O Patrimônio além dos olhos: arte de expor o patrimônio natural para pessoas com deficiência visual no Aquário do Museu Paraense Emílio Goeldi, Pará, Amazônia, Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20888/ridphe_r.v9i00.18379

Palavras-chave:

Patrimônio natural, Exposição, Acessibilidade

Resumo

Nos dias atuais as exposições museológicas têm a função de tornar o conhecimento acessível a todos, incluindo pessoas com deficiência visual (PCDV) e Baixa visão (BV), que geralmente são excluídos por métodos expositivos somente visuais. Portanto, este trabalho realizou uma análise da acessibilidade na exposição “Baleia à vista” no Aquário Jacques Huber (AJH) para PCDV e BV, a partir das dimensões de acessibilidade arquitetônica e comunicacional por Romeu Sassaki. Para tal, o método aplicado foi a observação do espaço a partir das normas de acessibilidade; e a narrativa expográfica foi a partir da entrevista com o curador e com as PCDV e BV. Por fim, conclui-se que os recursos de acessibilidade são ferramentas que potencializam a vivência na exposição, em especial quando são humanizados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Martha Carvalho, Universidade Federal do Pará, Brasil

Mestrado em Ciências do Patrimônio Cultural pelo Instituto de Tecnologia da Universidade Federal do Pará.

Sue Anne Regina Ferreira da Costa, Universidade Federal do Pará, Brasil

Doutorado em Geologia e Geoquímica. Professora da Universidade Federal do Pará, nos cursos de Graduação em Museologia e Pós-Graduação em Ciências do Patrimônio Cultural. Integra o Laboratório de Pesquisa em Reservas Técnicas (LAPRET) e o Laboratório de Conservação Preventiva do Patrimônio Móvel (LCPPM) com acervos de História Natural. Desenvolve pesquisas sobre Museus, Acervos e Patrimônios Naturais, com enfoque na descolonização e especificidades da região amazônica. 

Referências

ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR9050. Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaço e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro, 2004.

BINS ELY, V.H.M.; Dischinger, M.; Daufenbach, K.; Ramos, J. & Cavalcanti, P. Desenho Universal: por uma arquitetura inclusiva. Florianópolis: Grupo PET/Arq/ SESu/ Universidade Federal de Santa Catarina, 2003.

Brasil. Subsecretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Comitê de Ajudas Técnicas. Tecnologia Assistiva. – Brasília: CORDE, 2009. 138 p. Disponivel em: <http://www.galvaofilho.net/livro-tecnologia-assistiva_CAT.pdf> Acesso em 10 de março de 2023

CALADO, M. Carreto, C. Carreto, R. Design e Processo Expositivo: Criação e Comunicação de Ambientes Expositivos. Convergências - Revista de Investigação e Ensino das Arte, Vol IV (8) Retrieved from journal. 2011. URL://convergencias.ipcb.pt

CAMBIAGHI, Silvana. S. “Acessibilidade nos ambientes construídos segundo os conceitos do Desenho Universal”. Texto referente a curso dado na Câmara dos Arquitetos de São Paulo, s/d. Disponível em: http://www.camaradearquitetos.com.br/popups/camara/ texto_silvana_cambiaghi.htm. Acessado em 20 de maio de 2009.

CARDOSO, A. F. “Conheça o projeto ‘Tocar e Sentir’ e confira o sucesso da ‘Primeira Exposição de Quadros para Deficientes Visuais’”. Artigo no site RankBrasil, 2004. Disponível em: <http://www.rankbrasil.com.br/Recordes/Materias/?1%C2%BA_ Exposicao_de_quadros_para_deficientes_visuais+629&Grupo=3>. Acesso em 10 de junho de 2009

CARDOSO, P. & NAMO, D. [coords.] A inclusão social da pessoa com deficiência no Brasil – como multiplicar este direito. São Paulo: Instituto Paradigma; Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, 46p., 2008.

CARLETTO, Ana Claudia; CAMBIAGHI. Silvana. Desenho universal: um conceito para todos. Livro Digital no site maragabrilli. Edição, 1 ed., Editora, S.C.P. (S.L.P.), Data, S/D, 21p, 2007. Disponível em: <https://www.maragabrilli.com.br/wp-content/uploads/2016/01/universal_web-1.pdf>. Acesso em 10 de junho de 2009.

