https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/proa/issue/feed Proa: Revista de Antropologia e Arte 2022-10-11T13:04:50+00:00 Comitê Editorial proa@unicamp.br Open Journal Systems <p><strong>Escopo:</strong> A Proa: Revista de Antropologia e Arte é uma publicação semestral virtual, de acesso irrestrito, vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas (PPGAS – IFCH – Unicamp). Sua primeira edição foi publicada em agosto de 2009. <br /><strong>Qualis:</strong> B3<br /><strong>Área do conhecimento</strong>: Ciências Sociais<br /><strong>Ano de fundação</strong>: 2008<br /><strong>E-ISSN: </strong>2175-6015<br /><strong>Título abreviado</strong>: PROA: Rev. de Antrop. e Arte<br /><strong>E-mail</strong>: <a href="mailto:proa@unicamp.br" target="_blank" rel="noopener">proa@unicamp.br</a><br /><strong>Unidade</strong>: <a href="https://www.ifch.unicamp.br/" target="_blank" rel="noopener">IFCH</a><br /><strong>Prefixo DOI</strong>: 10.20396<br /><img src="https://econtents.bc.unicamp.br/inpec//public/site/images/administrador/80x15_CC_BY3.png" /></p> https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/proa/article/view/17326 Apresentação 2022-10-11T13:04:39+00:00 Inácio dos Santos Saldanha proa@unicamp.br Isabela Cassis Augusto proa@unicamp.br Analice Paron de Silva proa@unicamp.br Letícia Vicentin proa@unicamp.br <p><span style="font-weight: 400;">Temos o prazer de apresentar mais uma edição do Prêmio Mariza Corrêa de Antropologia Visual 2021. A premiação é uma iniciativa dos alunos do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS) da Unicamp, em uma parceria entre dois projetos do corpo discente do programa que é realizada desde 2017: As </span><em><span style="font-weight: 400;">Jornadas de Antropologia John Monteiro</span></em><span style="font-weight: 400;"> e a </span><em><span style="font-weight: 400;">Proa: Revista de Antropologia e Arte</span></em><span style="font-weight: 400;">. As </span><em><span style="font-weight: 400;">Jornadas</span></em><span style="font-weight: 400;">, agora em sua décima edição, são um evento realizado anualmente pelos alunos ingressantes do PPGAS desde o ano de 2011, que tem promovido a comunicação entre as pesquisas de estudantes de diversas instituições, debates sobre a história e os novos horizontes da antropologia, com atenção para temas sociais e suas implicações éticas, teóricas e metodológicas para o ofício antropológico. A </span><em><span style="font-weight: 400;">Proa</span></em><span style="font-weight: 400;">, por sua vez, é uma revista científica de periodicidade semestral e formato digital que foi criada por discentes do PPGAS em 2009. Tem se empenhado na publicação e nos debates da antropologia visual, mas também das interfaces entre antropologia e arte e da história da antropologia no Brasil e, em especial, na Unicamp.</span></p> 2022-10-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Proa: Revista de Antropologia e Arte https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/proa/article/view/17339 Tecendo a vida em preto e branco 2022-09-26T19:26:46+00:00 Vinícius Venancio vini.venancio2@gmail.com <p><span style="font-weight: 400;">Todos os dias, Beto de Brito acorda cedo, cuida dos seus animais e logo se dirige ao andar superior da sua casa para dar início à tecelagem do </span><em><span style="font-weight: 400;">panu di terra</span></em><span style="font-weight: 400;">. Em Santiago, Cabo Verde, Beto de Brito é reconhecido como um dos maiores nomes no ofício do </span><em><span style="font-weight: 400;">panu di terra</span></em><span style="font-weight: 400;">. Em meio a um ambiente de concentração total, ouve-se apenas o som do tear imbrincado ao do seu rádio, que atualiza os ouvintes com as notícias mais recentes de Cabo Verde e do mundo, assim como embala o trançar dos fios com músicas que vêm de todo o Atlântico.