Curador e a identidade legitimadora
Capa por: Fanny Lopes, a partir de William Daniel, Self-Portrait, As Pedlar of Statues, 1850.  Organizadores: João Victor Batista, João Victor Rossetti Brancato, Ana Carolina Dias Florindo, Janaína da Silva Fonseca, Catherine Peggion Hergert, Letícia Asfora Falabella Leme, Fanny Tamisa Lopes, Fabriccio Miguel Novelli Duro, Fernando Pesce, Alysson Brenner Nogueira Pereira, Victoria Cristina Rozario Rodrigues.
PDF

Palavras-chave

Paulo Herkenhoff
Beatriz Milhazes
Curadoria
Processos de legitimação de artistas
Sistema da arte

Como Citar

SILVA, C. P. da. Curador e a identidade legitimadora: análise da atuação curatorial no sistema da arte. Encontro de História da Arte, Campinas, SP, n. 15, p. 646–664, 2021. DOI: 10.20396/eha.15.2021.4632. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/eha/article/view/4632. Acesso em: 22 fev. 2024.

Resumo

O presente trabalho pretende entender como a figura do curador tornou-se um dos elementos responsáveis pela legitimação de artistas contemporâneos. Como estudo de caso, será analisado a participação do curador Paulo Herkenhoff na trajetória da artista Beatriz Milhazes. Como metodologia utilizamos o referencial teórico composto por Lipovetsky, Focault, Castells e McIntyre para analisar o conceito de legitimação, em conjunto com autores que discutem a sedimentação da prática curatorial no contemporâneo, além de uma análise da participação de Herkenhoff na legitimação de Milhazes no sistema da arte.

https://doi.org/10.20396/eha.15.2021.4632
PDF

Referências

BASOLE, R. C.; KARLA, J. On the evolution of mobile platform ecosystem structure and strategy. Business & Information Systems Engineering, v. 3, n. 5, p. 313-322, 2011.

BISHOP, Claire. What is a curator? 2007. Disponível em: https://monoskop.org/images/e/e1/Bishop_Claire_2007_What_Is_a_Curator.pdf, Acesso em: 15 maio 2021.

BUENO, Maria Lúcia. Artes plásticas no século XX: modernidade e globalização. Campinas: Ed. Unicamp, 2001

CAUQUELIN, Anne. Arte Contemporânea: uma introdução. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

CASTELLS, Manuel. A Era da Informação: Economia, Sociedade e Cultura. In: A sociedade em Rede. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1996.

FOCAULT, Michel. Power/ Knowledge: Selected Interviews And Other Writtings, 1972-1977. Nova Iorque: Vintage, 1980.

FOWLE, Kate. “Who cares? Understanding the role of the curator today”. In: RAND, Steven e KOURIS, Heather (Ed.). Cautionary Tales: Critical Curating. New York: Apexart, 2007, p. 26-35.

HARGREAVES MCINTYRE, Morris. Taste Buds: how to cultivate the art market. London: Art Council England, Oct. 2004.

HEINICH, Nathalie. As reconfigurações do estatuto de artista na época moderna a contemporânea. Revista Porto Arte. Porto Alegre, v.2, n.22, maio 2005, p.137-147.

HEINICH, Nathalie; POLLAK, Michael. From museum curator to exhibition auteur. In: FERGUSON, Bruce W.; GREENBERG, Reesa; NAIRNE, Sandy (Ed.). Thinking about exhibitions. London: Routledge, 2000.

HERKENHOFF, P. Também para a “Geração 80”, a alegria é a prova dos nove. Folha de S. Paulo, São Paulo, p. 26, 11 set. 1984.

HERKENHOFF, P.; PEDROSA, A. XXIV Bienal de São Paulo. São Paulo: Fundação Bienal, 1998.

HERKENHOFF, P. Beatriz Milhazes: cor e volúpia. Rio de Janeiro: Editora Francisco Alvez, 2007.

LIPOVETSKY, Gilles. A estetização do mundo: viver na era do capitalismo artista. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

MARTINHO, T. Quero ser livre. Revista TPM, p. 20-28. São Paulo: Editora Abril, agosto, 2013.

MORAIS, F. Anos 80: A pintura resiste. In: INSTITUTO ITAÚ CULTURAL (Org.) BR 80: Pintura Brasil Década de 80. São Paulo: Instituto Itaú Cultural, 1991.

O´DOHERTY, Brian. No interior do cubo branco: a ideologia do espaço da arte. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

PINHO, D. Arte como Investimento: a dimensão econômica da pintura. São Paulo, Nobel, EDUSP, 1989.

RAFFAINI, Patrícia Tavares. Museu Contemporâneo e os Gabinetes de Curiosidades. Revista do Museu de Arqueologia e Etnografia, São Paulo, v.3, 1993, p. 159-164.

SHAPIRO, Roberta. Que é artificação? Sociedade e Estado, Brasília, v.22, n.1, jan/abri. 2007, p. 135-151.

SHAPIRO, Roberta e HEINICH, Nathalie. Quando há artificação? Revista Sociedade e Estado, vol. 28, n.1, jan/abr. 2013, p.14-28.

SMITH, R. Art in Review. The New York Times, sessão C, p. 27, March 22, 1996.

THORNTON, S. Seven Days in the Art World. New York: W. W. Norton & Company, 2009.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Cássia Pérez da Silva

Downloads

Não há dados estatísticos.