Rupturas e continuidades
Capa por: Fanny Lopes, a partir de William Daniel, Self-Portrait, As Pedlar of Statues, 1850.  Organizadores: João Victor Batista, João Victor Rossetti Brancato, Ana Carolina Dias Florindo, Janaína da Silva Fonseca, Catherine Peggion Hergert, Letícia Asfora Falabella Leme, Fanny Tamisa Lopes, Fabriccio Miguel Novelli Duro, Fernando Pesce, Alysson Brenner Nogueira Pereira, Victoria Cristina Rozario Rodrigues.
PDF

Palavras-chave

Ornamento
Imagem
Arte
Legitimação
Materiais têxteis

Como Citar

COPPOLA, S. A. Rupturas e continuidades: o texere da legitimação da ornamentação têxtil na história da arte. Encontro de História da Arte, Campinas, SP, n. 15, p. 152–163, 2021. DOI: 10.20396/eha.15.2021.4681. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/eha/article/view/4681. Acesso em: 4 dez. 2023.

Resumo

Os têxteis e sua organização ornamental participam, até a Idade Média, como suporte material semântico específico, dos discursos e sentidos colocados em funcionamento nos rituais e ritos sagrados. Através do conceito de ‘imagem’ e ‘ornamento’, propõe-se uma análise junto à História da Arte, costurando sentidos visíveis e invisíveis efetivados pelo iconográfico e simbólico, identificando continuidades e rupturas no texere da história têxtil, cuja origem remete ao sagrado.

https://doi.org/10.20396/eha.15.2021.4681
PDF

Referências

ARENAS, José Fernandez. Teorya y metodologia de la historia del arte. 2. ed. Barcelona: Anthropos, 1990.

BASCHET, Jérôme. Introdução: a imagem-objeto. In: SCHMITT, Jean-Claude; BASCHET, Jérôme. L'image: Fonctions et usages des images dans l'Occident médiéval. Paris: Le Léopard d'Or, 1996. p. 7-26.

BELTING, Hans. Semelhança e Presença. A história da imagem antes da era da arte. Rio de Janeiro: ARS URBE, 2010.

BIDERMAN, Maria Tereza Camargo. Dimensões da Palavra. Filologia e Linguística Portuguesa, n. 2, p. 81-118, 1998.

BONNE, Jean-Claude. Arte e environnement: entre arte medieval e arte contemporânea. In: SEMANA DE ESTUDOS MEDIEVAIS, 7., 2009, Brasília. Anais [...]. Brasília: PEM/UnB, 2009. p. 39-57.

BURCKHARDT, Titus. A arte sagrada no Oriente e no Ocidente: princípios e métodos. São Paulo: Altar Editorial, 2004.

CRETELLA JUNIOR, José; CINTRA, Geraldo de Ulhoa. Dicionário Latino-Português. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1956.

DURAND, Guillaume. Rational ou Manuel des divins offices de Guillaume Durand ou Raisons mystiques et historique de la liturgie catholique. Paris: Louis Vivès, Libraire-editeur, 1854.

EMILIANI, Andrea. I materiali e Le istituizioni. In: Storia dell’Arte italiana. Torino: Einaudi, 1979.v.1, p.2-161.

GOMBRICH, Ernest. O sentido da ordem: Um estudo sobre a psicologia da arte decorativa. Porto Alegre: Bookman, 2012.

GUÉNON, René. Simbolos Fundamentales de La Ciencia Sagrada. Buenos Aires: Editora Universitaria de Buenos Aires, 1969.

PEREIRA, Maria Cristina Correia Leandro. Exposition des ymages des figures qui sunt: discursos sobre imagens no Ocidente Medieval. Antítese, Londrina, v. 9, n. 17, 2016.

RIEGL, Alois. Problemi di stile: fondamenti di una storia dell'arte ornamentale. Milano: Feltrinelli, 1963.

SCARROCCHIA, Sandro. Oltre la storia dell'arte. Alois Riegl, protagonista della cultura viennese. Milano: Marinotti, 2006

SCHMITT, Jean Claude. Imagens. In: LE GOFF, Jacques; SCHIMITT, Jean Claude. Dicionário temático do Ocidente Medieval. Guarulhos: EDUSC, 2002, p. 591-605.

SCHMITT, Jean-Claude. O corpo das imagens. Bauru: Edusc, 2007.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Soraya Aparecida Coppola

Downloads

Não há dados estatísticos.