</span></p> 2022-10-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Proa: Revista de Antropologia e Arte https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/proa/article/view/17351 Firma o ponto, filho de fé 2022-09-27T12:17:45+00:00 Giovanna Colussi giovannacolussi@gmail.com <p><span style="font-weight: 400;">Firma o ponto, filho de fé (24’), produzido em 2019, abre as portas do templo e nos convida a olhar a Umbanda em seus aspectos internos pelas lentes de seu fazer musical, o ponto cantado. Filmado na Tenda de Umbanda Estrela Matutina, na cidade de Campinas (SP), o documentário parte de entrevistas com o sacerdote, os filhos da casa e antropólogos, explorando a íntima relação entre o cantar como prática ritualística e a cosmologia umbandista. Os relatos registrados enfatizam ainda que a comunidade em cena e seus cânticos sagrados preservam através da música fortes elementos de sua trajetória, tradição e identidade religiosa. De inspiração etnográfica e fruto de pesquisa independente iniciada por Giovanna Colussi em 2018 acerca da temática música e religião, Firma o ponto foi premiado na categoria Melhor Documentário Curta-Metragem do VI Festival Brasil de Cinema Internacional (2020) e participou de seleções oficiais de festivais e plataformas como Curta Pinhais (8º Festcine, 2020), Corvo de Gesso 2020 (documentário nacional), Cine Tornado 2020 (documentário etnográfico), Festival Taguatinga de Cinema (2020) e In-Edit TV Brasil (2020).</span></p> <p>Link para acesso: <a href="https://www.youtube.com/watch?v=7gCIsu3H-vQ"><span style="font-weight: 400;">https://www.youtube.com/watch?v=7gCIsu3H-vQ</span></a><span style="font-weight: 400;">&nbsp;</span></p> 2022-10-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Proa: Revista de Antropologia e Arte https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/proa/article/view/17322 O corpo em retalhos 2022-10-11T13:04:50+00:00 Ribamar José de Oliveira Junior ribamar@ufrj.br <p><span style="font-weight: 400;">Do close à postura no festejo junino, procuro refletir sobre as perfechatividades de gênero no São João a partir das experiências da quadrilha Balão Junina Cariri no bairro João Cabral em Juazeiro do Norte, interior do Ceará. Para tanto, situo a produção performativa do grupo diante dos lugares de passagem que atravessam os corpos e as fendas negociadas pela tradição. Ao levar em consideração o percurso da quadrilheira Mellysa Giselly, mais conhecida como Pinto, penso sobre a presença de pessoas LGBTQIA+ nas quadrilhas na medida em que elas fazem a festa enquanto fazem a </span><em><span style="font-weight: 400;">fechação</span></em><span style="font-weight: 400;">. Afinal, o gênero que dança no corpo de quem brinca pode aparecer costurado por meio de retalhos performativos. </span></p> 2022-10-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Proa: Revista de Antropologia e Arte https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/proa/article/view/17360 Os indígenas no spray de Cranio e Raiz 2022-10-11T13:04:26+00:00 Adriano Alves da Silva agencia.adriano@gmail.com André Luis Campanha Demarchi andredemarchi@mail.uft.edu.br <p>Este artigo visa analisar as imagens indígenas presentes nos graffitis de dois artistas brasileiros contemporâneos, Cranio e Raiz, respectivamente. Trata-se de compreender, sobretudo, como os dois artistas em questão tratam de modo distinto os povos indígenas em sua produção imagética nas cidades, e os possíveis desdobramentos destas produções. Por um lado, Cranio apresenta a contraintuitividade das imagens a partir da construção de um personagem indígena híbrido. Raiz, por outro lado, constrói seus personagens indígenas marcando as diferenças étnicas e culturais. Em ambos os casos, trazem a discussão sobre o lugar do sujeito indígena na sociedade, contrariando o apagamento ideológico.