierta ratificación social, artística, cultural y de productividad. Por otro lado, esta operación es comúnmente desatendida a nivel académico. Se infiere que el resultado referido no armoniza, de alguna forma, con la habitual representación contrahegemónica del hip-hop, lo cual ha significado un vacío bibliográfico. En última instancia, este artículo intenta demostrar que la vinculación con la industria cultural/mercado no se traduce necesariamente en la pérdida de la función social de la música y que, además, existirían formas alternativas de ejercer una resistencia cultural no ceñidas a efectuar irremediablemente una crítica social en letras de canciones, o a la toma de posición política explícita, por parte de los músicos populares.</p> 2021-12-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Nelson Rodríguez Vega https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/15848 A flauta e a câmera 2021-10-19T11:43:59+00:00 Renan Moretti Bertho renanbertho@gmail.com <p>Partindo de uma reflexão sobre o uso da imagem no campo da etnomusicologia, apresento efoques teóricos e metodológicos sobre temas que inicialmente partiram da minha vivência como músico e que posteriormente se tornaram objeto de reflexão acadêmica em minha diessertação de mestrado. Meu argumento inicial é que as funções e os usos da imagem na pesquisa etnomusicológica podem ocupar diferentes estágios: desde a ilustração geral de contextos até a conceituação e a problematização da posição do pesquisador em campo, passando pelos processos de reflexividade e de interpretação de dados. Observo como o uso da câmera no processo de pesquisa pode conciliar e orientar as funções de <em>insider </em>e <em>outsider</em>, colocando o pesquisador, mesmo que momentaneamente, em um ‘não lugar’ etnográfico. Demonstro ainda de que forma diferentes materialidades – sobretudo fotos, textos e passagens do diário de campo – podem se conectar para compor um quadro descritivo e reflexivo da performance investigada.</p> <p>&nbsp;</p> 2021-12-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Renan Moretti Bertho https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/15944 A didática da improvisação musical na escola primária e secundária 2021-10-20T20:43:37+00:00 Vincenzo Caporaletti vincenzo.caporaletti@unimc.it Luiz Santos Lima luizlima1611@gmail.com <p>Os estudos sobre improvisação musical tiveram notável florescimento recente, especialmente na Itália. Não podia ser diferente, creio que se possa afirmar, na terra dos poetas improvisadores da rima oitava e do partimento setecentista, apesar da proclamada primogenitura ultramarina, jazzística ou não. Mas o aspecto que mais se destaca aqui é que essa nova onda de pesquisas não poderia deixar de repercutir na finalidade eletiva da investigação teórica, com a aplicação, ou melhor, a transposição pedagógico-didática. Neste artigo, analisarei algumas direções didáticas já estabelecidas, verificando suas conexões com modelos teóricos de criatividade em tempo real hoje desafiados por essas pesquisas recentes. Outras propostas operacionais se seguirão à luz da convicção de que uma mudança no paradigma teórico implica necessariamente um reposicionamento das estratégias educacionais e didáticas.</p> 2021-12-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Luiz Santos Lima https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/16045 Editorial 2022-01-07T21:02:49+00:00 Martha Tupinambá de Ulhôa mulhoa@unirio.br Rafael Angelo dos Santos rdsantos@unicamp.br <p>A presente edição da Música Popular em Revista conta com a publicação de 15 artigos temáticos, 1 artigo e 1 tradução com textos inéditos, a maioria em português, alguns em inglês e espanhol, sob a termática "Teoria e métodos de pesquisa". Pelo segundo ano consecutivo, a revista mantem-se na modalidade de Publicação Contínua.</p> 2021-12-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Martha Tupinambá de Ulhôa, Rafael dos Santos https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/15798 Cordel das cordas populares 2021-09-04T18:25:26+00:00 Thiago Brisolla thiagobrisolla4@gmail.com Eliane Tokeshi eliane@usp.br <p>Em 2019, o projeto <em>Cordel das Cordas Populares</em> teve o objetivo de ensinar em classes coletivas os gêneros musicais que compõem o forró para estudantes de cordas friccionadas, em situação de vulnerabilidade social. Elaborado pelo autor deste artigo, o material é baseado nos trabalhos artísticos e pedagógicos dos violinistas populares Nicolas Krassik (1969-) e Ricardo Herz (1978-), e seu ensino interagiu com as práticas da contação de histórias em folhetos de cordel e dança. Este artigo pretende descrever e analisar essa experiência pedagógica interdisciplinar da performance musical, por meio de um olhar pedagógico decolonial, demonstrando a complementaridade entre as práticas de música, contação de histórias e dança.</p> 2021-12-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Thiago Brisolla, Eliane Tokeshi