Banner Portal
Introdução
PDF

Palavras-chave

Construção do ódio

Como Citar

VEDOVELLO, Camila de Lima; ALBUQUERQUE, Fabiane Cristina; YAREDY, Thayná Jesuina França. Introdução. Tematicas, Campinas, SP, v. 27, n. 54, p. 9–14, 2019. DOI: 10.20396/tematicas.v27i54.12335. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tematicas/article/view/12335. Acesso em: 17 jul. 2024.

Resumo

A construção social de monstros (COHEN, 2000) e bandidos (MISSE, 2010), como uma antítese ao que é humano, de bem, atravessa a constituição dos Estados. Fanon (1968) já nos falava sobre o caráter maniqueísta e totalitário do mundo colonial, onde o colonizado era estabelecido como maléfico, desumanizado. Reelaborando essas leituras, Mbembe (2017) vê como a construção da desumanização traz a separação e cria uma falta de vergonha em estigmatizar e endereçar somente aos nossos a possibilidade de ser visto como um ser humano. É a produção de uma classe de indesejáveis que tornará possível redirecionar uma parcela da sociedade ao lugar da banalidade da violência e da morte, delimitada aos negros – e, também, a outros grupos considerados inferiores. Há também um rancor, nas sociedades contemporâneas (CHOMSKY, 2017) quando a rivalidade entre os trabalhadores no neoliberalismo faz sentir seus efeitos na vida cotidiana através de uma crescente competição. Significativas mudanças estruturais no mundo do trabalho são percebidas por Harvey (1993) que, aponta como esses arranjos de empregos flexíveis criam uma grande insatisfação trabalhista, gerando competição entre os trabalhadores, que começam a depreciar seus concorrentes, emergindo – pela concorrência acentuada – o racismo, sexismo, machismo, xenofobia (Harvey, 2018), sentimentos são cooptados por políticos como Donald Trump, nos EUA, Le Penn na França, Lega Nord na Itália e Jair Bolsonaro no Brasil, através de promessas de restituição de ordem e progresso.

https://doi.org/10.20396/tematicas.v27i54.12335
PDF

Referências

ALEXANDER, Michelle. A nova segregação: racismo e encarceramento em massa. São Paulo: Boitempo, 2018.

BUTLER, Judith. Precarious life: The Powers of Mourning and violence. London: Verso, 2004.

COHEN, Jeffrey Jerome. A Cultura dos Monstros: Sete Teses. in SILVA, Tomaz Tadeu da (Org.). Pedagogia dos Monstros. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

CHOMSKY, Noam. Sistema neoliberal coloca trabalhadores uns contra os outros, diz Noam Chomsky. Operamundi. 4. Julho 2017. Disponível em: https://operamundi.uol.com.br/politica-e-economia/47491/sistema-neoliberal-coloca-trabalhadores-uns-contra-os-outros-diz-noam-chomsky. Acesso em: 20 out. 2018.

FANON, Frantz. Os Condenados da Terra. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1968.

GRAHAM, Stephen. Cidades sitiadas: o novo urbanismo militar. São Paulo: Boitempo, 2016.

HARVEY, David. A condição pós-moderna. Uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo: Edições Loyola, 1993.

HARVEY, David. A loucura da razão econômica: Marx e o capital no século XXI. São Paulo: Boitempo, 2018.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. São Paulo: n-1 edições, 2018.

MBEMBE, Achille. Políticas da Inimizade. Ed. Antígona. São Paulo. 2017.

MISSE, Michel. Crime, sujeito e sujeição criminal: aspectos de uma contribuição analítica sobre a categoria” bandido”. Lua Nova, n. 79, 2010.

WACQUANT, Loic. As prisões da miséria. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2019 Camila de Lima Vedovello, Fabiane Cristina Albuquerque, Thayná Jesuina França Yaredy

Downloads

Não há dados estatísticos.