Cultura material escolar e comércio local:

uma abordagem da história econômica sobre a escola urbana (São Paulo, 1894-1902)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20888/ridpher.v7i00.15603

Palavras-chave:

Cultura material escolar, História econômica da escola, Simbiose cultural

Resumo

A escola pública, obrigatória e de massas emerge no cenário das cidades demandando e movimentando um conjunto de serviços e bens tipicamente urbanos. Neste artigo, a partir de uma abordagem da cultura material e da história econômica, objetiva-se demonstrar como instituições de ensino paulistas demandaram do comércio local o suprimento de materiais necessários ao seu funcionamento burocrático, mas também ao desenvolvimento das aulas. Lançando mão de fontes como ofícios da secretaria da escola e notas de compras, entre 1894 e 1902, é possível perceber, de um lado, relações de simbiose cultural entre escola e mercado; de outro, relações econômicas e materiais da criação, do suprimento e da institucionalização da escola pública, enquanto fenômeno tipicamente urbano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wiara Rosa Rios Alcântara, Universidade Federal de São Paulo, Brasil

É graduada em Pedagogia, mestre e doutora em Educação pela Universidade de São Paulo, tendo sido bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), tanto no mestrado quanto no doutorado. Tem experiência como professora titular de Ensino Fundamental I na Prefeitura Municipal de São Paulo. Atualmente, é professora da Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP/Diadema. Atua principalmente nos seguintes temas: Formação de professores; Memória e profissão docente; Cultura Escolar; Cultura Material Escolar; História Econômica da Escola; Legislação escolar; História da Administração escolar. Membro do Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas em História da Educação (NIEPHE-USP) e do Grupo de Pesquisa em História da Educação em Ciências/UNIFESP-Diadema. (Fonte: Currículo Lattes)

Referências

ALCANTARA, Wiara Rosa Rios. Por uma história econômica da escola: a carteira escolar como vetor de relações (São Paulo, 1874-1914). 339 páginas. (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

ALCANTARA, Wiara; VIDAL, Diana. The Syndicat Commercial du Mobilier et du matériel d’Enseignement and the transnational trade of school artefacts (Brazil and France in the late nineteenth and early twentieth centuries)”. Paedagogica historica, p.1-15, julho 2020.

DOI: https://doi.org/10.1080/00309230.2020.1796721

BARBUY, H. A cidade-exposição: comércio e cosmopolitismo em São Paulo, 1860- 1914. 1. ed. São Paulo: EDUSP, 2006. v. 1. 304p.

BENCOSTTA, Maucus Levy (org.). História da educação, arquitetura e espaço escolar. São Paulo: Cortez, 2005.

BONTEMPI JR., Bruno. Escola politécnica de São Paulo: produção da memória e da identidade social dos engenheiros paulistas. História da Educação, Santa Maria, v. 19, n. 46, p. 223-242, maio/ago. 2015.

BOURDIEU Pierre. Le champ économique. Actes de la recherche en sciences sociales. Vol. 119, pp. 48-66, septembre 1997.

BOURDIEU Pierre. Introdução. O mercado da casa: disposições dos agentes e estruturas do campo de produção. O Estado e a construção do mercado. In: As Estruturas Sociais da Economia. Porto : Campo das Letras, 2006, p.13-169.

CASTRO, César Augusto (Org.). Cultura material escolar: a escola e seus artefatos (MA, SP, PR, SC e RS, 1870-1925). São Luis: EDUFMA, Café & Lápis, 2011.

DEAECTO, Marisa Midori. Anatole Louis Garraux e o comércio de livros franceses em São Paulo (1860-1890). Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 28, n. 55, p. 85-106, junho, 2008.

KULA, Witold. Problemas y métodos de la historia económica. Traducción española. Barcelona: Península, 1977.

LAWN, Martin. A Pedagogy for the Public: the place of objects, observation, mechanical production and cupboards. In: LAWN, Martin; GROSVENOR, Ian. Materialities of Schooling: design, technology, objects, routines. Symposium Books, 2005, p. 145-162.

