Faculdade de educação da USP

um retrato e alguma memória

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20888/ridpher.v7i00.16075

Palavras-chave:

Memória, Faculdade de Educação da USP, Colégio de Aplicação, Centro Regional de Pesquisas Pedagógicas, Movimento estudantil

Resumo

Este artigo procura contemplar a criação da Faculdade de Educação da USP em 1970, tendo como fio narrativo material memorialístico produzido pela autora.  A partir daí, objetiva contextualizar a emancipação da Faculdade de Educação da matriz original, a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP. Tendo como pano de fundo o processo político vivido pela Universidade nos anos que antecederam e se seguiram à Reforma Universitária de 1968, discute as repercussões no plano interno da do Departamento de Educação e da Faculdade de Educação, relacionadas à devolução do Colégio de Aplicação à rede pública, bem como ao esvaziamento do Centro Regional de Pesquisas Educacionais de São Paulo a partir de 1970.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cecilia Cortez Christiano de Souza, Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, Brasil

Maria Cecilia Cortez Christiano de Souza é professora titular na Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. É licenciada, mestra, doutora, livre docente e titular do Departamento de Filosofia da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. Recebeu em 2013 o prêmio Odara/Patrimônio e História da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial da Cidade de São Paulo em reconhecimento pela sua atuação. Trabalha principalmente com os seguintes temas: relações étnico raciais na escola, história da psicologia e da psicanálise na educação brasileira. Fonte: Currículo Lattes.

Referências

AZANHA, José Mário. Roque Spencer Maciel de Barros: defensor da escola pública. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 25, n. 1, p. 167-169, jan./jun. 1999.

BONTEMPI JR., Bruno. O Manifesto dos Educadores de 1959 revisitado: evento, narrativas e discursos. Cadernos de Pesquisa, 51, Fundação Carlos Chagas, São Paulo, 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/PKWhVNJW9DQZZnFSc7CdkYt

BONTEMPI JR., Bruno. Do Instituto de Educação à Faculdade de Filosofia da Universidade de São Paulo. Cadernos De Pesquisa, São Paulo, v 41 n. 142, p. 188–207. 2013. Disponível em http://publicacoes.fcc.org.br/index.php/cp/article/view/124

BONTEMPI JR., Bruno. A cadeira de história e filosofia da educação da USP entre os anos 40 e 60: um estudo das relações entre a vida acadêmica e a grande imprensa. 2001. 301 f. Tese (Doutorado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2001.

CANDIDO, Antonio. [1972]. A verdade da repressão. Revista USP, v.9, pp. 27-30. São Paulo, 1991. Disponível em: https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i9p27-30. Acesso em 13 de janeiro de 2022.

CANDIDO, Antonio. Integralismo = fascismo? in ________. Teresina etc. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1980.

CARDOSO, Fernando H. Memórias da Maria Antonia. In SANTOS, Maria Cecilia L. dos. (org.) Maria Antonia uma rua na contramão. São Paulo, Nobel, 1988.

CELESTE FILHO, Macioniro. A reforma universitária e a Universidade de São Paulo: década de 1960. 293 f. Tese (Doutorado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2006.

CHAUI, Marilena. Entrevista. In CORDEIRO, Denílson C.; FURTADO, Joaci P. A arte da aula. São Paulo, Ed. Sesc SP, 2019.

CORDEIRO, Denilson Soares. A formação do discernimento: Jean Maugüé e a gênese de uma experiência filosófica no Brasil. 2008. Tese (Doutorado em Filosofia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8133/tde-22012010-170532/pt-br.php. Acesso em: 2022-01-15

FERREIRA, Oliveiros S. Maria Antonia començou na praça. In SANTOS, Maria Cecilia L. dos. (org.) Maria Antonia uma rua na contramão. São Paulo, Nobel, 1988.

GIANOTTI, José Arthur. Maria Anônia: uma certa geração da Faculdade de Filosofia. In SANTOS, Maria Cecilia L. dos. (org.) Maria Antonia uma rua na contramão. São Paulo, Nobel, 1988.

JANOTTI, Maria de Lourdes M. Problemas Metodológicos: depoimentos e repressão. Cadernos CERU. São Paulo, Série 2, n.12, 2001.

PILETTI, N. Laerte Ramos de Carvalho: a formação e os estudos histórico-filosóficos. São Paulo. Revista da Faculdade de Educação, 14(2), 235-258. 1988.

SANTOS, Alexsandro Nascimento. Origens da Faculdade de Educação da USP: o Departamento de Educação da F.F.C.L. (1962-1969). 2015 Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-05042016-133652/pt-br.php. Acesso em: 2022-01-13.

SILVA, Franklin Leopoldo e. A experiência universitária entre dois liberalismos. Tempo Social, [S. l.], v. 11, n. 1, p. 1-47, 1999. DOI: 10.1590/S0103-20701999000100001. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/ts/article/view/12291. Acesso em: 17 jan. 2022.

TROILLOT, Michel-Ralph. Silencing the Past: Power and production of History. Boston, Beacon Press.1995.

VIDAL, Diana Gonçalves; BONTEMPI JR., Bruno; SALVADORI, Maria Angela Borges. Tempos Pretéritos e Escolhas de Futuro: a Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo e a formação docente. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 41, n. spe, p. 1419-1440, dez. 2016. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-31432016000500005&lng=pt&nrm=iso. Acessos em 16 jan. 2022.

Downloads

Publicado

2021-12-28

Como Citar

SOUZA, M. C. C. C. de . Faculdade de educação da USP : um retrato e alguma memória. RIDPHE_R Revista Iberoamericana do Patrimônio Histórico-Educativo, Campinas, SP, v. 7, n. 00, p. e021038, 2021. DOI: 10.20888/ridpher.v7i00.16075. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ridphe/article/view/16075. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

DOSSIÊ TEMÁTICO