Revista Internacional de Extensão da UNICAMP https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ijoce <p><strong>Escopo</strong>: A <em>Revista Internacional de Extensão da UNICAMP</em> é uma revista acadêmica semestral online, de acesso gratuito, revisada por pares e coordenada e financiada pela Pró-reitoria de Extensão e Cultura (ProEC) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). A revista apresenta pesquisas científicas, reflexões, e práticas que emergem das ações de extensão de instituições de ensino superior nacionais e internacionais. Dessa forma, leva a expansão, compartilhamento e atualização do conhecimento na área de relação universidade-sociedade, em especial da extensão universitária.<br /><strong>Qualis</strong>: C<br /><strong>Área do conhecimento</strong>: Ciências Humanas<br /><strong>Ano de fundação</strong>: 2020<br /><strong>E-ISSN</strong>: 2763-616X<br /><strong>Título abreviado</strong>: Rev. Intern. Exten. UNICAMP <br /><strong>E-mail</strong>: <a href="https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ijoce/management/settings/context/mailto:revista.extensao@proec.unicamp.br" target="_blank" rel="noopener">revista.extensao@proec.unicamp.br</a><br /><strong>Unidade</strong>: PROEC<br /><strong>Prefixo DOI</strong>: 10.20396<br /><a title="CC BY NC" href="https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/" target="_blank" rel="noopener"><img src="https://i.creativecommons.org/l/by-nc/4.0/80x15.png" alt="Licença Creative Commons" /></a></p> Universidade Estadual de Campinas pt-BR Revista Internacional de Extensão da UNICAMP 2763-616X <p>A <strong>Revista Internacional de Extensão da UNICAMP / The International Journal of Outreach and Community Engagement</strong> utiliza a licença do <a title="Creative Cmmons" href="http://creativecommons.org/licenses/by/4.0" target="_blank" rel="noopener"><span style="color: #0000ff;">Creative Commons (CC)</span></a>, preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.</p> Promoção da alimentação adequada e saudável na pandemia da COVID-19 https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ijoce/article/view/15291 <p><strong>Objetivo:</strong> relatar a experiência de acadêmicas de enfermagem, enfermeira e profissional de odontologia no processo de elaboração de estratégias de educação sobre alimentação adequada e saudável, direcionadas a pacientes com HAS e DM em uma Unidade de Saúde da Família do município do Rio de Janeiro, durante a pandemia por COVID-19. <strong>Métodos:</strong> estudo descritivo, do tipo relato de experiência. Foi realizado processo de busca sobre a temática, em manuais e protocolos do Ministério da Saúde, e delineamento de intervenções, conforme contexto da unidade de saúde. <strong>Resultados:</strong> Foram definidas três estratégias: (1) folder com recomendações de acordo com o Guia Alimentar para População Brasileira; (2) construção de painel demonstrando quantitativo de açúcares livres/carboidratos dos alimentos processados e ultraprocessados e; (3) fortalecimento das orientações alimentares durante consulta de enfermagem. <strong>Discussão:</strong> a literatura aponta a DM e a HAS como principais motivadoras para implementação de estratégias de educação em saúde na APS, devido a deficiência na adesão ao tratamento, que inclui hábitos alimentares. Contudo, são demonstradas lacunas quanto ao processo de educação em saúde, como o emprego de estratégias tradicionais que não exploram a discussão e crescimento em conjunto<strong> Conclusão:</strong> a elaboração de materiais para educação em saúde voltados aos usuários com HAS e DM se mostrou como experiência exitosa, repercutindo benefícios aos profissionais de saúde, por contarem com material adaptado à realidade do cenário; às acadêmicas de enfermagem, pela oportunização de aplicação de conhecimentos e; primordialmente, à população adscrita, por usufruírem de educação em saúde voltada às suas especificidades.</p> Sara Soares Ferreira da Silva Amanda Firme Carletto Marina Medeiros Ribeiro Giselle Natalina Sousa da Silva Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Extensão da UNICAMP https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2022-12-19 2022-12-19 3 e022003 e022003 10.20396/ijoce.v3i00.15291 Extensão universitária https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ijoce/article/view/16021 <p><span style="font-weight: 400;">O projeto de extensão, Segurança física e lógica no ambiente organizacional, uma abordagem teórico e prática, criado em 2016, tem como linha de extensão a Tecnologia da Informação, atende a política de extensão da UFSM e o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI - CTISM/UFSM). Tendo como principal meta o fortalecimento do vínculo da Instituição de Ensino com o ambiente corporativo, levando à comunidade alertas e boas práticas para mitigar atividades maliciosas no uso da Internet. Durante os anos de aplicação, foi visto que a extensão universitária desempenha um papel muito maior do que o de democratizar o conhecimento, como também de aproximar a comunidade em geral da instituição de ensino, adequando a pesquisa ao contexto da população em geral. Tornando-se um meio de interligação do ensino com a pesquisa e a prática em meio a comunidade. O presente artigo aborda os principais resultados do projeto mencionando as diretrizes de extensão universitária através do seu objetivo principal. </span></p> Andressa Fouchy Schons Marcia Henke Simone Regina Ceolin Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Extensão da UNICAMP https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2022-12-19 2022-12-19 3 e022004 e022004 10.20396/ijoce.v3i00.16021 Abordagem cognitiva em população com Síndrome de Down https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ijoce/article/view/16090 <p>O envelhecimento é marcado por alterações na cognição e memória. A trissomia do cromossomo 21 conhecida como Síndrome de Down (SD) está associada ao envelhecimento precoce e à Doença de Alzheimer (DA), uma das principais causas de morte nessa população. Objetivando a prevenção primária da DA , elaborou-se cinco oficinas através de grupo interdisciplinar de acadêmicos extensionistas voluntários da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas) em 2021 para a realização de abordagens cognitivas em grupo de 10 indivíduos com SD, usuários da Fundação Síndrome de Down. Entre os tipos de memória trabalhados nesta dinâmica, destacou-se a técnica de Memória de Curta Duração ou Primária e, mais especificamente, a memória de trabalho que consiste no arquivamento temporário de informação para uso imediato - a mais acometida pelo processo de envelhecimento bem como a Memória de Longa Duração Explícita ou Declarativa do tipo Semântica. Buscou-se estimular uma lembrança consciente dos termos abordados, necessitando de uma evocação intencional da informação, e ainda a memória de conhecimento de mundo. As oficinas envolvendo abordagem interdisciplinar do público alvo foram bem toleradas e demonstraram a versatilidade de estímulos possíveis para preservar o cognitivo.</p> Natalia Rezende Baraldi José Francisco Kerr Saraiva Marcela Gomes de Carvalho Mayeiro Vitória Silva Melo Gabrielly Gomes Ferreira Gabrielle Neves Lemos Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Extensão da UNICAMP https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2022-12-19 2022-12-19 3 e022005 e022005 10.20396/ijoce.v3i00.16090 Curso de extensão em Engenharia Popular https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ijoce/article/view/17479 <p><span style="font-weight: 400;">A partir dos Encontros Nacionais de Engenharia e Desenvolvimento Social e do surgimento da Rede de Engenharia Popular Oswaldo Sevá (REPOS), fundada em 2014, surge a necessidade de criar espaços de formação que possibilitassem a estudantes e profissionais das engenharias aprofundar e refletir sobre a atuação com e para as classes populares. Assim nasce um curso gratuito de extensão, de abrangência nacional, realizado em sua primeira edição, de maneira virtual, em 2021. Este artigo objetiva apresentar e analisar a experiência do Curso de Engenharia Popular como um espaço de reflexão para a ação. As autoras do artigo são também coordenadoras do curso, que aqui trazem seus relatos e percepções a partir da vivência com essa primeira turma, buscando apontar limites e possibilidades a partir da experiência. Como resultado, avalia-se que o curso tem permitido não apenas criar novos imaginários para a engenharia, mas também aprofundar as intersecções teórico-metodológico entre engenharia e Educação Popular. Ainda que esse aprofundamento seja limitado pela carga horária restrita da formação e pelo formato virtual adotado em virtude da pandemia, o curso se une à atuação extensionista nas engenharias e ao papel da universidade em se transformar em direção à diversidade e à justiça social.</span></p> Fernanda Santos Araújo Bruna Mendes de Vasconcellos Amanda Azevedo Lais Silveira Fraga Maria Paula Ferreira Melissa Rocha Ragagnin Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Extensão da UNICAMP https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2022-12-19 2022-12-19 3 e022001 e022001 10.20396/ijoce.v3i00.17479 Avaliação de Programa de Extensão Universitária mediante dimensões analíticas e metodológicas https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ijoce/article/view/16205 <p>O programa de extensão universitária que está em andamento continuadamente desde 2018 junto à comunidade residente em ocupação urbana na cidade de Campinas, no estado de São Paulo, Brasil, envolve alunos de graduação e pós-graduação de diferentes cursos. As atividades lúdicas com crianças, conversas com adultos e ações de assistência em saúde tornaram possível a construção de vínculo com os moradores e construção de conhecimento sobre os diferentes aspectos da vida naquele território. Este trabalho avaliou o programa de extensão universitária mediante dimensões analíticas e metodológicas propostas por Cristofoletti e Serafim e analisou tais dimensões a partir de seu emprego na avaliação do programa. Foi utilizada metodologia transversal, exploratória, qualitativa, mediante grupos focais com alunos participantes do programa de extensão e pesquisadores. Observou-se que o programa se caracteriza pelo olhar crítico para a realidade e pelas práticas transformadoras e dialógicas. As dimensões analíticas e metodológicas utilizadas na avaliação se mostraram potentes para uma qualificação ampla do programa. No entanto, foram feitos alguns aperfeiçoamentos das mesmas e da metodologia aplicada para um melhor aproveitamento da análise.</p> Beatriz Soares Pires Aline Messias Mota Julia Vidal de Araujo Campos Paula Luyten Bedrikow Rubens Bedrikow Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Extensão da UNICAMP https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2022-12-19 2022-12-19 3 e022002 e022002 10.20396/ijoce.v3i00.16205