Influência da voz indígena na música brasileira

Autores

  • Magda Dourado Pucci Universidade Leiden

DOI:

https://doi.org/10.20396/muspop.v4i2.13051

Palavras-chave:

Voz, Nasalidade, Música caipira, Música indígena, Acalantos

Resumo

Esse artigo visa apontar algumas possibilidades sobre a presença da voz indígena na música popular brasileira, baseadas em diversos exemplos sonoros com destaque para os registros da Missão de Pesquisas Folclóricas organizada por Mário de Andrade. O que mais chama atenção é a qualidade nasal – advinda da língua Nheengatu amplamente usada no Brasil até o século XVIII, tendo influenciado a sonoridade do cateretê, da catira, do cururu (antigos), das modas de viola e outros gêneros da cultura popular. A voz gutural presente nos torés do Nordeste e a voz miúda e escorregadia das cantigas de ninar indígenas (mukuru), ainda ecoam nos cantares maternos atuais, mesmo mesclados à influência ibérica. Destaca-se também o uso do falsete presente na música caipira, e de recursos como suspiros, interjeições, onomatopeias, glissandos – herança advinda da arte oral xamânica indígena que repercutiu na contação de ‘causos’.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Magda Dourado Pucci, Universidade Leiden

Doutorado em Creative and Performing Arts pela Leiden University.

Referências

AMARAL, Amadeu. O Dialeto Caipira. Revista Linguasagem s/d. UFSCAR, s/d. Disponível em: http://www.letras.ufscar.br/linguasagem/edicao12/pdfs/dialeto.pdf

ANDRADE, Mário de. Compêndio de História da Música. 2ª. ed.; São Paulo: L. G. Miranda, 1933

______. Aspectos da música brasileira. Belo Horizonte: Editora Vila Rica, 1991.

______. Normas para a boa pronúncia da língua nacional no canto erudito. In: Revista brasileira de música: Escola Nacional de Música da Universidade do Brasil, v. 5, n. 1, p. 1-35, 1938.

______. Vida do Cantador. Edição crítica de Raimunda de Brito Batista Villa Rica. Editoras Reunidas, 1993.

BISPO, Alexandre. Theodor Koch-Grünberg (1872-1924). 70 anos de morte (partes, sem notas e bibliografia). Academia Brasil-Europa. N° 31 (1994: 5). Disponível em: http://www.revista.akademie-brasil-europa.org/Internet-Corres2/CM31-02.htm.

CAMÊU, Helza. Introdução ao Estudo da Música indígena Brasileira. Rio de Janeiro: Conselho Federal de Cultura e Departamento de Assuntos Culturais, 1977.

CALDAS, Waldenyr. Revendo a música sertaneja. Revista USP, São Paulo: n.64, p. 58- 67, dezembro/fevereiro, 2004-2005 Disponível em: http://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/13390/15208. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i64p58-67

CARLINI, Álvaro. Cachimbo e maracá: o catimbó da Missão (1938), São Paulo: Centro Cultural São Paulo, 1993.

CHIARADIA, C. Dicionário Brasileiro de Palavras de Origem Indígena. São Paulo, Editora Limiar, 2008.

DALL'IGNA RODRIGUES, Aryon. Silêncio, nasalidade e laringalidade em línguas indígenas brasileiras in: Letras de hoje v. 38, n. 4 (2003).

GALLET, Luciano. Estudos de Folclore. Rio de Janeiro: Casa Carlos Wehrs & Cia., 1934.

GÂNDAVO, Pero de Magalhães de. História da província sa[n]cta Cruz a qui vulgarme[n]te chamamos Brasil. Lisboa: Antônio Gonçalves, 1576.

GONZALEZ, Juliana Perez. El mito del origen indígena-jesuítico del cateretê en la historiografía brasileña in: Resonancias vol. 20, n°38, enero-junio 2016, pp. 37-54 / Artículos. DOI: https://doi.org/10.7764/res.2016.38.3

GREGOLIM JUNIOR, Luiz Manoel. Presença do Sagrado na Música Caipira de Raiz Brasileira. Análise de Composições de Tião Carreiro e Pardinho. Dissertação de mestrado Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Universidade Presbiteriana Mackenzie, 2011.

