A Faculdade de Educação pela clivagem dos livros

Biblioteca do Livro Didático e Biblioteca Paulo Bourroul

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20888/ridpher.v7i00.16060

Palavras-chave:

Biblioteca da Faculdade de Educação da USP, Biblioteca do Livro Didático (BLD), Biblioteca Paulo Bourroul

Resumo

Este artigo propõe-se a reconstituir a trajetória de dois acervos reservados da Biblioteca da Faculdade de Educação da USP: a Biblioteca do Livro Didático (BLD) e a Biblioteca Paulo Bourroul. A Biblioteca do Livro Didático constituiu-se a partir dos anos finais de 1980, quando ocorreu na Faculdade de Educação da USP a organização de um acervo de livros didáticos vinculado a projetos de pesquisa sobre a história de livros, currículos e disciplinas escolares. A constituição inicial da biblioteca deu-se em meados dos anos 90 e foi formada por acervos particulares de pesquisadores, em especial da professora Circe Bittencourt, que sempre teve o livro didático como objeto central de sua pesquisa. A Biblioteca Paulo Bourroul chegou à Faculdade de Educação no final da década de 1970, quando a instituição (FEUSP) recebeu da Secretaria de Cultura, Ciência e Tecnologia a doação de parte do acervo constituído ao longo de um século de história da formação docente em São Paulo. Composto por aproximadamente 6.500 títulos, em 8.000 volumes, publicados entre o início do século XVII e meados do XX, esse acervo se tornou uma das “coleções especiais” que integram a Biblioteca da FEUSP, o que deu à Faculdade a possibilidade de guarda e conservação de um conjunto de obras raras, que perpassam diferentes momentos históricos, áreas do conhecimento e tendências literárias, principalmente de impressos escolares destinados à formação do magistério.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Circe Bittencourt, Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, Brasil

Possui graduação em História pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - USP (1967), pós-graduação em Metodologia e Teoria de História pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - USP (1969), mestrado em História Social pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - USP (1988) e doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo (1993). Foi professora de Metodologia do Ensino de História e atualmente desenvolve pesquisas com projetos de pós-graduação da FEUSP. Entre 2007 a 2019 foi professora e orientadora do Programa de Educação da PUCSP ( EHPS) e atualmente é professora convidada do Programa de Pós Graduação do ProfHistória- UNIFESP- Guarulhos. Tem experiência na área de ensino de História, história das disciplinas e currículos escolares e história da educação indígena. Desenvolve pesquisas sobre história dos livros didáticos brasileiros, mantendo a organização do banco de dados LIVRES referente aos livros didáticos brasileiros de 1810 aos dias atuais na FEUSP. Fonte: Currículo Lattes.

Carolina Mostaro Neves da Silva, Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, Brasil.

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo, na área temática "História da Educação e Historiografia" (2016). Mestre em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, na linha de pesquisa História da Educação (2010). Graduada em História pela Universidade Federal de Minas Gerais. Pós-doutoranda no projeto temático "SABERES E PRÁTICAS EM FRONTEIRAS: por uma história transnacional da educação (1810-...)", com financiamento FAPESP, sob supervisão da professora Carlota Boto. Integrante do Grupo de Pesquisa História e historiografia das ideias e dos intelectuais da educação (CNPq/FEUSP) e do Grupo de Estudos de Filosofia e História das Ideias Pedagógicas (GEFHIPE). Professora da Faculdade do Educador (FEDUC). Atua principalmente nos seguintes temas: formação de professores, ensino profissional, imprensa e educação. Fonte: Currículo Lattes.

