Filmes em filmes
Capa por: Fanny Lopes, a partir de William Daniel, Self-Portrait, As Pedlar of Statues, 1850.  Organizadores: João Victor Batista, João Victor Rossetti Brancato, Ana Carolina Dias Florindo, Janaína da Silva Fonseca, Catherine Peggion Hergert, Letícia Asfora Falabella Leme, Fanny Tamisa Lopes, Fabriccio Miguel Novelli Duro, Fernando Pesce, Alysson Brenner Nogueira Pereira, Victoria Cristina Rozario Rodrigues.
PDF

Palavras-chave

Nazismo
História e cinema
Arte e cinema
Censura cinematográfica
Cinema senegalês

Como Citar

PEREIRA, A. B. N. Filmes em filmes: referências culturais e censura em Camp de Thiaroye (1988), de Ousmane Sembène e Thierno Faty Sow. Encontro de História da Arte, Campinas, SP, n. 15, p. 489–501, 2021. DOI: 10.20396/eha.15.2021.4698. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/eha/article/view/4698. Acesso em: 2 mar. 2024.

Resumo

Primeiramente, pretendemos, para este texto, apresentar a obra Camp de Thiaroye (1988), contextualizando-a nos cinemas da África, e na trajetória do “pai do cinema africano”: Ousmane Sembène. Para assim, explanar parte dos resultados da pesquisa que tinha como objetivo geral analisar a obra fílmica citada. A leitura feita tem como foco os filmes e as pinturas referenciadas, pensando, em conjunto, a censura cinematográfica na França e no continente africano, em especial no Senegal.

https://doi.org/10.20396/eha.15.2021.4698
PDF

Referências

AUMONT, Jacques; MARIE, Michel. Dicionário Teórico e Crítico de Cinema. Campinas: Papirus Editora, 2006.

BAMBA, Mahomed. Ler a recepção: para uma análise crítica dos discursos da censura cinematográfica. In: BAMBA, Mahomed. A Recepção cinematográfica: teoria e estudos de casos. Salvador: EDUFBA, 2013, v. 1, p. 281-299.

BAMBA, Mahomed. Que modernidade para os cinemas africanos? FórumDoc. BH - 13° Festival do Filme Documentário e Etnográfico / Fórum de Antropologia, Cinema e Vídeo, 2009, p. 183-189.

GINIO, Ruth. African Colonial Soldiers between Memory and Forgetfulness: The Case of Post-Colonial Senegal. In: Outre-mers, tome 93, n°350-351, 2006. p. 141-155.

GOMES, Tiago de Castro Machado. Ousmane Sembène e o(s) Cinema(s) da África. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharel em Cinema & Audiovisual) - Universidade Federal Fluminense. Niterói, p. 89. 2013.

GOMES, Vinícius Pinto. As histórias pelas lentes de Sembène: narrativas históricas e emancipação (Anos 1970/1980). Dissertação (Mestrado em História do Tempo Presente) - Universidade do Estado de Santa Catarina. Florianópolis, p. 115. 2021.

SCHECK, Raffael. French Colonial Soldiers in German Captivity during World War II. Cambridge: Cambridge University Press, 2014.

SPOTTS, Frederic. The Shameful Peace: How French Artists and Intellectuals Survived the Nazi Occupation. New Haven: Yale University Press, 2008.

VALIM, Alexandre. História e cinema. In: CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo. Novos domínios da História. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012, p. 283-300.

VANSINA, J. As artes e a sociedade após 1935. In: História Geral da África – África desde 1935. MAZRUI, Ali A.; WONDJI, Christophe (editores). Brasília: UNESCO, 2010.

Fontes Fílmicas:

CAMP de Thiaroye. Direção: Ousmane Sembène e Thierno Faty Sow. Produção: Mustafa Bem Jemja, Ouzid Dahmane, Mamadou Mbengue. Senegal: Filmi Domirev, SNCP, SATPEC, ENAPROC e Filmi Kajoor, 1988, 147 min, color.

LE Corbeau. Direção: Henri-Georges Cluzot. Produção: René Montis, Raoul Ploquin. França: Continental Films, 1943, 92 min, P&B.

NUIT et Brouillard. Direção: Alain Resnais. Produção: Anatole Dauman, Samy Halfon, Philippe Lifchitz. França: Argos Films, 1955, 32 min, color.

SEMBÈNE!. Direção: Samba Gadjigo e Jason Silverman. Produção: Dan Cogan, William T. Conway, Samba Gadjigo, Andrew Pinkes, Jenny Raskin, Jason Silverman, Mark Steele, Jim Swartz, Jenifer Westphal. Senegal/EUA: Galle Ceddo Projects. 2015, 89 min, color.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Alysson Brenner Nogueira Pereira

Downloads

Não há dados estatísticos.