Deyson Gilbert, Beto Shwafaty, Pablo Uribe e Barbara Wagner

a prática artística e seu caráter crítico e reflexivo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/eha.15.2021.4686

Palavras-chave:

Curadoria, Historiografia da arte no Brasil, Arte contemporânea

Resumo

Esse artigo é parte da minha dissertação de mestrado defendida em janeiro de 2021, onde procurei investigar as possibilidades entre curadoria, arte e arquitetura a partir do 33º Panorama da Arte Brasileira realizado no Museu de Arte Moderna de São Paulo (05/11 a 15/12/2013) com curadoria de Lisette Lagnado e Ana Maria Maia. A partir de uma perspectiva prospectiva apontada pela curadoria, faço um recorte entre os artistas da exposição que operam de um modo conceitual e crítico, apontando os trabalhos que têm uma ligação com questões da história não só do MAM enquanto instituição, mas também com a história da arte construtiva no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Omar Porto, Universidade de São Paulo

Doutorando em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo.

Referências

COUTO, Maria de Fátima Morethy. Por uma vanguarda nacional: A crítica brasileira em busca de uma identidade artística (1940-1960). São Paulo: Editora UNICAMP, 2004.

CATOIA, Elizabeth Catoia Varela. Arte Concreta além da Europa: Brasil, Argentina e MAM Rio. Rio de Janeiro: Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, 2017.

MUSEU DE ARTE MODERNA DE SÃO PAULO, MAM-SP. P33: Formas Únicas da continuidade no espaço: Panorama da Arte Brasileira 2013. Curadoria Lisette Lagnado. São Paulo, 2013. (Catálogo de exposição).

PISANI, Daniele. O trianon do MAM ao MASP: arquitetura e política em São Paulo (1946-1968). São Paulo: Editora 34, 2019.

CHIPP, Herschel Browning. Teorias da arte moderna. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

Cochiarale, Fernando & Geiger, Anna Bella. Abstracionismo: geométrico e informal: a vanguarda brasileira nos anos cinquenta. Rio de Janeiro: FUNARTE, Instituto Nacional de Artes Plásticas, 1987.

BRITO, Ronaldo. Neoconcretismo, vértice e ruptura do projeto construtivo brasileiro. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

GULLAR, Ferreira. Experiência Neoconcreta: momento-limite da arte. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

M.F. Cunha, Eileen. Grupo Frente e o experimentalismo emergente de Lygia Pape, Lygia Clark e Hélio Oiticica. In: Arte & Ensaios, Revista do Mestrado em História da Arte, EBA-UFRJ 1(1):39-52, 1º semestre de 1994.

AMARAL, Aracy A. Projeto Construtivo brasileiro na arte. Ed. Fac-similar realizada pela Pinacoteca do Estado de São Paulo, dezembro de 2014.

RICKEY, George. Construtivismo: origens e evolução. São Paulo: Cosac Naify, 2002.

HUCHET, Stéphane. Presença da arte brasileira: história e visibilidade internacional. Concinitas, Rio de Janeiro, ano 9, v. 1, n. 12, jul, 2008. p.49-65.

LAGNADO, Lisette. Por uma revisão dos estudos curatoriais. Poiésis, Niterói-RJ, n. 26, dez. 2015. p. 81-97.

REINALDIM, Ivair. Tópicos sobre curadoria. Poiésis, Niterói-RJ, n. 26, dez. 2015. p. 15-28.

RUPP, Bettina. O curador como autor de exposições. Valise, Porto Alegre-RS, v.1, n.1, ano 1, jul., 2011. p. 131-143.

Downloads

Publicado

2021-12-31

Como Citar

PORTO, O. Deyson Gilbert, Beto Shwafaty, Pablo Uribe e Barbara Wagner: a prática artística e seu caráter crítico e reflexivo. Encontro de História da Arte, Campinas, SP, n. 15, p. 502–516, 2021. DOI: 10.20396/eha.15.2021.4686. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/eha/article/view/4686. Acesso em: 4 fev. 2023.