Banner Portal
A construção social acerca da banalidade do mal em Hannah Arendt
PDF

Palavras-chave

Hannah Arendt
Mal
Banalidade

Como Citar

GUIMARÃES, Vinicius Oliveira Seabra. A construção social acerca da banalidade do mal em Hannah Arendt. Tematicas, Campinas, SP, v. 27, n. 54, p. 59–72, 2019. DOI: 10.20396/tematicas.v27i54.12338. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tematicas/article/view/12338. Acesso em: 17 jul. 2024.

Resumo

Esse artigo se propõe a analisar o conceito de ‘banalidade do mal’, como concebe a filósofa alemã de origem judaica, Hannah Arendt (1906-1975), especialmente a partir do julgamento de Adolf Eichmann, em 1961, em Jerusalém. Contudo, faz-se necessário registrar que a proposta aqui não é de caráter jurídico ou técnico acerca dos processos legais da condenação de Adolf Eichmann, pois isso requer outra abordagem teórica. Então, a proposta desse texto é compreender a noção filosófica e social da maldade como parte estrutural da sociedade moderna. Para tanto, na perspectiva arendtiana, entende-se que não há de um lado o mal e do outro lado o bem, de forma dicotomizada e dualística, pelo contrário, o percurso teórico-metodológico proposto por Hannah Arendt visa à compreensão do mal a partir dos bons, dos comuns, dos normais, sendo esses os agentes sociais quem mantém a lógica estrutural da ‘banalidade do mal’ no contexto da modernidade

https://doi.org/10.20396/tematicas.v27i54.12338
PDF

Referências

ARENDT, Hannah. A condição humana. 10 ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007.

ARENDT, Hannah. A dignidade da política: Ensaios e Conferências. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1993.

ARENDT, Hannah. Eichmann em Jerusalém: Um relato sobre a banalidade do mal. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

ARENDT, Hannah. Origens do Totalitarismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

BERMEJO, Benito. El fotógrafo del horror: la historia de Francisco Boix y las fotos robadas a los SS de Mauthausen. Barcelona: RBA Libros, 2015.

MARX, Karl. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo editorial, 2008.

SILVA, Thiago Dias da. Mal, modernidade e pensamento em Hannah Arendt: Sócrates e Eichmann em perspectiva. Dissertação (Mestrado) – Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, São Paulo, 2013.

SOUKI, Nádia. Hannah Arendt e a banalidade do mal. Belo Horizonte: UFMG, 1998.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2019 Vinicius Oliveira Seabra Guimarães

Downloads

Não há dados estatísticos.