Banner Portal
Da memória à pretura
Nesta edição da Revista Visuais dedicamos uma especial homenagem ao artista plástico e professor  Francisco Laranjo. Nascido em Lamego, ao norte de Portugal, mudou-se  para o Porto  aos 18 anos onde concluiu o Curso Superior de Artes Plásticas da Faculdade de Belas Artes do Porto. Nesta Escola, nos anos 1990, obteve o título de Professor Catedrático e posteriormente o de Professor Emérito. Francisco Laranjo foi também o Diretor da FBAUP, deixando um importante legado para a sua comunidade. Seu trabalho como pintor é reconhecido internacionalmente, tendo exposto na Europa, Ásia e nas Américas. Foi premiado pela Fundação Calouste Gulbenkian e pela Sociedade Nacional de Belas Artes. Francisco Laranjo foi também um grande apoiador de artistas e investigadores de várias nacionalidades que tiveram a oportunidade de conhecer sua enorme sabedoria e distinta sensibilidade humana.
PDF

Palavras-chave

Memórias
Racismo
Formação
Processo criativo
Artes visuais

Como Citar

PEREIRA DE CASTRO FILHO, Francival; SILVA, Maria Betânia e. Da memória à pretura: presença da temática na produção artística e formação. Revista Visuais, Campinas, SP, v. 9, n. 2, p. 126–147, 2023. DOI: 10.20396/visuais.v9i2.18500. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/visuais/article/view/18500. Acesso em: 16 jun. 2024.

Resumo

O texto investiga memórias de formação em Artes Visuais e aborda caminhos de enraizamento do pensamento, a elucidação de problemáticas pessoais e coletivas, além da materialização artística. Discute questões vinculadas à compreensão histórica, sócio estrutural racista que permeia a sociedade. Foram produzidas obras de arte em consonância à negritude, decolonialidade e memória. Em diálogo com Djamila Ribeiro, Achille Mbembe, Aimé Césaire, Frantz Fanon, Abdias do Nascimento, Lélia Gonzalez e Ecléa Bosi, a pesquisa mostra a importância do registro contínuo sobre o próprio processo criador, reflexivo, artístico, teórico de desenvolvimento da própria formação no campo das artes.

https://doi.org/10.20396/visuais.v9i2.18500
PDF

Referências

ALMEIDA, Sílvio Luiz de. Racismo Estrutural. São Paulo: Sueli Carneiro; Editora Jandaíra, 2021.

BOSI, E.; BRUCK, M. Memória: enraizar-se é um direito fundamental do ser humano. (Entrevista). V!RUS, São Carlos, n. 15, 2017. Disponível em: <http://www.nomads.usp.br/virus/virus15/?sec=2&item=1&lang=pt>. Acesso em: 21 Mar. 2022.

BOSI, ECLÉA. O tempo vivo da memória: ensaios de psicologia social. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003.

CARTIER-BRESSON, Henri. O instante decisivo. In. BACELLAR, Mario Clark (Org). Fotografia e Jornalismo. São Paulo: Escola de Comunicações e Artes (USP), 1971, p. 19-26.

CÉSAIRE, Aimé. Discurso sobre o colonialismo. São Paulo: Veneta, 2020.

________. Discurso sobre a negritude. Belo Horizonte: Nandyala, 2010. (Coleção Vozes da Diáspora Negra, Volume 3). Disponível em : https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/5663271/mod_resource/content/1/%5BAULA%208%5D%20Cesaire_Discurso%20sobre%20a%20negritude.pdf Acesso em: 07 sept. 2022.

________. Diário de um retorno ao país natal. Tradução Lilian Pestre de Almeida. Sâo Paulo: Edusp, 2012.

COUTINHO, F. Renata. O lixo vai falar, e numa boa – As possíveis relações entre o feminismo negro norte-americano e a obra de Lélia Gonzalez. UFRGS, 2018. Disponível em: http://www.eeh2018.anpuh-rs.org.br/resources/anais/8/1531185635_ARQUIVO_RenataCoutinhoFerreiraa.pdf Acesso em: 07 sept. 2022.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: Ed. UFBA, 2008.

_________. Os condenados da terra. 42. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

GONZALEZ, Lélia. Racismo e sexismo na cultura brasileira. Revista Ciências Sociais Hoje, Anpocs, 1984, p. 223-244.

GUERSON, Milena; SPOLAOR, Lincoln Volpini. Ana Mae Barbosa e Luigi Pareyson - Um diálogo em prol de “re-significações” sobre ensino/aprendizagem de artes visuais. Revista Eletrônica do Grupo PET – Ciências Humanas, Estética e Artes. Universidade Federal de São João Del-Rei. Ano V. n. V. Janeiro a Dezembro de 2010. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/download/114598. Acesso em: 21 mar. 2022.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. 3. ed. São Paulo: n-1 edições, 2018. 80 p.

________. Crítica da razão negra. São Paulo: n-1 edições, 2018.

MATHEUS, Letícia. Memória e identidade segundo Candau. Revista Galáxia, São Paulo, n. 22, p. 302-306, dez. 2011.

NASCIMENTO, Abdias do. O genocídio do negro brasileiro: processo de um racismo mascarado. São Paulo: Editora Perspectiva, 2016.

PAREYSON, L. Os problemas da estética. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala? Belo Horizonte: Letramento, 2017.

________. A categoria do Outro: O olhar de Beauvoir e Grada Kilomba sobre ser mulher. Blog da Boi Tempo. 2016. Disponível: https://blogdaboitempo.com.br/2016/04/07/categoria-do-outro-o-olhar-de-beauvoir-e-grada-kilomba-sobre-ser-mulher/. Acesso: 17/09/2022.

SUASSUNA, Ariano. Iniciação à estética. 1. ed. - Rio de Janeiro: José Olympio, 2013. Disponível em: https://facbel.edu.br/wp-content/uploads/2020/07/ARIANO_SUASSUNA_iniciacao_a_estetica_12a.pdf Acesso em: 07 sept. 2022.

TURE, Kwame. Stokely fala: do poder preto ao pan-africanismo. [S.l.]: Editora Diáspora Africana, 2017.

ZANON, W. R.; SABBAG, D. M. A. O instante decisivo de Henri Cartier Bresson e a indexação: um estudo exploratório de métodos de indexação de fotografias. Revista Digital de Biblioteconomia & Ciência da Informação, v. 15, n. 3, p. 693-714, 2017. DOI: 10.20396/rdbci.v15i3.8648748 Acesso em: 21 mar. 2022.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Revista Visuais

Downloads

Não há dados estatísticos.