Banner Portal
As três fases do maxixe música
PDF

Arquivos suplementares

Variações sobre o maxixe

Palavras-chave

Maxixe
Polca
Choro
Pixinguinha

Como Citar

CAZES, Henrique Leal. As três fases do maxixe música. Música Popular em Revista, Campinas, SP, v. 6, n. 1, p. 92–108, 2019. DOI: 10.20396/muspop.v6i1.13150. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/13150. Acesso em: 28 maio. 2024.

Resumo

"As três fases do maxixe música" é uma proposta de periodização e organização das informações relativas exclusivamente aos aspectos estilístico-musicais do maxixe. Embora tenha sido tema de muitos trabalhos dentro e fora do ambiente acadêmico, os trabalhos abordaram quase sempre aspectos da dança sensual e do choque que esta causou aos padrões moralistas do século XIX e início do XX. As três fases propostas correspondem respectivamente a: experiências de sincopação da polca, o maxixe funcional e o maxixe levada, que constituem três situações distintas. Na primeira, um repertório variado de experimentações, na segunda uma fórmula cristalizada pelo sucesso em espetáculos teatrais de variedades e na terceira, um sotaque, um acento que marcou a obra de Pixinguinha e de sua geração. Foram levados em conta os objetivos dos compositores em diferentes fases e uma atenção especial foi dada aos padrões rítmicos dos acompanhamentos, com dados extraídos de gravações realizadas nas três primeiras décadas do século XX.

https://doi.org/10.20396/muspop.v6i1.13150
PDF

Referências

ABREU, Martha Campos. O Império do Divino: festas religiosas e cultura popular no Rio de Janeiro, 1830-1900. Tese (Doutorado em História) – IFCH-UNICAMP, Campinas, SP, 1996.

ANDRADE, Mário de. Ensaio sobre a música brasileira. 3ed. Brasília: INL, 1972. ANDRADE, Mário de. Música doce música. São Paulo: L. G. Miranda Editor, 1934.

AZEVEDO, Luiz Heitor. 150 Anos de Música no Brasil. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1956.

CABRAL, Sérgio. No tempo de Almirante: uma história do rádio e da MPB. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1990.

CABRAL, Sérgio. Pixinguinha: vida e obra. Rio de Janeiro: Lumiar, 1997.

CAZES, Henrique. Choro: do quintal ao municipal. 4a Edição. Rio de Janeiro: Editora 34, 2010.

DINIZ, Edinha. Chiquinha Gonzaga: uma história de vida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2009.

EFEGÊ, Jota. Maxixe - a dança excomungada. Rio de Janeiro: FUNARTE, 1974.

GALLET, Luciano. 12 exercícios brasileiros. Rio de Janeiro: Ricordi, 1928.

GUERRA-PEIXE, César. Variações sobre o maxixe. O Tempo, São Paulo, 1954.

HORTA, Luiz Paulo. Dicionário de música. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

SANDRONI, Carlos. Feitiço Decente. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

SEVERIANO, Jairo; HOMEM DE MELLO, Zuza. A Canção no Tempo: 85 anos de músicas brasileiras (vol1:1901-1957). São Paulo: Editora 34, 1997.

SEVERIANO, Jairo. Uma história da música popular brasileira. São Paulo: Editora 34, 2008.

SILVA, Marília T. Barboza da; OLIVEIRA FILHO, Arthur L. Pixinguinha: Filho de Ogum Bexiguento. Rio de Janeiro: Gryphus, 1998.

VASCONCELOS, Ary. Panorama da música popular brasileira na Belle Époque. Rio de Janeiro: Sant'Anna, 1977.

A publicação Música Popular em Revista em sua obra adota e está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.