JUNQUEIRA, Carmen. Antropologia: uma introdução. São Paulo: EDUC, 1991.

KOCH-GRÜNBERG, Theodor. Do Roraima ao Orinoco, v.1: observações de uma viagem pelo norte do Brasil e pela Venezuela durante os anos de 1911 a 1913. São Paulo: Editora UNESP, 2006.

LAGROU, Els. Arte ou artefato? Agência e significado nas artes indígena. In: Revista Proa, n°02, vol.01, 2010. Disponível em: http://www.ifch.unicamp.br/proa.

MACHADO, Silvia de Ambrosis Pinheiro. Canção de ninar brasileira: aproximações. Dissertação de doutorado pela Universidade de São Paulo, 2012. Disponível em: http://scholar.google.com.br/schhp?hl=pt-BR.

MENEZES BASTOS, Rafael. Las músicas tradicionales del Brasil. Tradução do texto Traditional Music of Brasil escrito para a UNESCO (Meeting on Music of Latin America), Caracas, 1971.

______. O índio da música brasileira – Recordando quinhentos anos de esquecimento. In: QUEIROZ, Ruben Caixeta, TUGNY, Rosangela Pereira. Músicas africanas e indígenas do Brasil. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

HANUCH, Sheila M. A nasalidade no português brasileiro cantado: Um estudo sobre a representação fonética das vogais nasais no canto em diferentes contextos musicais. Dissertação de Mestrado pelo Instituto de Artes da UNESP. São Paulo, 2012.

PUCCI, Magda. As vozes do mundo: Ouvir para entender in: Entre Gritos E Sussurros: Os Sortilégios da Voz Cantada. São Paulo: Letra e Voz, 2012. Disponível em: https://www.academia.edu/8997871/As_vozes_do_mundo_-_um_breve_panorama

______. A arte oral Paiter Suruí. Dissertação de mestrado em Antropologia, São Paulo: PUC-SP, 2009.

SAMPAIO, Teodoro. A língua portuguesa no Brasil in: Revista de Filologia e História, Rio de Janeiro, tomo 1 fascículo 4, 1991.

ROSA, Sérgio Santa. Prosa de Cantador: a história e as histórias dos cururueiros paulistas. São Paulo: Fepaf, 2007.

SEEGER, Anthony. Os índios e nós. Estudos sobre sociedades tribais brasileiras. Rio de Janeiro: Editora Campus, 1980.

______. Por que cantam os Kisêdjê. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

STEIN, Marília Raquel Albornoz. Kyringue mborai: os caminhos de uma etnografia musical entre crianças Mbyá-Guarani na terra indígena Tekoa Nhundy (Rio Grande do Sul). Em Pauta, Porto Alegre, v. 18, n. 30, janeiro a junho 2007.

TRAVASSOS, Elisabeth. A voz objeto fugidio: voz e “musicologias”. in: Música em perspectiva, vol1. n.1 março, 2008 p-14-42.

ULHÔA, Marta. Pertinência e música popular – em busca de categorias para análise da música brasileira popular in: Cadernos do Colóquio 3 (1), 2007.

VILELA, Ivan. O caipira e a viola brasileira. In: PAIS, José Machado. (Org.). Sonoridades luso- afro-brasileiras. 1 ed. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, 2004, v., p. 171-187.

ZUMTHOR, Paul. Escritura e nomadismo. Cotia: Ateliê Editorial, 1999.

Downloads

Publicado

2017-12-21

Como Citar

PUCCI, M. D. Influência da voz indígena na música brasileira. Música Popular em Revista, Campinas, SP, v. 4, n. 2, p. 5–30, 2017. DOI: 10.20396/muspop.v4i2.13051. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/13051. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê