Expografias italianas do pós-guerra, o MASP na rua 7 de abril e na Avenida Paulista
PDF

Palavras-chave

Expografia
MASP
Pós-guerra

Como Citar

MIYOSHI , Alexander Gaiotto. Expografias italianas do pós-guerra, o MASP na rua 7 de abril e na Avenida Paulista. Encontro de História da Arte, Campinas, SP, n. 3, p. 441–458, 2007. DOI: 10.20396/eha.3.2007.3731. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/eha/article/view/3731. Acesso em: 22 maio. 2024.

Resumo

Nas primeiras décadas do século XX a expografia foi tema de intenso debate. A densificação de pinturas nas paredes dos museus passou a ser vista por muitos como uma incômoda congestão.

https://doi.org/10.20396/eha.3.2007.3731
PDF

Referências

ARGAN. Giulio Carlo. “Il museo come scuola”. Comunità, III, 3, maio/jun. 1949, pp. 64-66. Id. Ibid.

BARDI, Lina Bo. “O que é um museu”. Habitat, nº. 9, São Paulo, 1952, p. 52.

BARDI, P. M. The Arts in Brazil: A New Museum at São Paulo. Milão: Del Milione, 1956, pp. 96, 98.

BONFANTI, Ezio. PORTA, Marco. Città, museo e architettura. I Bbpr e la cultura architettonica italiana. Milão, 1973, p. 153.

FERRAZ, Geraldo. “As Novas Instalações do Museu de Arte de São Paulo”. Diário de Notícias. São Paulo, 2 de junho de 1950.

GIACCONE. G. “Lettera al Direttore”. Giornale di Sicília. 29 de março de 1963. Apud Id. Ibid. p. 405.

GREGOTTI, V. “Il territorio museo”. Casabella, 574, dezembro de 1990, p. 2.

HUBER, Antonella. Il Museo italiano. La trasformazione di spazi storici in spazi expositivi. Attualitá dell’esperienza museografica degli anni ’50. Milão: Edizioni Lybra Immagine, 1997, p. 44.

LOHSE, R. P., Neue Ausstellungen. Nouvelles conceptions de l’exposition. New design in exhibitions. Verlag für Architektur: Erlenbach-Zurique, 1953.

LONGHI. Roberto. “Bilancio di mostre nel dopoguerra”. Paragone, nº. 23, 1951, pp. 67-73. Id. Ibid. p. 63.

MAGAGNATO, L. “La mostra di museologia”. Comunità nº. 53, 1957, pp. 70-72.

MAGAGNATO. Licisco. “Il museo attivo”. Comunità, VII, 17 de fevereiro de 1953, pp. 56-62. Id. Ibid.

MARX, Harald. WEBER, Gregor J. M. Staatliche Kunstsammlungen Dresden. The Old Masters Picture Gallery (catálogo reduzido da Galeria de Pintura dos Velhos Mestres de Dresden, versão em inglês). Munique/Berlim: Deutscher Kunstverlag, 2001, p. 7.

MORELLO, Paolo. “La museografia. Opere e modelli storiografici”. DAL CO, Francesco. Storia dell’architettura italiana – il secondo novecento. Milão: Electa, 1997, p. 392.

MORLEY, Grace. “Les Musées et l’Unesco/Museums and Unesco”. Museum. Vol 2. Paris: Unesco, 1949 (reimpressão 1973), pp. 19-20.

MOTTA, Renata Vieira da. O Masp em exposição: mostras periódicas na Sete de Abril. São Paulo: FAU-USP, 2003.

PASQUARELLI. S. “La Quadriennale di Roma. Fra tradizione e innovazione”. ROMANELLI. G. “Per mettersi in mostra. La Biennale di Venezia e i suoi allestitori”. Rassegna, nº. 10 (Allestimenti/Exhibit Design), 1982, pp. 56-61.

PERSICO, Edoardo. “Regia della Quadriennale”. L’Eco del mondo, 9 de fevereiro de 1935. Id. Ibid. p. 62.

POLANO. S. Mostrare. L’allestimento in Italia dagli anni Venti agli anni Ottanta. Edizioni Lybra Immagine: Milão, 1988.

ROCKEFELLER, Nelson A. “Cidadelas da Civilização”. Habitat, nº. 1, São Paulo, out./dez. 1950, pp. 18-19.

SCHINCARIOL, Zuleica. Através do espaço do acervo: o Masp na 7 de abril. São Paulo: FAU-USP, 2000 (dissertação de mestrado), p. 14.

TOGNON, Marcos. Arquitetura italiana no Brasil. A obra de Marcello Piacentini. Editora da Unicamp: Campinas, 1999).

"Ensinar a ver e aprender”. Diário de S. Paulo. Suplemento Museu de Arte. São Paulo, 9 de julho de 1950, p. 5

“‘Mão do povo brasileiro’ no Museu ‘Assis Chateaubriand’”. Diário de São Paulo. São Paulo, 19 de junho de 1969, 1º caderno, p. 11. BCDMASP.

“Os museus vivos nos Estados Unidos”. Habitat, nº. 8, São Paulo, 1951, p. 12.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2007 Alexander Gaiotto Miyoshi

Downloads

Não há dados estatísticos.