Banner Portal
Quem nasce do ovo?
PDF

Palavras-chave

alfabetização científica
anos iniciais do ensino fundamental
ensino por investigação
alfabetização

Como Citar

FAUSTINO, Adrielly Souza; MENEZES, Sara Boechat; CHAVES, Maria do Carmo; BERTAGNA, Maína. Quem nasce do ovo? Contribuições de uma sequência de ensino investigativa para a alfabetização científica de uma turma de alunos de uma escola pública de Angra dos Reis, RJ . Ciências em Foco, Campinas, SP, v. 16, n. 00, p. e023001, 2023. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/cef/article/view/18572. Acesso em: 22 maio. 2024.

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo descrever e analisar uma sequência de ensino investigativo realizada com uma turma de alunos de uma escola da rede pública de ensino de Angra dos Reis, RJ. Nos dias atuais, a alfabetização científica e geográfica pode ser uma aliada no letramento de alunos dos anos iniciais do ensino fundamental, principalmente onde o acesso às informações e a mídias sociais concorrem com a atenção das crianças. Neste sentido, o ensino por investigação pode recuperar os sentidos de se aprender os conhecimentos científicos e auxiliar no letramento dos alunos. A sequência investigativa foi realizada em três etapas. Em cada etapa foram desenvolvidas atividades que estimularam a construção de conhecimentos científicos e processos de leitura e escrita. De forma geral, percebe-se que os alunos ao estudarem um tema científico se envolveram com seu processo de aprendizagem da língua materna e iniciaram seu processo de alfabetização científica.

PDF

Referências

André, M. Pesquisa em educação: buscando rigor e qualidade. Cadernos de Pesquisa, n. 113, p. 51-64, 2001. Disponível em: https://doi.org/10.1590/s0100-15742001000200003. Acesso em: 05 nov. 2023.

Callai, H. C. (2005). Aprendendo a ler o mundo: a geografia nos anos iniciais do ensino fundamental. Cadernos CEDES, 25(Cad. CEDES, 2005 25(66)). https://doi.org/10.1590/S0101-32622005000200006

Carvalho, A. M. P. de. (2018). Fundamentos teóricos e metodológicos do ensino por investigação. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 18( 3), 765-794. doi:10.28976/1984-2686rbpec2018183765

Castellar, S. M. V. (2005). Educação geográfica: a psicogenética e o conhecimento escolar. Cadernos CEDES, 25 (Cad. CEDES, 2005 25(66)). https://doi.org/10.1590/S0101-32622005000200005

Cruz, J. F. D. & Ferreira, J. L. (2022). O ensino e a aprendizagem de gráficos e tabelas na educação básica a partir de uma revisão sistemática da literatura (2009-2019). EM TEIA – Revista de Educação Matemática e Tecnológica Iberoamericana, v. 13, n. 2, p. 29-59

Dayrell, J. (2003). O jovem como sujeito social. Revista Brasileira De Educação, (Rev. Bras. Educ., 2003 (24)). https://doi.org/10.1590/S1413-24782003000300004

Freire, P (1988). A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. Campinas: Autores Associados; São Paulo: Cortez.

Kleiman, A. (org.), (1995). Os significados do letramento. Campinas: Mercado de Letras.

Lorenzetti, L. & Delizoicov, D. (2001). Alfabetização científica no contexto das séries iniciais. Ensaio Pesquisa Em Educação Em Ciências (Belo Horizonte), 3 (Ens. Pesqui. Educ. Ciênc. (Belo Horizonte), 2001 3(1)). https://doi.org/10.1590/1983-21172001030104

Mazzonetto, M. L. P. & Moreira, A. C. (2006). Alfabetização Geográfica nas séries iniciais do ensino fundamental. Rio Grande do Sul: Rev. Ciênc. Hum. Educ., Frederico Westphalen - ISSN 1981-9250, vol. 7, n. 9, p. 121-132

Moraes, T. S. V. de. & Carvalho, A. M. P. de. (2017). Investigação científica para o 1º ano do ensino fundamental: uma articulação entre falas e representações gráficas dos alunos. Ciência & Educação (Bauru), 23(Ciênc. educ. (Bauru), 2017 23(4)). https://doi.org/10.1590/1516-731320170040009

Pereira, D. (2003). Paisagens, Lugares e Espaços: A Geografia no ensino básico. Boletim Paulista De Geografia, (79), 9–22. Recuperado de https://publicacoes.agb.org.br/boletim-paulista/article/view/818.

Svorc, R. (2007) Figueiras centenárias, História Ambiental e Estrutura da Mata Atlântica no município de Angra dos Reis, RJ. 2007. 67 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Ambientais e Florestais) - Instituto de Florestas, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica - RJ.

Sasseron, L. H.. (2015). Alfabetização Científica, ensino por investigação e argumentação: relações entre ciências da natureza e escola. Ensaio Pesquisa Em Educação Em Ciências (Belo Horizonte), 17(Ens. Pesqui. Educ. Ciênc. (Belo Horizonte), 2015 17(spe)). https://doi.org/10.1590/1983-2117201517s04

Sasseron, L. H., & de Carvalho, A. M. P. (2011). Alfabetização Científica: uma revisão bibliográfica. Investigações Em Ensino De Ciências, 16(1), 59–77. Recuperado de https://ienci.if.ufrgs.br/index.php/ienci/article/view/246

Soares, M.. (2004). Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira De Educação, (Rev. Bras. Educ., 2004 (25)). https://doi.org/10.1590/S1413-24782004000100002

Soares, M., & Batista, A. A. G. (2005) Centro De Alfabetização, Leitura E Escrita. Alfabetização e letramento. Belo Horizonte: Ceale/FAE-UFMG, 2005. 64 p. (Alfabetização e letramento). ISBN 8599372041.

Ramalho. S. G. (2013). Alfabetização e letramento: (Re)descobrindo conceitos. Opará: Etnicidades, Movimentos Sociais e Educação, Paulo Afonso, ano 1, vol. 2.

Viecheneski, J. P., & Carletto, M. R. (2013). Iniciação à alfabetização científica nos anos iniciais: contribuições de uma sequência didática. Investigações Em Ensino De Ciências, 18(3), 525–543. Recuperado de https://ienci.if.ufrgs.br/index.php/ienci/article/view/112

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Ciências em Foco

Downloads

Não há dados estatísticos.