Mulher, feminino e feminismo em debate no campo artístico brasileiro (1960-1970)
Capa por: Fanny Lopes, a partir de William Daniel, Self-Portrait, As Pedlar of Statues, 1850.  Organizadores: João Victor Batista, João Victor Rossetti Brancato, Ana Carolina Dias Florindo, Janaína da Silva Fonseca, Catherine Peggion Hergert, Letícia Asfora Falabella Leme, Fanny Tamisa Lopes, Fabriccio Miguel Novelli Duro, Fernando Pesce, Alysson Brenner Nogueira Pereira, Victoria Cristina Rozario Rodrigues.
PDF

Palavras-chave

Arte brasileira
Gênero
Exposições
Crítica de arte
Legitimação

Como Citar

SILVA, Bruna Fernanda Vieira. Mulher, feminino e feminismo em debate no campo artístico brasileiro (1960-1970). Encontro de História da Arte, Campinas, SP, n. 15, p. 638–645, 2021. DOI: 10.20396/eha.15.2021.4660. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/eha/article/view/4660. Acesso em: 15 abr. 2024.

Resumo

A pesquisa propõe analisar a circulação dos conceitos de mulher, feminino e feminismo no campo artístico brasileiro nas duas décadas anteriores à disseminação do movimento feminista em contextos sociais e culturais na década de 1980 no Brasil. Para isso, pretendemos investigar a produção discursiva realizada pela crítica de arte, os museus e galerias de arte, consideradas áreas responsáveis pela legitimação e reconhecimento no campo artístico nas décadas de 1960 e 1970.

https://doi.org/10.20396/eha.15.2021.4660
PDF

Referências

AMARAL, Aracy. O cotidiano feminino transformado em arte. O Estado de S. Paulo, São Paulo: 04-11-1979.

AMARAL, Aracy. Arte e meio artístico. Entre a feijoada e o x-burguer (1961-1981). São Paulo: Nobel, 1983.

AMARAL, Aracy. Arte pra quê? A preocupação social na arte brasileira (1930-1970). 3ª ed. São Paulo: Studio Nobel, 2003.

AMARAL, Aracy. Textos do Trópico de Capricórnio. Artigos e ensaios (1980-2005). V. 3: Bienais e artistas contemporâneos no Brasil. São Paulo: Ed. 34. 2006.

BARROS, Roberta. Elogio ao toque. Ou como falar da arte feminista à brasileira. Rio de Janeiro: Relacionarte, 2016.

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

CERCHIARO, Mariana M; SIMIONI, Ana Paula C; TRIZOLI, Talita. The exhibition ‘Contribuição da mulher às artes plásticas brasileira’ and the silence of Brazilian art criticism. Artl@s Bulletin, v.8, n. 1, p. 209-224, 2019.

DURAND, José Carlos. Arte, privilégio e distinção. São Paulo: Perspectiva, 1989.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: A vontade de saber. 13º ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1988.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade II: O uso dos prazeres. 8ª ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1984.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade III: O cuidado de si. 1ª ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1985.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 1996.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2017.

GARCIA, Maria Amélia B. Artes plásticas: participação e distinção. Brasil anos 60/70. Tese (Doutorado em História Social) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1990.

LEIRNER, Sheila. A arte feminina e o Feminismo. O Estado de S. Paulo, São Paulo: 13-02-1977.

LEIRNER, Sheila. Feminismo brasileiro, opinião da crítica. O Estado de S. Paulo, São Paulo: 27-02-1977.

LEIRNER, Sheila. Arte como medida. São Paulo: Perspectiva, 1982.

LOPES, Regina Pinto. Elas na vanguarda. O Globo, Rio de Janeiro: 29-12-1969.

MACHADO, Lourival Gomes. O sexo dos anjos. Correio da Manhã, Rio de Janeiro: 14-01-1961.

MAURÍCIO, Jayme. Mulheres no Ibirapuera: 275 obras. Correio da Manhã, Rio de Janeiro: 27-01-1961.

MORAIS, Frederico. Presença da mulher na arte brasileira. O Globo, Rio de Janeiro: 08-03-1982.

PEDRO, Joana Maria. Narrativas fundadoras do feminismo: poderes e conflitos (1970-1978). Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 26, n. 52, p. 249-272, dez. 2006.

SARTI, Cynthia. Feminismo no Brasil: uma trajetória particular. Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas), n. 64, p. 38-47, fev. 1988.

SARTI, Cynthia. O feminismo brasileiro desde os anos 1970: revisitando uma trajetória. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 12, n. 2, p. 35-50, ago. 2004.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil para a análise histórica. In: Pensamento feminista. Conceitos Fundamentais. HOLLANDA, Heloisa Buarque de (Org.). Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2019, p. 49-80.

TEJO, Cristina S. A gênese do campo da curadoria de arte no Brasil: Aracy Amaral, Frederico Morais e Water Zanini. Tese (Doutorado em Sociologia) – Universidade Federal de Pernambuco. Pernambuco: 2017.

TVARDOVSKAS, Luana Saturnino. Dramatização dos corpos. Arte contemporânea e crítica feminista no Brasil e na Argentina. São Paulo: Intermeios, 2015.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Bruna Fernanda Vieira Silva

Downloads

Não há dados estatísticos.