Da Antropofagia aos cães sem plumas

uma História da Arte à brasileira

Autores

Palavras-chave:

Antropofagia, Arte Contemporânea, Tropicalismo, Cães sem plumas

Resumo

O presente artigo traça uma breve história da antropofagia cultural e seus desdobramentos na arte brasileira, entendendo-a como possível modo de produção artística que antecipa e afirma atuações contemporâneas globais. Ela seria, portanto, um ‘produto de exportação’ do Brasil para o mundo, como imaginado por Oswald de Andrade no Manifesto da Poesia Pau-Brasil (1924), algo reforçado nos movimentos neoconcreto e tropicalista das décadas de 1960 e 70 e na 24ª Bienal de Artes de São Paulo em 1998. Dentro das complexidades da formulação de uma identidade nacional brasileira apresentamos também a ideia mais recente dos ‘cães sem plumas’ de Moacir dos Anjos, faceta menos ‘solar’ da brasilidade, dando lugar aos marginalizados que Hélio Oiticica também já havia trazido à cena artística dentro de sua posição ética geral em relação à sociedade brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, Oswald de. Obras completas VI – Do Pau Brasil à Antropofagia e às Utopias. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1972.

ANDRADE, Oswald de. Schema ao Tristão de Athayde. Revista de Antropofagia, São Paulo, n. 5, p. 3, set. 1928.

ANJOS, Moacir dos. Cães sem plumas: os despossuídos na arte contemporânea brasileira. Lua Nova, São Paulo, n. 96, pp. 163-175, dez. 2015.

ASBURY, Michael. The Uroborus effect: Brazilian contemporary art as self-consuming. Third Text, Londres, v. 26, n. 1, pp. 141-147, jan. 2012.

CARDOSO, Rafael. The Braziliannes of Brazilian art. Third Text, Londres, v. 26, n. 1, pp. 17-28, jan. 2012.

CASTRO, Eduardo Viveiros de. O que temos nós com isso? In: Azevedo, Beatriz. Antropofagia Palimpsesto selvagem. São Paulo: SESI-SP, 2018. pp. 06-15.

CLAVO, María Iñigo. Is it possible to decolonize the concept of cultural anthropophagy?”. DAT Journal, v. 5, n. 3, pp. 47-51, 2020. Disponível em: <https://doi.org/10.29147/dat.v5i3.231>. Acesso em: 25 nov. 2021.

COCCHIARALE, Fernando. Da adversidade vivemos. In: FERREIRA, Glória (org.) Crítica de arte no Brasil: temáticas contemporâneas. Rio de Janeiro: Funarte, 2006. pp. 499-507.

CORRÊA, José Celso Martinez. O Rei da Vela – Manifesto Oficina. Arte em Revista 1 – Anos 60. São Paulo, Kairós, 1979. Disponível em: <http://tropicalia.com.br/leituras-complementares/o-rei-da-vela-manifesto-oficina>. Acesso em: 25 nov. 2021.

D’ANGELIS, Wilmar R. São Paulo não seria nada, não fossem os índios. Kamuri [página de internet]. Disponível em: <http://kamuri.org.br/kamuri/sao-paulo-nao-seria-nada-nao-fossem-os-indios/>. Acesso em: 25 nov. 2021.

DUARTE, Pedro. A vanguarda modernista brasileira. Viso: cadernos de estética aplicada, v. 6, n. 11, pp. 107-120, jan./jul. 2012. Disponível em: <http://doi.org/10.22409/1981-4062/v11i/126>. Acesso em: 25 nov. 2021.

FIALHO, Ana Letícia. As exposições internacionais de arte brasileira: discursos, práticas e interesses em jogo. Sociedade e Estado, Brasília, v. 20, n. 3, pp. 689-713, set./dez. 2005.

FIALHO, Ana Letícia. L’insertion internationale de l’art brésilien – une analyse de la présence et de la visibilité de l’art brésilien dans les institutions et dans le marché. Tese (Doutorado em Ciências da arte e da linguagem) – École des Hautes Études en Sciences Sociales, Paris, 2006.

FUNDAÇÃO BIENAL (São Paulo). 16a Bienal de São Paulo. Disponível em: <http://bienal.org.br/exposicoes/2333>. Acesso em: 25 nov. 2021.

GOLDMAN, Marcio. "Quinhentos anos de contato": por uma teoria etnográfica da (contra)mestiçagem. Mana, Rio de Janeiro, v. 21, n. 3, pp. 641-659, dez. 2015.

HERKENHOFF, Paulo. Europa de Almuerzo: Receta para el Arte Brasileño. Poliéster, México, v. 2, n. 8, pp. 8-15, 1994.

HERKENHOFF, Paulo. Brasil/Brasis. In: BASBAUM, Ricardo (org.). Arte contemporânea brasileira. Rio de Janeiro: Rios ambiciosos, 2001. pp. 359-370.

HERKENHOFF, Paulo; PEDROSA, Adriano (orgs.). XXIV Bienal de São Paulo: representações nacionais. São Paulo: A Fundação, 1998.

LAGNADO, Lisette. Anthropophagy as cultural strategy: the 24th Bienal de São Paulo, 1998. In: LAGNADO, Lisette; LAFUENTE, Pablo (orgs.). Exhibition Stories: Cultural Anthropophagy – the 24th Bienal de São Paulo 1998. Londres: Afterall books, 2015. pp. 8-62.

