As três fases do maxixe música

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/muspop.v6i1.13150

Palavras-chave:

Maxixe, Polca, Choro, Pixinguinha

Resumo

"As três fases do maxixe música" é uma proposta de periodização e organização das informações relativas exclusivamente aos aspectos estilístico-musicais do maxixe. Embora tenha sido tema de muitos trabalhos dentro e fora do ambiente acadêmico, os trabalhos abordaram quase sempre aspectos da dança sensual e do choque que esta causou aos padrões moralistas do século XIX e início do XX. As três fases propostas correspondem respectivamente a: experiências de sincopação da polca, o maxixe funcional e o maxixe levada, que constituem três situações distintas. Na primeira, um repertório variado de experimentações, na segunda uma fórmula cristalizada pelo sucesso em espetáculos teatrais de variedades e na terceira, um sotaque, um acento que marcou a obra de Pixinguinha e de sua geração. Foram levados em conta os objetivos dos compositores em diferentes fases e uma atenção especial foi dada aos padrões rítmicos dos acompanhamentos, com dados extraídos de gravações realizadas nas três primeiras décadas do século XX.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Henrique Leal Cazes, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutorado em Música pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professor de cavaquinho na Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Referências

ABREU, Martha Campos. O Império do Divino: festas religiosas e cultura popular no Rio de Janeiro, 1830-1900. Tese (Doutorado em História) – IFCH-UNICAMP, Campinas, SP, 1996.

ANDRADE, Mário de. Ensaio sobre a música brasileira. 3ed. Brasília: INL, 1972. ANDRADE, Mário de. Música doce música. São Paulo: L. G. Miranda Editor, 1934.

AZEVEDO, Luiz Heitor. 150 Anos de Música no Brasil. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1956.

CABRAL, Sérgio. No tempo de Almirante: uma história do rádio e da MPB. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1990.

CABRAL, Sérgio. Pixinguinha: vida e obra. Rio de Janeiro: Lumiar, 1997.

CAZES, Henrique. Choro: do quintal ao municipal. 4a Edição. Rio de Janeiro: Editora 34, 2010.

DINIZ, Edinha. Chiquinha Gonzaga: uma história de vida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2009.

EFEGÊ, Jota. Maxixe - a dança excomungada. Rio de Janeiro: FUNARTE, 1974.

GALLET, Luciano. 12 exercícios brasileiros. Rio de Janeiro: Ricordi, 1928.

GUERRA-PEIXE, César. Variações sobre o maxixe. O Tempo, São Paulo, 1954.

HORTA, Luiz Paulo. Dicionário de música. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

SANDRONI, Carlos. Feitiço Decente. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

SEVERIANO, Jairo; HOMEM DE MELLO, Zuza. A Canção no Tempo: 85 anos de músicas brasileiras (vol1:1901-1957). São Paulo: Editora 34, 1997.

SEVERIANO, Jairo. Uma história da música popular brasileira. São Paulo: Editora 34, 2008.

SILVA, Marília T. Barboza da; OLIVEIRA FILHO, Arthur L. Pixinguinha: Filho de Ogum Bexiguento. Rio de Janeiro: Gryphus, 1998.

VASCONCELOS, Ary. Panorama da música popular brasileira na Belle Époque. Rio de Janeiro: Sant'Anna, 1977.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2019-08-29

Como Citar

CAZES, H. L. As três fases do maxixe música. Música Popular em Revista, Campinas, SP, v. 6, n. 1, p. 92–108, 2019. DOI: 10.20396/muspop.v6i1.13150. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/13150. Acesso em: 25 set. 2022.