MACHADO DE ASSIS, J.M. Helena. São Paulo: Paulus, 2008.

MEDA, Juri. Mezzi di educazione di massa. Saggi di storia della cultura materiale della scuola tra XIX e XX secolo. Milano: Franco Angeli, 2016.

PADILHA, Rodrigo Bastos. A Escola Politécnica e a transformação de São Paulo. 153 páginas. Tese de Doutorado em História da Ciência. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2015.

ROCHA, Heloisa Helena Pimenta; GONDRA, José Gonçalves. A escola e a produção de sujeitos higienizados. Perspectiva, Florianópolis, v. 20, n. 2, p. 493-512, jan. 2002.

REVEL, Jacques (org.). Jogos de Escala: a experiência da microanálise. Tradução Dora Rocha. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas, 1998.

REVEL, J. Micro-História, macro-história: o que as variações de escala ajudam a pensar em um mundo globalizado. Revista Brasileira de Educação, v. 15 n. 45, pp. 434-444, set. /dez. 2010.

ROSENTAL, Paul-Andre. “Construir o “macro” pelo “micro”: Fredrik Barth e a microstoria”. In: REVEL, Jacques (org.) Jogos de escalas. A experiência da microanálise. Rio de Janeiro: FVG, 1998, p.151-172.

SOUSA, Gustavo Rugoni de. Da indústria à escola: relações da fábrica Móveis CIMO com o mercado escolar (1912-1952). 212 páginas. Dissertação (Mestrado) – Centro de Ciências Humanas e da Educação, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

STRUCK, Bernhard; FERRIS, Kate & REVEL, Jacques. Introduction: Space and Scale in Transnational History. The International History Review. Vol. 33, n. 4, 573-584, 2011.

TANURI, Leonor Maria. História da Formação de Professores. Revista Brasileira de Educação. Campinas: n.14, p. 61-88, mai-ago., 2000.

VICENTINI, Paula Perin; LUGLI, Rosario Genta. História da profissão docente no Brasil: representações em disputa. São Paulo: Cortez, 2009.

VIDAL, Diana Gonçalves. O museu escolar brasileiro: Brasil, Portugal e França no âmbito de uma história conectada (final do século XIX). In: FERNANDES, Rogério; LOPES, Alberto; FARIA FILHO, Luciano Mendes de (org.). Para a compreensão histórica da infância. Porto: Campo das letras, 2006, p. 239-264.

VIDAL, DIANA Gonçalves. A invenção da modernidade educativa: circulação internacional de modelos pedagógicos, sujeitos e objetos no Oitocentos. In: CURY, Cláudia Engler; MARIANO, Serioja (orgs.). Múltiplas visões: cultura histórica no oitocentos. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, 2009. p. 37-54.

VIDAL, Diana Gonçalves; GASPAR, V. Por uma história sensorial da escola e da escolarização. In: CASTRO, Cesar Augusto de. (Org.). Cultura material escolar: a escola e seus artefatos (MA, SP, PR, SC e RS, 1870-1925). São Luís: Café & Lápis, 2011.

VIDAL, Diana Gonçalves; SÁ, Elizabeth Figueiredo; SILVA, Vera Lúcia Gaspar da. Obrigatoriedade escolar no Brasil. Cuiabá: Ed.UFMT, 2013.

Downloads

Publicado

2021-11-19

Como Citar

ROSA RIOS ALCÂNTARA, W. Cultura material escolar e comércio local:: uma abordagem da história econômica sobre a escola urbana (São Paulo, 1894-1902). RIDPHE_R Revista Iberoamericana do Patrimônio Histórico-Educativo, Campinas, SP, v. 7, n. 00, p. e021021, 2021. DOI: 10.20888/ridpher.v7i00.15603. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ridphe/article/view/15603. Acesso em: 6 out. 2022.