CARVALHO, M. do S. L. de. Acessibilidade, mobilidade urbana e desenho universal: Proposta de intervenção urbanística para área de entorno do Hospital Universitário Bettina Ferro de Souza em Belém – Pará. 2007. 51f. Trabalho de Final de Graduação - Departamento de Arquitetura e Urbanismo, Centro Tecnológico, Universidade Federal do Pará, Belém, 2007.

CARVALHO, M. do S. L. de. Inclusão social em museografia: projetos expositivos para deficientes visuais. VER-A-CIÊNCIA- REVISTA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO ESTADO DO PARÁ, v. 4, p. 50-55, 2013.

CARVALHO, M. do S. L. de. Contribuição para um plano de acessibilidade aos espaços expositivos do Parque Zoobotânico do Museu Goeldi a pessoas com necessidades especiais e públicos com mobilidade reduzida. Seminário Internacional Museografia e Arquitetura de Museus (4: 2014: Rio de Janeiro, RJ). 4º Seminário Internacional Museografia e Arquitetura de Museus: museologia e patrimônio. Cêça Guimaraens organizadora. Rio de Janeiro: FAU/PROARQ. 1CD-Rom, v., n., p.-, 2014. Disponível em: https://arquimuseus.arq.br/seminario2014/indice-autor.html. Acesso em 11 de agosto de 2021.

CASTRO, Aline Rocha de Souza Ferreira de. Caminhando em direção ao museu inclusivo: diagnóstico de acessibilidade da exposição “Memórias da Terra” (Museu da Geodiversidade - IGEO/UFRJ) com o mapeamento das intervenções necessárias. Monografia em Acessibilidade Cultural - Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, RJ. 2014, p.17

CELESTE. Cláudia; Silveira, Camila. Acessibilidade nos museus brasileiros: tendências da produção acadêmica. Revista MUSEOLOGIA & INTERDISCIPLINARIDADE Vol. 8, nº16, Jul./ Dez. de 2019.

COHEN, Regina; Duarte, Cristiane Rose. Acessibilidade aos espaços de ensino fundamental. Relatório de Pesquisa FAPERJ. Núcleo Pró-Acesso/UFRJ. Rio de Janeiro, 2007.

COHEN, Regina; Duarte, Cristiane e Brasileiro, Alice. Acessibilidade a Museus / Regina Cohen, Cristiane Duarte e Alice Brasileiro - Ministério da Cultura / Instituto Brasileiro de Museus. – Brasília, DF: MinC/Ibram, 2012.

COHEN, Regina; Duarte, Cristiane R.; Brasileiro, Alice. Acessibilidade e Patrimônio: uma difícil relação. In: CARDOSO, E & CUTY, J. (Org.). Acessibilidade em ambientes culturais. Porto Alegre: Marca Visual, v. 01, p. 108-135, 2012.

COHEN, Regina; Duarte, Cristiane Rose. Afeto e emoção - sentimentos e sensorialidade: as pessoas com deficiência em seus trajetos urbanos por algumas cidades – a realidade brasileira. Revista do Centro de Pesquisa e Formação / nº 6, junho 2018, p.90.

COLWELL. P. & Mendes. E. Temas de museologia: museus e acessibilidade. Clara Mineiro (coord.). Lisboa: Instituto Português de Museus, 120p. 2004, 94p.

CURY, Marília Xavier. Museologia e Filosofia: Dewey, Pessanha e Platão, Foucault e Habermas. ICOM – International Council of Museums, 1999.

CURY, M. (2005). Comunicação Museológica: um a perspectiva teórica e metodológica de recepção (Tese de doutorado). Ciências da Comunicação - Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

CURY, Marília Xavier. Museologia, novas tendências. In: Museu e Museologia Interfaces e Perspectivas/Museu de Astronomia e Ciências Afins - Organização de: Marcus Granato, Claudia Penha dos Santos e Maria Lucia de N. M. Loureiro. — Rio de Janeiro: MAST, 2009.

DESVALLÉES, André; Mairesse, François. Conceitos-chave de museologia. Paris: ICOM, 2010 Disponível em: . Acesso em 10 de junho de 2021.

COUTO, Doris. Exposições acessibilizadas. In: FRAGA, Hilda Jaqueline de et al. (Org.). Experimentações do patrimônio: diversidades e resistências. Porto Alegre: Editora Fi, 2021. cap. 16. p. 432-459, ISBN: 978-65-5917-137-8. Disponível em: <https://acervo.uniarp.edu.br/wp-content/uploads/livros/137-Experimentacoes-do-patrimonio.pdf>. Acesso em 05 - 01 - 2020.

