Julgamentos de gramaticalidade na pesquisa, no ensino e na extensão

popularizando a metodologia da análise gerativa na formação (continuada) de professores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/ijoce.v2i00.14031

Palavras-chave:

Extensão universitária, Formação continuada, Gramática Gerativa, Julgamentos de gramaticalidade, Curso de extensão

Resumo

Desenvolver, de maneira harmoniosa e integrada, atividades de ensino, pesquisa e extensão universitária é a vocação primeira da universidade pública brasileira. O artigo ilustra tal possibilidade a partir das atividades de pesquisa, ensino e extensão promovidas pelo LaCaSa – Laboratório de Cartografia Sintática: Pesquisa e Ensino, um dos grupos de pesquisa do Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP. Nosso objetivo principal aqui é argumentar que a integração dessas três atividades-pilares do ensino superior público no país é possível se se levar em conta aspectos da pesquisa mesma desenvolvida pela instituição universitária, o que é feito, em nosso caso, através da metodologia de investigação que guia as pesquisas de nosso laboratório, nomeadamente a metodologia da gramática Gerativa, que tem, nos julgamentos de gramaticalidade, o seu principal expediente metodológico. Tal expediente é explicado a partir de exemplos de frases do português. Argumentamos que esse mesmo expediente utilizado na pesquisa pode ser implementado no ensino – em disciplinas que envolvem análise linguística na graduação – e na extensão universitária...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aquiles Tescari Neto, Universidade Estadual de Campinas

Doutor em Ciências da Linguagem pela Università Ca' Foscari di Venezia, Itália. Professor do Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas. 

Giovanna Santos Pereira, Universidade Estadual de Campinas

Mestrado em Linguística  pela Universidade Estadual de Campinas. Monitora do Programa de Apoio Didático da Pró-reitoria de Graduação do Departamento de Linguística do Instituto de Estudos da Linguagem.

Referências

Azeredo, J. C. (2007). Ensino de português. Rio de Janeiro: Zahar.

Bortoni-Ricardo, S. M. (2008). O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Parábola.

Brasil. (1998). Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua portuguesa. Brasília: MEC/SEF.

Brasil. (2018). Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Educação.

Chomsky, N. (1957). Syntatic structures. La Haya: Mouton.

Chomsky, N. (1994). O conhecimento da língua: sua natureza, origem e uso. Lisboa: Caminho.

Ilari, R. (s.d.). Linguística e ensino da língua portuguesa como língua materna. Disponível em:

https://museudalinguaportuguesa.org.br/wp-content/uploads/2017/09/ENSINO-COMO-LINGUA-MATERNA.pdf

Moro, A. (2017). A brief history of the verb ‘to be’. Cambridge, MA: The MIT Press.

Perigrino, M. (2020). Os advérbios no ensino de língua portuguesa: livros didáticos, metodologia gerativa e teoria da gramática. Dissertação (Mestrado em Linguística), UNICAMP.

Pires de Oliveira, R. (2010). A linguística sem Chomsky e o método negativo. ReVEL, 14(8), 1-19.

Pires de Oliveira, R., & Quarezemin, S. (2016). “Gramáticas: rota alternativa para as aulas de português” In:

Pires de Oliveira, R., & Quarezemin, S. Gramáticas na escola. Petrópolis: Vozes, 21-41.

Tescari Neto, A. (2020). A vez da metalinguagem: por uma “análise sintática crítica” na educação básica. Manuscrito: UNICAMP.

Tescari Neto, A. (2018). Análise linguística na educação básica com ambiguidade. In: Nascimento, L.; Clemente de Souza, T. C. (Org.) Gramática(s) E Discurso(s): ensaios críticos. Campinas: Mercado de Letras, 173-206.

Tescari Neto, A. (2017). Constituência sintática, ambiguidade estrutural e aula de português: o lugar da teoria gramatical no ensino e na formação do professor. Work. Pap. Linguíst., 18(2), 129-152.

Tescari Neto, A. (2015). Categorias funcionais da oração no português do Brasil: articulando a pesquisa, o ensino e a extensão universitária. Projeto de pesquisa apresentado ao Departamento de Linguística, IEL/UNICAMP para contratação em RDIDP.

Downloads

Publicado

2021-04-19

Como Citar

Tescari Neto, A. ., & Pereira, G. S. (2021). Julgamentos de gramaticalidade na pesquisa, no ensino e na extensão: popularizando a metodologia da análise gerativa na formação (continuada) de professores. Revista Internacional De Extensão Da UNICAMP, 2(00), e021003. https://doi.org/10.20396/ijoce.v2i00.14031

Edição

Seção

Artigos