</p> 2022-10-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Proa: Revista de Antropologia e Arte https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/proa/article/view/17361 Estéticas afrodiaspóricas no canto e na performance de cantoras negras brasileiras 2022-10-11T13:04:22+00:00 Luciana Cruz lucianaoliveira02@gmail.com <p>O presente artigo busca compreender como cantoras negras da cena atual da música brasileira articulam canto e performance, dentro de uma perspectiva afrodiaspórica. Foram realizadas entrevistas com as cantoras Ellen Oléria, Luedji Luna, Preta Rara e Xênia França, que vêm se destacando no cenário atual da música brasileira. O intuito é compreender como o canto e a performance de cada uma das cantoras se relacionam com as estéticas negras e como esse aspecto vem contribuindo para a construção de novas narrativas e para uma maior força em suas expressões artísticas como cantoras e mulheres negras.</p> 2022-10-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Proa: Revista de Antropologia e Arte https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/proa/article/view/17352 Captura de movimento (entrevista) 2022-10-11T13:04:31+00:00 Kodwo Eshun k.eshun@gold.ac.uk Stella Zagatto Paterniani stella.paterniani@gmail.com <p><span style="font-weight: 400;">Tradução de “Motion Capture (Interview)”, excertos de entrevistas com Kodwo Eshun.</span></p> 2022-10-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Proa: Revista de Antropologia e Arte https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/proa/article/view/17353 Lendas dos índios Tembé (Pará e Maranhão) 2022-09-27T13:29:15+00:00 Curt Nimuendajú Unkel proa@unicamp.br Adriana Maria Huber Azevedo proa@unicamp.br <p><span style="font-weight: 400;">Tradução de: UNKEL, Curt Nimuendajú. Sagen der Tembé-Indianer (Pará und Maranhão). </span><strong>Zeitschrift für Ethnologie</strong><span style="font-weight: 400;">, Berlim, v. 47, n. 4/5, p. 281–305, 1915. Domínio público.</span></p> 2022-10-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Proa: Revista de Antropologia e Arte https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/proa/article/view/17325 Carreirinho – entre arranca, marca e volta de mal(bem)dito do não quisto 2022-10-11T13:04:42+00:00 Natalia Negretti proa@unicamp.br Morgana Caroline Lima Araujo proa@unicamp.br <p>Entrevista com Morgana Caroline.</p> 2022-10-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Proa: Revista de Antropologia e Arte https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/proa/article/view/17323 A arte “do” e “no” rio 2022-10-11T13:04:47+00:00 José Guilherme de Oliveira Castro jgpsico.letras@gmail.com Lucilinda Ribeiro Teixeira lucilind@uol.com.br Will Montenegro Teixeira willmontenegro@hotmail.com <p><span style="font-weight: 400;">Este ensaio é resultado de pesquisa de campo realizada entre os anos de 2017 e 2020 na Ilha do Combu, uma das 39 ilhas que compõem a parte insular da capital Belém, na Amazônia paraense. O objetivo da pesquisa foi analisar a relação de moradores e artistas a partir de suas relações representativas e estéticas dos </span><em><span style="font-weight: 400;">graffitis</span></em><span style="font-weight: 400;">, com o foco na produção de sentido e na construção de significados. As manifestações artistas integram o projeto </span><em><span style="font-weight: 400;">Street River</span></em><span style="font-weight: 400;">, idealizado pelo artista visual Sebá Tapajós, com a participação de diversos artistas, entre nacionais e internacionais. </span></p> 2022-10-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Proa: Revista de Antropologia e Arte https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/proa/article/view/17324 Celebração do Obon em uma família okinawana em São Paulo 2022-10-11T13:04:44+00:00 Gabriela Tamy Gushiken proa@unicamp.br <p><span style="font-weight: 400;">Durante a minha infância e adolescência, minha avó paterna guiava os rituais de Culto aos Antepassados em minha família. Com o seu falecimento, passei a me interessar mais profundamente por este nebuloso universo particular, quando a organização dos rituais se tornou responsabilidade das demais mulheres da família.</span></p> 2022-10-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Proa: Revista de Antropologia e Arte