Referências artísticas italianas nas obras Rua 25 de Março, de Antonio Ferrigno

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/eha.15.2021.4675

Palavras-chave:

Antonio Ferrigno, Século XIX, Iconografia paulistana, Arte italiana, Paisagem urbana

Resumo

As paisagens Rua 25 de Março foram produzidas em três versões pelo artista italiano Antonio Ferrigno (1863-1940) durante a sua estadia no Brasil entre os anos de 1893 e 1905, e fazem parte do conjunto de obras do artista sobre a iconografia paulistana. No presente texto, buscamos ressaltar a contribuição do artista para o cenário artístico de São Paulo, através de comparações entre paisagens urbanas do final do século XIX, focando especificamente em suas referências trazidas da Europa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Stefanie Clarice Ramos Moysés, Universidade Federal de São Paulo

Graduanda em História da Arte pela Universidade Federal de São Paulo.

Referências

BARBUY, Heloísa. A cidade-exposição: comércio e cosmopolitismo em São Paulo, 1860-1914. São Paulo: EdUSP, 2006.

BIGNARDI, Massimo; FIORILLO, Ada Patrizia. I Pittori di Maiori: Artisti della Costa d’Amalfi tra XIX e XX secolo. Amalfi: Centro di Cultura Amalfitana, 2005.

DAZZI, Camila Carneiro. Relações Brasil-Italia na arte do segundo oitocentos: estudo sobre Henrique Bemardelli (1880 a 1890). 2006. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2006.

FARINA, Duílio Crispim. Ladeira do Porto Geral ou do Quartim ou Ladeira do Tamanduateí. Revista do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo. V. LXXXIII, São Paulo, 1988, p. 184-197.

FEIJÓ, Marcelo. A Memória de São Paulo nas Fotografias de Militão Augusto de Azevedo e Guilherme Gaensly. Cidades - Comunidades e Territórios, n. 6, jun. 2003, p. 127-135.

GIANNELLI, Enrico. Artisti napoletani viventi: pittori, scultori ed architetti. Napoli: Melfi & Joele, 1916.

IROLLO, Alba. Artisti, Opere e Mercato fra Napoli e Londra: appunti su Alma-Tadema Amendola e Morelli. In: QUERCI, E; CARO, S. (Org.). Alma Tadema e la Nostalgia Dell’Antico. Campania: Electa, 2007. p. 86-97

MELO, Berta de Oliveira. Águas errantes – uma narrativa sobre o rio Tamanduateí, a cidade e a arte. 2017. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

OLIVEIRA, Maria Luiza Ferreira de. O registro dos limites da cidade: imagens da várzea do Carmo no século XIX. In: Anais do Museu Paulista. São Paulo. N. Sér. v. 6/7. p. 37-59 (1998-1999).

RIBEIRO, Vanessa Costa. Várzea do Carmo a Parque Dom Pedro II: de atributo natural a artefato – Décadas de 1890 a 1950. 2012. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

SANTOS, Marcio Pereira. O espaço humanizado, a Paisagem humanizada e algumas reflexões sobre a paisagem em São Paulo na primeira metade do século XIX. 2007. Tese (Doutorado) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

TARASANTCHI, Ruth Sprung. Antonio Ferrigno: 100 anos depois. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 2005.

TIRAPELI, Percival. São Paulo artes e etnias. São Paulo: Editora Unesp, 2007.

Downloads

Publicado

2021-12-31

Como Citar

MOYSÉS, S. C. R. Referências artísticas italianas nas obras Rua 25 de Março, de Antonio Ferrigno. Encontro de História da Arte, Campinas, SP, n. 15, p. 406–414, 2021. DOI: 10.20396/eha.15.2021.4675. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/eha/article/view/4675. Acesso em: 2 fev. 2023.