Carlota Boto, Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, Brasil

Carlota Boto é professora titular da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP), onde leciona Filosofia da Educação. É Bolsista Produtividade PQ1D do CNPq. Formou-se na USP, em Pedagogia (1983) e em História (1988). É mestre em História e Filosofia da Educação pela FEUSP (1990), doutora em História Social pela FFLCH/USP (1997) e livre-docente em Filosofia da Educação pela FEUSP (2011). É autora do livro "A escola do homem novo: entre o Iluminismo e a Revolução Francesa", publicado pela Editora Unesp, do livro "A escola primária como rito de passagem: ler, escrever, contar e se comportar", publicado pela Imprensa da Universidade de Coimbra, do livro “A liturgia escolar na Idade Moderna”, publicado pela Editora Papirus e do livro “Instrução pública e projeto civilizador: o século XVIII como intérprete da ciência, da infância e da escola”, publicado pela Editora Unesp. Iniciou sua carreira no magistério primário, em 1981, lecionando no Colégio São Norberto em São Paulo, onde trabalhou até o final de 1982, como regente de classes de 1ª e 2ª séries do então 1º Grau. Entre os anos de 1983 e 1986 trabalhou como professora de 4as-séries na Escola Morumbi. Nos anos de 1984 e 1985, desempenhou a função de Assessora da Coordenação Técnica, contratada como Professor III na Escola de Aplicação da USP. Em 1985, lecionou História e Filosofia da Educação para o curso de Magistério em nível de 2º- Grau do Colégio Luís de Camões. Foi docente de História da Educação na Faculdade de Ciências e Letras (FCL) da UNESP Campus de Araraquara, onde lecionou de 1987 até 2001. Foi presidente da Associação de Docentes da Unesp ADUNESP-Regional de Araraquara, entre 1990 e 1992. Integrou o Conselho Universitário da UNESP, nos anos de 1991,1992, 1995, 1996 e 1997. Entre 1999 e 2001, trabalhou na Universidade Presbiteriana Mackenzie, onde ensinou História da Educação no Programa de Mestrado em Educação, Arte e História da Cultura. Entre 2000 e 2001, foi diretora da Faculdade de Filosofia, Letras e Educação (FFLE) do Mackenzie. Desde 2002 leciona na área de Filosofia da Educação na FEUSP. Orienta, ainda, mestrado e doutorado no Programa de Pós-Graduação em Educação da FEUSP e no Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar da FCL/UNESP-Campus de Araraquara. Integrou, como conselheira, o CONDEPHAAT entre 2000 e 2002. Integrou, ainda, o Conselho Superior da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo entre 2002 e 2011. Coordenou na FEUSP o Grupo de Estudos de Filosofia e História das Ideias Pedagógicas (GEFHIP) entre 2003 e 2013.  

Referências

ALMEIDA, M., MAEDA, E. Y.. Métodos para o fichamento preliminar de grandes doações; uma experiência da FEUSP. In: Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação, 1977, Porto Alegre. Anais. Porto Alegre: ARB, 1977. p.13-23.

AUBIN, Paul; CHOPPIN, Alain. “Le fonti storiche in rete: i manuali scolastici” in: GIANFRANCO BANDINI, Paolo Bianchini (dir). Fare storia en rete. Fonti e modelli di scrittura digitale per la storia dell’educazionnne, la storia moderna e la storia contemporânea. Firenze, Carocci, 2007, p. 53-57.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Livro didático e conhecimento histórico: uma história do saber escolar. 1993. Tese (Doutorado em História Social) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1993. Disponível em:

https://doi.org/10.11606/T.8.2019.tde-28062019-175122

BOURROUL, P. Fatos e Boatos. Carta a Francisco Brandão. In: Correio Paulistano, 27 de outubro de 1882

BRANDÃO, F. de C. S. Fatos e Boatos. Carta a Paulo Bourroul. In: Correio Paulistano, 27 de outubro de 1882.

CARVALHO, M. M. C. A caixa de utensílios e o tratado: modelos pedagógicos, manuais de pedagogia e práticas de leitura de professores. In: IV Congresso Brasileiro de História da Educação. Goiás, 2006, p. 1-10. Disponível em: https://docero.com.br/doc/58ccv0e. Acesso em: 12/08/2020.

CARVALHO, M. M. C. Uma biblioteca pedagógica francesa para a Escola Normal de São Paulo (1882): livros de formação profissional e circulação de modelos culturais. In: BENCOSTTA, Marcus L. (Org). Culturas Escolares, saberes e práticas educativas: itinerários históricos. São Paulo: Cortez, 2007.

CHOPPIN, Alain. Contexte scientifique de la recherche sur l’édition scolaire au plan local, national et mondial, CD-ROM. Atas do Simpósio Internacional Livro Didático: Educação e História, São Paulo: USP, 2007.

CHOPPIN, Alain. Le Manuel scolaire, une fausse évidence historique, publicado em 2008, na Histoire de l’Éducation do INRP, nº 117 e traduzido em pela Revista História da Educação da Associação Sul-riograndense, em 2009 (he.asphe@gmail.com). Disponível em: http://histoire-education.revue.org/565.

CÉFALO, M. O Ensino de Física e Química na Formação Docente da Escola Normal de São Paulo (1880-1918). 2021. 230f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, História, Política e Sociedade, PUC. São Paulo, 2021.

DEAECTO, M. M. O império dos livros: instituições e práticas de leitura na São Paulo oitocentista. São Paulo: Edusp, 2011.

FELICIANO, J. Biblioteca da Escola Normal. Manuscrito. Arquivo Público do Estado de São Paulo.1898

FONTAINE, A.; MATASCI, D. Centraliser, exposer, diffuser : les musées pédagogiques et la circulation des savoirs scolaires en Europe (1850 1900), Revue germanique internationale [En ligne], 21, 2015. Disponível em: http://journals.openedition.org/rgi/1515. Acesso: 21/7/2020.

GOLOMBECK, P. Denominações da escola. Caetano de Campos: a escola que mudou o Brasil, 2012. Disponível em: http://www.caetanodecampos.com.br/historia-da-escola/denominacoes-da-escola. Acesso: 26/08/2021.

MELONI, R. A.; ALCÂNTRA, W. R. R. Materiais didático-científicos e a história do ensino de ciências naturais em São Paulo (1880-1901). Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 45 p. e207546, 2019. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/ep/article/view/164245 . Acesso em: 27/10/ 2021.

MUSÉE PÉDAGOGIQUE. Catalogue des bibliothèques pédagogiques. Paris : Imprimerie Nacionale, 1888. Disponível em: https://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k4236070m/f5.item.r=Catalogue%20des%20biblioth%C3%A8ques%20des%20%C3%A9coles%20normales. Acesso em: 10 de fevereiro de 2020

PEREIRA, B. C. Prescrições para ensinar a ensinar leitura e escrita na Escola Normal de São Paulo: circulação de saberes pedagógicos Brasil/França (1874-1889). 2013, 185f. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, UNESP. Marília, 2013.

PEREZ, T. T. História da formação de professores em São Paulo (1875-1894): interseções entre os ideais de professor e de escola. 2012, 333f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, USP. São Paulo, 2012.

PESTANA, M. G. Colecionando livros, formando mestres: a Biblioteca Pedagógica da Escola Normal de São Paulo (1883). 2011. 139 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, História, Política e Sociedade, PUC. São Paulo, 2011.

PINTO, A. M. A cidade de São Paulo em 1900. São Paulo: Governo do Estado, 1900 [1979].

RABELO, Rafaela Silva. Destinos e Trajetos: Edward Lee Thorndike e John Dewey na formação matemática do professor primário no Brasil (1920-1960). Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de São Paulo, FEUSP. São Paulo, 2016. 288p

REGULAMENTO da Escola Normal. In: Diário de S. Paulo, 12 de maio de 1874, p. 1.

RICHAUDEAU, F. Concéption et production des manuels scolaires: guide pratique. Paris, UNESCO,1986.

SÁ E BENEVIDES, J. E. C. Relatório apresentado ao presidente da Província José Luiz de Almeida Couto. São Paulo: Jorge Seckler & C., 1884.

SCHELBAEUR, Analete Regina. A Constituição do método intuitivo na província de São Paulo (1870-1889). 2003. 350f. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de São Paulo, FEUSP. São Paulo, 2003.

SILVA, Vivian B.; PEREZ, Tatiane, Apropriações dos saberes pedagógicos no início da formação: manuais e provas da Escola Normal de São Paulo (década de 1870). Revista História da Educação, v. 18, n. 42, 2014. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/asphe/article/view/41053 . Acesso: 22/03/2021.

TREVISAN, T. História da disciplina de pedagogia nas escolas normais do Estado de são Paulo (1874-1959). 2011, 209f. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, UNESP. Marília, 2011.

Downloads

Publicado

2021-12-28

Como Citar

BITTENCOURT, C. .; SILVA, C. M. N. da .; BOTO, C. . A Faculdade de Educação pela clivagem dos livros: Biblioteca do Livro Didático e Biblioteca Paulo Bourroul. RIDPHE_R Revista Iberoamericana do Patrimônio Histórico-Educativo, Campinas, SP, v. 7, n. 00, p. e021035, 2021. DOI: 10.20888/ridpher.v7i00.16060. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ridphe/article/view/16060. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

DOCUMENTO/DOSSIÊ