Banner Portal
Uma narrativa do Brasil nas memórias e temporalidades das experiências negras no "Diário de Bitita" (1986)
PDF

Palavras-chave

Memórias
Temporalidades
Experiências negras
Carolina Maria de Jesus
Diário de Bitita

Como Citar

SOUTO, A. M.; FREITAS, M. S. Uma narrativa do Brasil nas memórias e temporalidades das experiências negras no "Diário de Bitita" (1986). Tematicas, Campinas, SP, v. 30, n. 59, p. 165–192, 2022. DOI: 10.20396/tematicas.v30i59.15885. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tematicas/article/view/15885. Acesso em: 24 fev. 2024.

Resumo

O presente artigo traz uma reflexão crítica das memórias e temporalidades das experiências negras brasileiras que se apresentam na obra Diário de Bitita, publicação póstuma em 1986 da escritora Carolina Maria de Jesus [1914-1977]. Buscamos explorar os contextos de sujeição e resistência presentes na obra que possibilitam discutir, por um lado, a temporalidade e as maneiras de contar sobre si e sobre o mundo que não se encerra em narrativas de dor e sofrimento e, por outro lado, o conjunto de memórias do cotidiano que é capaz de conceber uma narrativa sobre/do Brasil. A articulação temporal do passado escravocrata às experiências de opressão e desigualdades sociais e raciais encenadas em Diário de Bitita, elaboram uma narrativa que tensiona imaginários nacionais hegemônicos, entre eles a ideia de democracia racial. Ademais, a denúncia e crítica social constitutiva da obra é pavimentada por um estilo estético e poético composto de ironias, lembranças, sonhos e desejos. 

https://doi.org/10.20396/tematicas.v30i59.15885
PDF

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Capítulo 1. In: Teoria do Romance II. As formas do tempo e do cronotopo. São Paulo: Editora 34, 2018, p. 15 - 70.

BORGES, Rosane. Escrevivência em Conceição Evaristo: armazenamento e circulação dos saberes silenciados. DUARTE, Constância Lima & NUNES, Isabella Rosado (Org.). In: Escrevivência, a escrita de nós: Reflexões sobre a obra de Conceição Evaristo. Rio de Janeiro: Mina Comunicação e Arte, 2020, p. 182-204.

CHRISTIAN, Barbara. A disputa de teorias. Rev. Estud. Fem., v. 10, n. 1, p. 85-97, 2002.

DALCASTAGNÈ, Regina. Ausências e estereótipos no romance brasileiro das últimas décadas: alterações e continuidades. Porto Alegre: Letras de hoje, v. 56, n. 1, 2021.

EVARISTO, Conceição. A Escrevivência e seus subtextos. DUARTE, Constância Lima & NUNES, Isabella Rosado (Org.). In: Escrevivência, a escrita de nós: Reflexões sobre a obra de Conceição Evaristo. Rio de Janeiro: Mina Comunicação e Arte, 2020, p. 26-46.

GONZALEZ, Lélia. Racismo e sexismo na cultura brasileira. Revista Ciências Sociais Hoje, ANPOCS, p. 223-244, 1984.

HALBWACHS, Maurice. Memória Coletiva e Memória Individual; Memória Coletiva e Memória Histórica. In: A memória coletiva. São Paulo: Vértice, 1990, p. 11-37.

HARTMAN, Saidiya. Vênus em dois atos. Revista Eco-Pos, v. 23, n. 3, p. 12-33, 2020.

JESUS, Carolina Maria de. Diário de Bitita. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

MBEMBE, Achille. Crítica da razão negra. São Paulo: N-1 Edições, 2018.

MORAES, Ana Cristina de & CASTRO, Francisco Mirtiel Frankson Moura. Por uma estetização da escrita acadêmica: poemas, cartas e diários envoltos em intenções pedagógicas. Revista Brasileira de Educação, v. 23, p. 1-15, 2018.

NASCIMENTO, Abdias. O Genocídio do Negro Brasileiro: Processo de um Racismo Mascarado. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terras/A, 1978.

PALMEIRA, Moacir. Política e tempo: nota exploratória. In: PEIRANO, Mariza (Org.). O dito e o feito. Ensaio de antropologia dos rituais. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, Núcleo de Antropologia da Política, 2002, p. 171-178.

POLLAK, Michael. Memória e identidade social. Estudos Históricos, n. 10, 1992.

POLLAK, Michael. Memória, Esquecimento, Silencio. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 2, n. 3, 1989.

TELLES, Edward E. O significado da raça na sociedade brasileira. Princeton e Oxford: Princeton University Press, 2012.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Amanda Moura Souto, Matheus Silva Freitas

Downloads

Não há dados estatísticos.