"A reforma de 1890"
PDF

Palavras-chave

Escola Nacional de Belas Artes
Reforma de 1890
Arte brasileira

Como Citar

DAZZI , Camila. "A reforma de 1890": continuidades e mudanças na Escola Nacional de Belas Artes (1890-1900). Encontro de História da Arte, Campinas, SP, n. 3, p. 194–205, 2007. DOI: 10.20396/eha.3.2007.3679. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/eha/article/view/3679. Acesso em: 19 jun. 2024.

Resumo

Apesar da importância da Academia Imperial/Escola Nacional de Belas Artes (AIBA/ENBA) nunca ter sido negada no cenário artístico nacional, a sua historiografia apresenta várias limitações.

https://doi.org/10.20396/eha.3.2007.3679
PDF

Referências

Acervo Arquivístico do Museu Dom João VI/EBA/UFRJ. Notação: 3518. Ofcicio da Secretaria Nacional do Interior, datado de 30 de Novembro de 1889.

Acervo arquivístico do Museu D.João VI/EBA/UFRJ. Acta da Congregação de 6 de outubro de 1890.

Acta da 1ª seção do Conselho Escolar do anno de 1900. 6154, 91 recto.

Acta da secção do Conselho Escolar em 13 de setembro de 1892, 6154, 13 recto.

Acta da secção do Conselho Escolar em 4 de junho de 1891, 1 recto; Secção do Conselho Escolar em 16 de março de 1896, 41 recto.

Arquivo do Museu Dom João VI EBA/UFRJ. Livro de Correspondências Enviadas, ENBA, 12 de março de 1892, p. 63. Livro de Correspondências Enviadas, ENBA, 17 de novembro de 1892, no, p. 95.

Arquivo do Museu Dom João VI/EBA/UFRJ. Notação: 6154. Acta da secção do Conselho Escolar em 4 de junho de 1891. p.1.

Arquivo do Museu Dom João VI da Escola de Belas Artes/EBA/UFRJ. Informações retiradas do: Índice dos Decretos de criação da Escola de Belas Artes no período de 1816 a 1986. Pasta de Decretos. Pesquisa realizada pela museóloga Clelia Cerqueira Lima Celestino. s/d.

BROCOS, Modesto. A questão do ensino de Bellas Artes seguido da critica sobre a direção Bernardelli e justificação do autor.. Rio de Janeiro: s/ed, 1915, pp.44-45.

CARVALHO, José Murilo de. A Formação das almas: o imaginário da República no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CONDURU, Roberto et alli. Missão Francesa no Brasil. Rio de Janeiro; Sextante, 2004.

DUQUE ESTRADA, Luis G. Contemporâneos. Rio de Janeiro: Benedito de Souza, 1929.

Gazeta de Notícias, dia 07 de julho de 1890.Título:Academia de Bellas Artes II. Autor: Pardal Mallet.

I “Deutsch-Römer”, Il mito dell`Italia negli artisti tedeschi, 1850-1900. Milano: Mandadori Editora, 1988.

KOSHIBA, Luiz. História do Brasil. Atual Editora. p. 144. SCHWARCZ, Lilia. As Barbas do Imperador – Um monarca nos trópicos. Rio de Janeiro: Companhia da Letras, 1999.

MARQUES, Luiz (org.). 30 Mestres da Pintura no Brasil. São Paulo: MASP / Rio de Janeiro: MNBA, 2001 (Catálogo de exposição), pp.21-23.

Regimento das Exposições Geraes de Bellas Artes. Rio de Janeiro: Companhia Industrial de Papelaria, 1885.

VALLE, Arthur Gomes. A pintura da Escola Nacional de Belas Artes na 1ª República (1890-1930): da formação do pintor aos seus modos estilísticos. Rio de Janeiro:EBA/UFRJ, 2007. (tese de doutorado).

ZILIO, Carlos. “A modernidade efêmera: anos 80 na academia”. In: Anais do Seminário EBA 180 (180 anos da Escola de Belas Artes). Rio de Janeiro: Programa de pós-graduação da EBA/UFRJ, 1997. p. 237-242.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2007 Camila Dazzi

Downloads

Não há dados estatísticos.