Mbaraka
Uma foto de pés descalços com adornos de conchas nos tornozelos em meio a areia, com a marca da revista exibida na parte inferior central da imagem.
PDF

Palavras-chave

Guarani
Mbya
Mbaraka
Caipira
Música
Viola
Etnomusicologia

Como Citar

KAHIL COHON, José Calixto. Mbaraka: a viola caipira Guarani Mbya. Proa: Revista de Antropologia e Arte, Campinas, SP, v. 10, n. 1, p. 72–85, 2020. DOI: 10.20396/proa.v10i1.17607. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/proa/article/view/17607. Acesso em: 15 jul. 2024.

Resumo

Na bibliografia em torno da cultura caipira é muito comum a afirmação do parentesco entre as formas musicais do cururu, cateretê, catira e a música indígena. Tendo essa relação em vista, neste trabalho estabelecemos alguns paralelos entre a cultura caipira e a cultura indígena, especificamente a cultura Guarani Mbya. A relação geográfica, econômica, cultural e em específico, a relação entre o uso de instrumento cordofone, o Mbaraka, e a viola caipira nos permitirá vislumbrar um terreno riquíssimo e fundador de nossa cultura que segue pulsante e vivo.

https://doi.org/10.20396/proa.v10i1.17607
PDF

Referências

ANDRADE, Mario. Pequena História da Música, 2. ed. São Paulo: Livraria Martins, 1942.

AMARAL, Amadeu. O Dialeto Caipira. 3. ed. São Paulo: Hucitec, 1976.

BUDASZ, Rogério. O cancioneiro ibérico em José de Anchieta: Um enfoque musicológico. São Paulo: ECA-USP, 1996.

CANDIDO, Antonio. Possíveis raízes indígenas de uma Dança Popular. Revista de Antropologia. n. 1, v. 4. 1956.

CANDIDO, Antonio. Os parceiros do Rio Bonito. Ed. Ouro sobre Azul: Rio de Janeiro, 2011.

CUNHA, Manuela C. Cultura com Aspas e outros Ensaios. LOCAL: UBU editora, 2017.

CASTAGNA, Paulo. A música como instrumento de catequese no Brasil dos séculos XVI e XVII. D.O. Leitura, São Paulo, ano 12, n. 143, p. 6-9, abr. 1994.

GALLET, Luciano. O índio na música Brasileira. in Estudos de Folclore. Rio de Janeiro:Editores WC, 1934.

MACEDO, Valéria. Dos cantos para o mundo. Invisibilidade, figurações da “cultura” e o se fazer ouvir nos corais guarani. Revista de Antropologia de São Paulo, USP, vol. 55, nº 1, 2012.

MARTINS, José de Souza. Capitalismo e Tradicionalismo. São Paulo: Pioneira, 1975.

MONTARDO, Deise Lucy O. Através do mbaraka. Música, dança e xamanismo guarani.São Paulo: Edusp, 2009.

MONTEIRO, John Manuel. O Guarani e a História do Brasil Meridional. In: História dos Índios no Brasil. Org. CUNHA, Manuela Carneiro da. LOCAL: Editora Schwarz, 1998.

PUCCI, M. Influência da voz indígena na música brasileira. Música Popular em Revista, Campinas, ano 4, v. 2, p. 5-30, jan./jun. 2016.

RIBEIRO, Darcy. O Povo Brasileiro: A formação e o sentido de Brasil. 2ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

SCHADEN, Egon. Aspectos Fundamentais da Cultura Guarani. São Paulo: Edusp, 1974[54].

SCHADEN, Egon. Aculturação Indígena. São Paulo: Ed Pioneira, 1969.

SZARÁN, Luiz & THÜMEN, Gisela von. Musica en las reducciones Jesuíticas del América del Sur. 2a ed. Asunción: Fundacion Paracuia, Mission Prokur J. S. Nurnberg, 1999.

TINHORÃO, José Ramos. A deculturação da música indígena brasileira. Revista brasileira de Cultura, Rio de Janeiro, n. 13, jul./set. 1972, p. 9-25.

VILELA, Ivan. “O caipira e a Viola brasileira”. In: PAIS, José Machado. (Org.). Sonoridades Lusoafrobrasileiras. São Paulo: Edusp, 2004.

VILELA, Ivan. Cantando a Própria História. Música Caipira e Enraizamento. Edusp. 2013.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 José Calixto Kahil Cohon

Downloads

Não há dados estatísticos.