Análise do efeito ergogênico da música assíncrona e da antecipação sobre o desempenho físico em esforços supra limiar anaeróbio
PDF

Palavras-chave

Música
Antecipação
Limiar anaeróbio
Exaustão
Ciclismo.

Como Citar

CETEIN, Rafael Lucas; GOBATTO, Fulvia de Barros Manchado; MESSIAS, Leonardo Henrique Dalcho; CRUZ, João Pedro da; RASTEIRO, Felipe Marroni; GOBATTO, Claudio Alexandre. Análise do efeito ergogênico da música assíncrona e da antecipação sobre o desempenho físico em esforços supra limiar anaeróbio. Revista dos Trabalhos de Iniciação Científica da UNICAMP, Campinas, SP, n. 26, 2019. DOI: 10.20396/revpibic2620181165. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/pibic/article/view/1165. Acesso em: 24 jun. 2024.

Resumo

O objetivo desse estudo foi investigar o efeito da utilização da música assíncrona e da antecipação sobre as respostas fisiológicas (e.g. tempo de exaustão, frequência cardíaca, concentração lactacidêmica e saturação de O2) e psicofisiológicas (i.e. escalas de percepção subjetiva) em exercício exaustivo prescrito de forma individualizada com base na intensidade de limiar anaeróbio (iLAn). Foram avaliados doze indivíduos jovens (idade compreendida entre 18 e 26 anos) saudáveis e ativos do sexo masculino. Os participantes foram submetidos a cinco sessões de exercício sendo todas em cicloergometro. Na primeira sessão, os avaliados realizaram um protocolo incremental para a determinação da iLAn pela análise de bissegmentação das retas de regressão. De forma randomizada, mais quatro sessões contínuas e exaustivas em intensidade 20% a iLAn foram realizadas, mas adotando diferentes aplicações: i) esforço sem música; ii) esforço com música; iii) sem música e aplicação da antecipação e iv) mesma abordagem da sessão anteriormente descrita, mas com a adoção da música. Os resultados sugerem que apesar do efeito somatório entre a música e antecipação não modularem positivamente o desempenho físico, os mesmos parecem exercer efeito ergogênico quando aplicados de forma exclusiva.

https://doi.org/10.20396/revpibic2620181165
PDF

Todos os trabalhos são de acesso livre, sendo que a detenção dos direitos concedidos aos trabalhos são de propriedade da Revista dos Trabalhos de Iniciação Científica da UNICAMP.

Downloads

Não há dados estatísticos.