LASSALA, Gustavo; GUERRA, Abilio. Cripta Djan Ivson, profissão pichador: pixar é crime num país onde roubar é arte. Entrevista, São Paulo, ano 13, n. 049.04, Vitruvius, mar. 2012. Disponível em: <https://vitruvius.com.br/revistas/read/entrevista/11.049/4281>. Acesso em: 25 nov. 2021.

LEAL, André. Espaço-corpo, ambiente-experiência: Hélio Oiticica e Gordon Matta-Clark: genealogias do ‘contemporâneo’. Dissertação (Mestrado em Artes Visuais) – Escola de Belas Artes, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015.

LISPECTOR, Clarice. Mineirinho. Revista Senhor, junho de 1962. Disponível em: <http://www.ip.usp.br/site/noticia/conto-qmineirinhoq-clarice-lispector/>. Acesso em: 25 nov. 2021.

MARTINS, Marta Lucia Pereira. Resquícios antropofágicos na arte contemporânea brasileira. DAPesquisa, Florianópolis, v. 3, n. 5, pp. 379-388, 2008. Disponível em: <https://doi.org/10.5965/1808312903052008379>. Acesso em: 25 nov. 2021.

MEIRELES, Cildo. Cruzeiro do Sul. In: Ferreira, Glória (org.) Crítica de arte no Brasil: temáticas contemporâneas. Rio de Janeiro: Funarte, 2006. p. 253.

MOSQUERA, Gerardo. Más allá de la antropofagia: notas sobre globalización y dinámica cultural. Huellas, Mendoza, n. 5, pp. 93-101, 2006. Disponível em: <https://bdigital.uncu.edu.ar/1232>. Acesso em: 25 nov. 2021.

MOSQUERA, Gerardo. A África na Arte da América Latina. Arte & Ensaios, Rio de Janeiro, n. 29, pp. 156-171, jun. 2015.

NUNES, Benedito. Antropofagia e vanguarda - acerca do canibalismo literário. Literatura e Sociedade, São Paulo, n. 7, pp. 316-327, dez. 2004.

OITICICA, Hélio. O herói anti-herói e o herói anônimo. In: Programa Hélio Oiticica, número de tombo 0131/68, 1968

OITICICA, Hélio. YOKO ONO. In: Programa Hélio Oiticica, número de tombo 0293/73. pp. 01-03

OITICICA, Hélio. Brasil diarréia. In: Ferreira, Glória (org.) Crítica de arte no Brasil: temáticas contemporâneas. Rio de Janeiro: Funarte, 2006. pp. 277-280.

OLIVEIRA, João Pacheco de. As mortes do indígena no Império do Brasil: O indianismo, a formação da nacionalidade e seus esquecimentos. In: O nascimento do brasil e outros ensaios: ‘Pacificação’, Regime Tutelar e Formação de Alteridades. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2016. pp. 75-116.

OLIVEIRA, Mirtes Martins de. The Epistemological Leap of Anthropophagy After the 24th Bienal de São Paulo. In: LAGNADO, Lisette; LAFUENTE, Pablo (orgs.). Exhibition Stories: Cultural Anthropophagy – the 24th Bienal de São Paulo 1998. Londres: Afterall books, 2015. pp. 176-187.

PEDROSA, Adriano (org). Adriana Varejão: histórias à margem. São Paulo: MAM-SP, 2013.

PEDROSA, Mario. Reflexões em torno da nova capital. In: Acadêmicos e modernos: textos escolhidos III; ARANTES, Otília (org.). São Paulo: Edusp, 2004a. pp. 389-404.

PEDROSA, Mario. Da missão Francesa – seus obstáculos políticos. In: Acadêmicos e modernos: textos escolhidos III; ARANTES, Otília (org.). São Paulo: Edusp, 2004b. pp. 41-114.

PEDROSA, Mario. Arte ambiental, arte pós-moderna, Hélio Oiticica. In: Ferreira, Glória (org.) Crítica de arte no Brasil: temáticas contemporâneas. Rio de Janeiro: Funarte, 2006. pp. 143-146.

ROLNIK, Suely. Subjetividade antropofágica. In: HERKENHOFF, Paulo; PEDROSA, Adriano (orgs.). XXIV Bienal de São Paulo: arte contemporânea brasileira: Um e/entre Outro/s. São Paulo: A Fundação, 1998. pp. 129-130.

SCHWARZ, Roberto. A carroça, o bonde e o poeta modernista. In: SCHWARZ, Roberto. Que horas são?. São Paulo: Companhia das Letras, 1987. pp. 11-28.

SOUZA, Jessé. Democracia racial e multiculturalismo: ambivalente singularidade cultural brasileira. Estudos afro-asiáticos, Rio de Janeiro, n. 38, pp. 135-155, dez. 2000.

VELOSO, Caetano. Verdade Tropical. São Paulo: Cia. das Letras, 1997.

WALDMAN, Thaís. À “frente” da Semana de Arte Moderna: a presença de Graça Aranha e Paulo Prado. Estudos Históricos, v. 23, n. 45, pp. 71-94, jan./jun. 2010. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21862010000100004>. Acesso em: 25 nov. 2021.

WEGUELIN, João Marcos (org.). Mineirinho. O Rio de Janeiro através dos jornais. São Paulo: Escola do Futuro da Universidade de São Paulo, 1998. Disponível em: <http://www1.uol.com.br/rionosjornais/rj45.htm>. Acesso em: 25 nov. 2021.

Downloads

Publicado

2022-06-22

Como Citar

LEAL, A. Da Antropofagia aos cães sem plumas: uma História da Arte à brasileira. Proa: Revista de Antropologia e Arte, Campinas, SP, v. 11, n. 2, p. 89–110, 2022. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/proa/article/view/16559. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos