Banner Portal
O predomínio da ontologia biocientífica
PDF

Palavras-chave

Ontologia
Biociências
Pós-modernidade

Como Citar

Paschoalotte Leandro Módolo. O predomínio da ontologia biocientífica: em busca dos novos significados histórico-sociais. Tematicas, Campinas, SP, v. 22, n. 44, p. 177–200, 2014. DOI: 10.20396/tematicas.v22i44.10976. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tematicas/article/view/10976. Acesso em: 20 maio. 2024.

Resumo

Este trabalho pretende trazer à baila algumas das atuais investidas biocientíficas na construção de narrativas e explicações para questões que tradicionalmente se constituíram no âmbito das Ciências Humanas. Visa, assim, apreender o que há de efetivamente novo em seus significados histórico-sociais. Para tanto, concentraremos atenção especial às respostas ontológicas que as biociências vêm dando à questão “O que é o homem?”. A ideia é apresentar as obras Armas, Germes e Aço e Tábula Rasa de Jared Diamond e Steven Pinker, respectivamente, autores consagrados no campo das Ciências Naturais contemporâneas, tendo em vista, entre outras características, a crítica que desferem a duas importantes características do campo do saber “pós-moderno”: o seu caráter antiontológico e seu fundamento antimetanarrativo. A ideia por nós defendida é de que a lacuna teórica aberta durantes as décadas de 70 e 80 pelo discurso pós-modernista foi uma das responsáveis pela disseminação da ontologia-biocientífica. 

https://doi.org/10.20396/tematicas.v22i44.10976
PDF

Referências

BEHE, M. A caixa preta de Darwin. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2000.

BLANC, M. Os herdeiros de Darwin. São Paulo: Página Aberta, 1975.

BOCK, K. Natureza Humana e História: uma réplica à sociobiologia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1982.

CASTRO, C. Evolucionismo Cultural – textos de Morgan, Taylor e Frazer. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005.

COMTE, A. Curso de Filosofia Positiva. In: Comte – Os pensadores. São Paulo: Abril Cultural, p. 1-40, 1978.

CORBEY, R. Introduction: Missing Links, or the Ape’s Place in Nature. In: CORBEY, R. &THEUNISSEN, B. (Eds.), Ape, Man, Apeman: Changing Views since 1600, Leiden: Dept. of Prehistory, Leiden University, 1995.

DELMAS-MARTY, M. Todos nós podemos nos tornar suspeitos sob vigilância [Mar,2008]. Entrevistador: Jean-Baptiste Marongiu, Paris, Les Inrocks. Disponível em: http://www.lesinrocks.com/2010/03/19/actualite/societe/nous-pourrions-tous-devenir-des-suspects-sous-surveillance-1132642/. Acesso em: 21 de out. de 2013.

DIAMOND, Jared. Armas, germes e aço: os destinos das sociedades humanas. Rio de Janeiro: Editora Record, 14ª edição, 2012.

EAGLETON, T. Marx e a liberdade. São Paulo: Ed. UNESP, 1997.

EAGLETON, T. As Ilusões do Pós-modernismo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editores, 1998.

EVANGELISTA, J. E. Crise do Marxismo e Irracionalismo Pós-Moderno. São Paulo: Cortez Editora, 1997.

FOUCAULT, M. Aula de 17 de Março de 1976. In: _____. Em defesa da sociedade: Curso no Collège de France (1975-1976). São Paulo: Martins Fontes, p. 283-315, 2005.

GALLUP, J.; GAVIRIA, A.; LORA, E. Geografia é Destino? Lições da América Latina. Trad. Fernando Santos. São Paulo: Ed. UNESP, 2007.

GOODALL, J. The Chimpanzees of Gombe: Patterns of behavior. Cambridge: Harvard University Press, 1986.

GOULD,S. J. 1999. Darwin e os Grandes Enigmas da Vida. São Paulo: Martins Fontes.

GRESLE, F. & CUIN, C-H. História da sociologia. São Paulo: Editora Ensaio, 1994.

HARVEY, D. Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo: Edições Loyola, 1996.

JAMESON, F. Pós-modernismo: a lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo: Editora Ática, 1997.

LATOUR, B. Jamais fomos modernos. Rio de Janeiro: Editora 34, 1994.

LÖWY, M. As aventuras de Karl Marx contra o Barão de Münchhausen: marxismo e positivismo na sociologia do conhecimento. São Paulo: Cortez, 9ª edição, 2007.

LEWONTIN, R.; ROSE, S.; KAMIN, L. J. Not in our genes: Biology, ideology and human nature. New York: Pantheon Books, 1984.

NANDA, M. Contra a destruição/descontrução social da ciência: histórias cautelares do terceiro mundo. In: WOOD, E. & FOSTER, J. B. EmDefesa da História: marxismo e pós-modernismo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1999.

NETTO, J. P. “G. Lukács: um exílio na pós-modernidade”. In: _____. Marxismo Impenitente: contribuição à história das ideias marxistas. São Paulo: Cortez, 2004.

PINKER, S. Tábula rasa: a negação contemporânea da natureza humana. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

RIBEIRO LACERDA, A. L. Abordagens biossociais na sociologia biossociologia ou sociologia evolucionista? In: Revista Brasileira de Ciências Sociais – Vol. 24, n. 70, junho/2009.

RIBEIRO LACERDA, A. L. Sob o espectro de Darwin, In: Revista ComCiência, N. 80. Disponível em: http://www.comciencia.br/comciencia/handler.php?section=8&edicao=17&id=168. Acesso em: 10 de mar. de 2014.

RIFKIN, J. O século da biotecnologia. São Paulo: Makron Books, 1999.

ROUANET, S. P. As Razões do Iluminismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

RUSE, M. Sociobiologia: senso ou contra-senso?. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: EdUSP, 1983.

SAHLINS, M. The use and abuse of Biology. An Anthropological critique of Sociobiology. Ann Arbor: Michigan Press. 1976.

SOKAL, A. & BRICMONT, J. Imposturas Intelectuais: o abuso da ciência pelos filósofos pós-modernos. Rio de Janeiro: Record, 1999.

TOGNOLLI, C. A falácia genética: a ideologia do DNA na imprensa. São Paulo: Ed. Escrituras, 2003.

WAIZBORT, R. Notas para uma aproximação entre o neodarwinismo e as ciências sociais. In: História, Ciências, Saúde. Manguinhos, Vol. 12, n. 2, p. 293-318, maio-ago. 2005.

WILSON, E. Sociobiology: the new synthesis. Cambridge: Harvard University Press, 1975.

WILSON, E. A unidade do conhecimento: consiliência. Rio de Janeiro: Campus,1999.

WOLFF, F. Nossa Humanidade: de Aristóteles às neurociências. São Paulo: Ed. UNESP, 2011.

WHITEN, A.; GOODALL, J.; McGREW, W. C.; NISHIDA, T.; REYNOLDS, V.; SUGIYAMA, Y.;TUTIN, C. E. G.; WRANGHAM, R. W. & BOESCH, C. Cultures in chimpanzees. In: Nature, Vol. 399, p. 682-85, 1999.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2014 Leandro Módolo Paschoalotte

Downloads

Não há dados estatísticos.