DUARTE, Cristiane R.; Cohen, Regina; Brasileiro, Alice; Lira, Elza. Acessibilidade e Patrimônio: uma difícil relação. In: CARDOSO, E & CUTY, J. (Org.). Acessibilidade em ambientes culturais. Porto Alegre: Marca Visual, v. 01, p. 108-135, 2012.

DUARTE, Cristiane R.; Cohen, Regina; Brasileiro, Alice; Lira, Elza. “Acessibilidade plena” a museus: perspectivas de uma acessibilidade cultural, sensorial e emocional. In: IV Encontro Nacional de Ergonomia do Ambiente Construído – ENEAC, 2013, Florianópolis. Anais... Florianópolis: ENEAC, 2013, p.21.

FERREIRA, Ana Fátima Berquó. Acessibilidade, informação em arte e comunicação por meio da áudio- descrição em museu de arte. Tese (Doutorado em Museologia e Patrimônio) - Programa de Pós- Graduação em Museologia e Patrimônio, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO; Museu de Astronomia e Ciências Afins – MAST, Rio de Janeiro, 2016.

FONSECA, Maria Cecília Londres. O patrimônio em processo: trajetória da política federal de preservação no Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ/Minc-Iphan, 2005, 295p.

FUNARI, Pedro Paulo; PELEGRINI, Sandra C. A. Patrimônio Histórico e Cultural. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.

GARCÍA CANCLINI, Nestor. O Patrimônio Cultural e a Construção Imaginária do Nacionalismo. In: Revista do Patrimônio Histórico Artístico e Nacional, n°23. Rio de Janeiro: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional/ Ministério da Cultura, 1994, pp.95-115.

GARCÍA CANCLINI, Néstor. “O patrimônio cultural e a construção imaginária da nação”. In: Revista do IPHAN, nº 23, Cidade (org. Heloisa Buarque de Holanda), 2004. p. 96.

GARCÍA CANCLINI, Nestor. Culturas visuais: entre a arte e o patrimônio. In: A sociedades sem relato. Edusp. 2012. P. 65-98

GARCÍA CANCLINI, Nestor. O Porvir do Passado. In: Culturas Híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. Nueva Edición: Paidós. 2005. P. 157-204

GARCÍA LUCERGA, M.A. El acceso de las personas deficientes visuales al mundo de los museos. Tese de mestrado. Universidad Complutense de Madrid. Sección de Cultura, 85p., 1993.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed. São Paulo: Atlas, p. 55-56, 2002.

GRACIOLA, Ana Rita. Acessibilidade comunicacional: os processos de comunicação na inclusão social de pessoas com deficiência. Monografia. Porto Alegre, 05/08/2014.

GUSMÃO, S. Redação de artigo científico. Arq Bras Neurocir 30 (2): 44-50, 2011.

GRUPO MUSEUS E CENTROS DE CIÊNCIAS ACESSÍVEIS (MCCAC). Guia de museus e centros de ciências acessíveis da América Latina e do Caribe / organizado por Jessica Norberto Rocha... [et al.]; ilustrado por Barbara Mello. – Rio de Janeiro: Museu da Vida/ Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz: RedPOP; Montevidéu: Unesco, 2017. < GUIA-PT-Final_sem-audiodescrição.pdf (grupomccac.org)>

IBRAM. Subsídios para a elaboração de planos museológicos. Brasília. 2012.

IBRAM. Guia para projetos de arquitetura de museus. Brasília. 2020.

LIMA, Diana Farjalla Correia. Museologia-Museu e Patrimônio, Patrimonialização e Musealização: ambiência de comunhão. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, v.7, n.1, p. 31-50, jan.-abr.2012.

LIMA, Diana Farjalla Correia. Musealização: um juízo/uma atitude do campo da museologia integrando musealidade e museália. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 42 n. 3, p.379-398, set./dez., 2015.

MARTINS FARIAS, Sandra. Exposição como meio de comunicação museológica. In: 3 Seminário Internacional Museografia e Arquitetura de Museus - Conservação e técnicas sensoriais, 2012, Rio de Janeiro. Exposição como meio de comunicação museológica. Rio de Janeiro-Lisboa: UFRJ-FAU-PROARQ, 2012. v. 1. p. ---.

