Redes sociais virtuais: territórios abertos para a história da educação

Autores

  • Robson Fonseca Simões UNIR- UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA

DOI:

https://doi.org/10.20888/ridphe_r.v1i1.9232

Resumo

As práticas discursivas que permeiam o nosso cotidiano nas mais diferentes instâncias de socialização têm sido exploradas como locus privilegiado de investigação nas mais diversas áreas científicas: linguística, antropologia, psicologia, literatura etc. A História da Educação também entra em cena nesses estudos, propondo tornar mais visíveis os caminhos da construção da memória ou das memórias que nos constituem como sujeitos históricos. Assim, busca-se neste texto, analisar algumas escritas dos ex-alunos do colégio Pedro II, uma instituição pública da cidade do Rio de Janeiro, mais especificamente, na categoria escolas e cursos na comunidade do Orkut, procurando espiar por uma fresta os horizontes de sentidos nas narrativas que contam as histórias daqueles sujeitos. Nesse sentido, traz para o debate as escritas virtuais considerando-as fontes historiográficas para o campo da História da Educação. Por que as escolas percorrem o espaço virtual? Os depoimentos criam chances para analisar os usos e as funções da cultura escrita, descrevendo nas entrelinhas midiáticas outras histórias que perpassam a vida escolar. Valho-me dos estudiosos Chartier (2007), Alberca (2000), Muzart (1998), Certeau (1982), Lévy (1999), Nunes (2005) e Le Goff (1984) para me ajudar a pensar que os sujeitos também se constroem nos mais diversos suportes de escrita.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Robson Fonseca Simões, UNIR- UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA

Professor Adjunto do Departamento de Ciências da Educação, Núcleo de Ciências Humanas da Universidade Federal de Rondônia - UNIR, Campus Porto Velho; atua na Graduação e nas Licenciaturas Plenas; docente do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEE/MEPE/UNIR) na seguinte linha de pesquisa: Práticas pedagógicas, inovações curriculares e tecnológicas. Coordenador Adjunto do Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio, MEC/UNIR/SEDUC/RO, um programa de formação continuada do governo federal. Doutor em Educação (2012) pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da UERJ; Mestre em Educação (2007) pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da UERJ; graduado em Letras (2003) pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Tem experiência na área da Educação, atuando nos seguintes temas: Educação profissional e tecnológica, Ações pedagógicas e as novas tecnologias, Histórias de vidas escolares e cultura digital. Autor de livros, artigos e comunicações em eventos nacionais e internacionais. Tem apresentado trabalhos no SIMPÓSIO IBEROAMERICANO: HISTÓRIA, EDUCAÇÃO, PATRIMÔNIO EDUCATIVO, no COLE (Congresso de Leitura do Brasil), no CIPA (Congresso Internacional de Pesquisa Autobiográfica) e no EDAPECI (Educação a distância e práticas educativas comunicacionais e interculturais). É membro associado da Biograph - Associação Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica.

Downloads

Publicado

2015-12-19

Como Citar

SIMÕES, Robson Fonseca. Redes sociais virtuais: territórios abertos para a história da educação. RIDPHE_R Revista Iberoamericana do Patrimônio Histórico-Educativo, Campinas, SP, v. 1, n. 1, p. 111–127, 2015. DOI: 10.20888/ridphe_r.v1i1.9232. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ridphe/article/view/9232. Acesso em: 13 jul. 2024.