Banner Portal
Gaiola da cabeçudas e gaiola das popozudas
PDF

Palavras-chave

Mediações culturais
Funk
YouTube
Representações

Como Citar

CUNHA, Simone Evangelista. Gaiola da cabeçudas e gaiola das popozudas: uma análise sobre a representatividade e os conflitos do funk carioca no youTube. Música Popular em Revista, Campinas, SP, v. 1, n. 2, p. 215–232, 2013. DOI: 10.20396/muspop.v1i2.12890. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/12890. Acesso em: 18 jul. 2024.

Resumo

 O presente artigo explora o debate em torno dos embates e fronteiras presentes nas estratégias discursivas adotadas por diferentes segmentos sociais no âmbito cultural para analisar tensões e representações do funk carioca no YouTube. A partir das discussões, pensaremos as articulações de mediação cultural em torno do gênero tomando como objeto vídeos do grupo Gaiola das Popozudas e a paródia Gaiola das Cabeçudas, que alcançaram enorme repercussão ao fazer referência a funks famosos em uma “aula” que cita diversas referências intelectualizadas

https://doi.org/10.20396/muspop.v1i2.12890
PDF

Referências

ALMEIDA, Giselle de. Funk “Gaiola das cabeçudas”, do “Comédia MTV” é fenômeno na internet. Jornal Extra, Rio de Janeiro, 17 de agosto de 2010. Disponível em: http://extra.globo.com/tv-e-lazer/funk-gaiola-das-cabecudas-do-comediamtv-fenomeno-na-internet-366377.html. Acesso em: 06 jul. 2012.

BHABHA, Homi K. O Local da cultura. Ed. UFMG, 1998 BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas linguísticas. São Paulo: Edusp, 2008, 192pp.

BURGESS, Jean; GREEN , Joshua. YouTube e a Revolução Digital: como o maior fenômeno da cultura participativa transformou a mídia e a sociedade. São Paulo: Aleph, 2009.

CANCLINI, Néstor Garcia. Culturas Híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. Tradução de Ana Regina Lessa e Heloísa Pezza Cintrão. 3. ed. São Paulo: Edusp, 2000.

CASTELLANO, M. Distinção pelo “mau gosto” e estética trash: quando adorar o lixo confere status. Comunicação & Sociedade, São Paulo, v. 33, n. 55, p. 153-174, 2011.

CASTELLS, M. A galáxia da Internet: reflexões sobre a Internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

CERTEAU. Michel. A escrita da História. Tradução Maria de Lourdes Menezes. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.

COMÉDIA MTV - Gaiola das Cabeçudas. Postado em 1 de agosto de 2010. Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=kcHHQ2RV4nQ&feature=player_embedded. Acesso em: 03 jul. 2012.

D’AMARAL, Marcio Tavares. Comunicação e diferença: uma filosofia de guerra para uso dos homens comuns. Rio de Janeiro: UFRJ, 2004.

ESSINGER, Silvio. Batidão: uma história do funk. Rio de Janeiro, Record, 2005.

FELINTO, Erick. Videotrash: o YouTube e a cultura do “spoof” na internet. Revista Galáxia, São Paulo, n. 16, p. 33-42, dez, 2008.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2002.

FOUCAULT, Michel. A Ordem do Discurso. São Paulo: Edições Loyola. 1998.

GAIOLA das Cabeçudas Parte 2 - Aula nº 2 - Aula II - Parte II. Postado em 06 de outubro de 2012. Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=0XifYy3Ihv0 . Acesso em 04 jul. 2012.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Modernização dos sentidos. Tradução de Lawrence Flores Pereira, 1a edição, São Paulo: 34, 1998.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Guacira Lopes Louro. 11. ed. , 1. reimp. – Rio de Janeiro: DP&A, 2011.

HERSCHMANN, Micael. As imagens das galeras funk na imprensa. In: PEREIRA, C. A. M. et al. Linguagens da violência. Rio de Janeiro: Rocco, 2000.

HUTCHEON, Linda. Poética do pós-modernismo. Rio de Janeiro: Imago, 1991.

LÉVINAS, Emmanuel. Entre Nós: ensaios sobre a alteridade. Petrópolis: Vozes, 1997 LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: 34, 1999.ra. São Paulo: 34, 1999.

MARTÍN-BARBERO, Jesús. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 2003.

O’REILLY, Tim. What is Web 2.0?. 2005. Disponível em: http://www.oreillynet.com/pub/a/oreilly/tim/news/2005/09/30/what-is-web20.html.

RESENDE, Fernando. O discurso jornalístico contemporâneo: entre o velamento e a produção das diferenças. Revista Galáxia, São Paulo, n. 14, p. 81-93, dez. 2007.

SÁ, Simone Pereira de. Funk Carioca – Música popular eletrônica brasileira?!. XVI Encontro da COMPÓS, Curitiba: 2007.

______. Apropriações Low-Tech no Funk carioca: a Batalha do Passinho e a Música Popular de Periferia. Trabalho apresentado no GP Comunicação, Música e Entretenimento do XII Encontro dos Grupos de Pesquisa em Comunicação, evento componente do XXXV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Fortaleza, 2012.

THORNTON, Sarah. Club cultures. Music, media and subcultural capital. Connecticut: Wesleyan University Press, 1996.

VIANNA JR, Hermano Paes. O Baile Funk Carioca: Festas e Estilos de Vida Metropolitanos. Rio de Janeiro: UFRJ, 1987. 108 p. Tese (Pós-Graduação), Museu Nacional; Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Rio de Janeiro, 1987.

A publicação Música Popular em Revista em sua obra adota e está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.