MARANDINO, Martha. Enfoques de educação e comunicação nas bioexposições de museus de ciências. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 3, n. 1, p. 103-120, 2003.

MARANDINO, Martha; KRASILCHIK, Myriam. O conhecimento biológico nas exposições de museus de ciências: análise do processo de construção do discurso expositivo. 2001.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

MEDEIROS, A. T. F.; ELALI, G. V. M. A. Promovendo a inclusão: uma experiência de participação de pessoa com deficiência visual no desenvolvimento de um projeto arquitetôncio. Ação Ergonômica, v. 7, p. 61-75, 2012.

MUSEUMS AND GALLERIES COMMISSION. Planejamento de Exposições. Trad. Maria Luiza Pacheco Fernandes. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; Vitae, 2001. – (Série Museologia, 2).

MUSEU PARAENSE EMÍLIO GOELDI. Aquário Jacques Huber. Disponível em: <https://www.museu-goeldi.br/assuntos/visitacao/aquario-jacques-huber>, 2019. Acesso em 10 de junho de 2021.

MUSEU PARAENSE EMÍLIO GOELDI. Apresentação — Museu Paraense Emílio Goeldi <https://www.museu-goeldi.br/assuntos/o-museu/apresentação>, 2019. Acesso em 10 de junho de 2021

MUSEU PARAENSE EMÍLIO GOELDI. tcg-2018.pdf (museu-goeldi.br) Disponível em: < tcg-2018.pdf (museu-goeldi.br) >. Acesso em 10 de junho de 2021

OLIVEIRA, A.S.D.A. de. Acessibilidade espacial em Centro Cultural: estudo de caso. Dissertação de Mestrado em Arquitetura e Urbanismo. Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-graduação, 213 p., 2006.

PERICHI, C.C. O que é museografia?. In: ARNAUT, J.K.E. & ALMEIDA, C.A.F. de (Org.) Museografia: a linguagem dos museus a serviço da sociedade e de seu patrimônio cultural. São Paulo: Organização dos Estados Americanos, Ministério da Cultura, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, p. 17-37, 1997.

PORTAL DO GOVERNO. João Sayad e Gilberto Gil anunciam a 5ª Semana Nacional de Museus. Site do Governo de São Paulo. São Paulo, Mai. 2007. Disponível em: < https://www.saopaulo.sp.gov.br/ultimas-noticias/joao-sayad-e-gilberto-gil-anunciam-a-5-semana-nacional-de-museus/>. Acesso em 29/05/2023.

SALGADO, Maurício de Mattos; Marandino, Martha. O mar no museu: um olhar sobre a educação nos aquários. Hist. cienc. saúde-Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 21, n. 3, p. 867-882, set. 2014. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010459702014000300867&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em 23 jan. 2021.

SANJAD, N. A coruja de Minerva: o Museu Paraense entre o Império e a República, 1866-1907. Rio de Janeiro, 2005. (Tese Doutorado) - Casa de Oswaldo Cruz, Fundação Instituto Oswaldo Cruz, 310-311p., 314 p.,2010.

SANJAD, Nelson. “Jacques Huber (1867-1914) e a Botânica Amazônica: Notas Preliminares Para Uma Biografia Intelectual.” Anais do 54. Congresso Nacional de Botânica (2003): n. pag. 12.

SANTANA, Guilherme Alves de. Sacramento, Alice Cristina do. Silva, Rebeca Seabra. Galvão, Geysa Karla Alves. Análise do processo comunicacional de uma instituição Museológica de Pernambuco. Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio – PPG-PMUS Unirio | MAST - vol. 4 no 1 – 2011.

SANTOS. Silvia. Educação Ambiental em Aquários: Comparação de Exposições em Portugal e no Brasil.

SARRAF, V.P. A inclusão dos deficientes visuais nos museus. Revista MUSAS, 2: 81-86, 2006.

SARRAF, V.P. Acessibilidade para pessoas com deficiência em espaços culturais e exposições: inovação no design de espaços, comunicação sensorial e eliminação de barreiras atitudinais. In: Cardoso, E & Cuty, J. (Org.). Acessibilidade em ambientes culturais. Porto Alegre: Marca Visual, v. 01, p. 60-78, 2012.

SARRAF, V. P. Acessibilidade em Espaços Culturais: mediação e comunicação sensorial. São Paulo: EDUC – FAPESP, 2015.

SARRAF, V. P. Cultura acessível: curadoria, comunicação e formação de público (texto da palestrante). São Paulo: Itaú Cultural e Centro de Memória Bunge, 2015. Publicado no website do Itaú Cultural. Disponível em: Acesso em: set. 2017.

SARRAF, V.P. Acessibilidade cultural para pessoas com deficiência – benefícios para todos. In: RESENDE, M. I. & LADISLAU, L. (Org.) Revista do Centro de Pesquisa e Formação. São Paulo: SESC, n.6, p. 23-43, junho. 2018.

SASSAKI, Romeu Kazumi. Inclusão: Construindo uma sociedade para todos. 2ª ed., Rio de Janeiro: WVA, 1997.

SASSAKI, Romeu Kazumi. Inclusão: o paradigma do século 21. Revista Inclusão, da Seesp/MEC, ano I, n. 1, out. 2005, p. 19-23. Disponível em: < https://www.apabb.org.br/noticias/inclusao-o-paradigma-do-seculo-21-1182.html> Acesso em 05 - 01 - 2020.

SILVA, Sabrina Damasceno; LOUREIRO, José Mauro Matheus. Museus de História Natural, Dispositivos Curatoriais e Informação: diafanizações de uma “ordem natural” Perspectivas em Ciência da Informação, v.24, n.3, p.133-146, jul/set. 2019.

SOARES, Karol Gillet; Higuchi, Horácio; Carvalho, Martha. Acessibilidade e inclusão social no Aquário do Museu Paraense Emílio Goeldi. 2013.

SONZA, A.P. & Santarosa, L. M. C. Ambientes digitais virtuais: acessibilidade aos deficientes visuais. Revista Novas Tecnologias na Educação, 1(1): 1-11, 2003.

TOJAL, Amanda Pinto da Fonseca. Políticas públicas culturais de inclusão de públicos especiais em museus. 2007. Tese (Doutorado em Cultura e Informação) - Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. doi:10.11606/T.27.2007.tde-19032008-183924. Acesso em: 27-01-2021.

TOJAL, Amanda Pinto da Fonseca. Acessibilidade e inclusão de públicos especiais em museus. Caderno de acessibilidade: reflexões e experiências em exposições e museus, p. 11-19, 2010.

TOJAL, Amanda Pinto da Fonseca. Ação educativa inclusiva e comunicação museológica: mudanças de paradigmas. Caderno Tramas da Memória – Acessibilidade e Linguagens, p. 15-39, 2013.

TOJAL, A. P. da F. Política de acessibilidade comunicacional em museus: para quê e para quem?. Museologia & Interdisciplinaridade, 4(7), 190–202, 2015. Disponivel em: <https://doi.org/10.26512/museologia.v4i7.16779>. Acesso em 05 - 01 - 2020.

TOLEDO, Peter mann de. Basto, Vera Burlamaque; Crispino, Luís Carlos Bassalo; As origens do Museu Paraense Emílio Goeldi: Aspectos Históricos e Iconográficos (1860-1921). Belém: Editora Paka-Tatu, 2006.

VEIGA, Ana Cecília Rocha. Palestra Gestão de Projetos de Museus e Exposições - Inverno no MhAB. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

VIÑAS, Salvador Muñoz. Teoría contemporánea de la restauración. Madri: Edítorial Sintesis, 2003.

ZAMBONI, A.A. & HEITZMAN, P.Z. Acorda e escuta Londrina: a experiência da revista radiofônica produzida pelos deficientes visuais do Instituto Londrinense de Instrução e Trabalho para Cegos. Londrina: UNOPAR, 2005.

Downloads

Publicado

2023-12-31

Como Citar

CARVALHO, Martha; FERREIRA DA COSTA, Sue Anne Regina. O Patrimônio além dos olhos: arte de expor o patrimônio natural para pessoas com deficiência visual no Aquário do Museu Paraense Emílio Goeldi, Pará, Amazônia, Brasil. RIDPHE_R Revista Iberoamericana do Patrimônio Histórico-Educativo, Campinas, SP, v. 9, n. 00, p. e023029, 2023. DOI: 10.20888/ridphe_r.v9i00.18379. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ridphe/article/view/18379. Acesso em: 23 abr. 2024.