Disruptiva

memória sobre o comportamento do público em exposições de arte e tecnologia

Palavras-chave: Espectador, Arte e tecnologia, A arte eletrônica na época disruptiva

Resumo

A fim de compreender como o posicionamento afetivo pode criar uma memória em torno das expectativas e impressões do público em contato com obras de arte de caráter híbrido, o foco deste artigo é tratar do processo constitutivo do relato sobre o comportamento do público visitante da exposição A arte eletrônica na época disruptiva. O texto visa questionar metodologicamente a delimitação de uma negação do espaço dos afetos para pesquisa sobre as disputas do lugar do espectador em modelos expositivos mais laboratoriais. Ao me propor a assumir uma posição mais experimental durante a observação participante na situação de visitação, investigo como me aproximar do campo de vivências do público ao interagir com a exposição de arte e tecnologia.

Biografia do Autor

Camila Damico Medina, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestra em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. 

Referências

BEIGUELMAN, Giselle. Do cubo branco à caixa preta. Revista Eletrônica Trópico, seção Novo Mundo, agosto 2004. Disponível em: http://www2.uol.com.br/tropico/novomundo_9_2581_1.shl Acesso em: 12. 11. 2018.

BISHOP, Claire. Radical museology or what is “contemporary‟ in museums of contemporary art. London, UK: Koenig Books, 2013.

CARDOSO, Ruth. Aventuras de antropólogos em campo ou como escapar das armadilhas do método. In: CARDOSO, Ruth (Org.). A aventura antropológica. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

CLIFFORD, James. Sobre a autoridade etnográfica. In: A experiência etnográfica: antropologia e literatura no século XX. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2002.

COOK, Sarah. Immateriality and Its Discontents: An Overview of Main Models and Issues for Curating New Media. In: PAUL, Christiane (Org.). New Media in the White Cube and Beyond: Curatorial models for digital art. Oakland, California: University of California Press, 2008.

DABUL, Lígia. O público em público: práticas e interações sociais em exposições de artes plásticas. 333 fl. Tese (Doutorado em Sociologia) - Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2005.

FAVRET-SAADA, Jeanne. Ser afetado. Tradução de Paula Siqueira. Revisão Técnica de Tânia Stolze Lima. Cadernos de campo, n. 13, 2005.

FRIELING, Rudolf. Participatory Art: Histories and experiences of display. In: PAUL, Christiane (Org.). A companion to digital art. Coleção Wiley Blackwell Companions to Art History. Hoboken, UK: John Wiley & Sons Inc., 2016.

GEERTZ, Clifford. Uma descrição densa: por uma teoria interpretativa da cultura. In: A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan, 1989.

HEINICH, Nathalie. From museum curator to exhibition auteur. In: GREENBERG, Reesa; FERGUSON, Bruce; et al. (Org.). Thinking about exhibitions. London: Routledge, 2007.

MAGNANI, José Guilherme. Quando o campo é a cidade: fazendo antropologia na metrópole. In: Magnani, José Guilherme C. & Torres, Lilian de Lucca (Org.) Na Metrópole - Textos de Antropologia Urbana. EDUSP, São Paulo, 1996.

MATTA, Roberto da. O ofício do etnólogo: ou como ter anthropological blues. Rio de Janeiro: Boletim do Museu Nacional, seção Antropologia, n. 27, maio de 1978.

RINEHART, Richard. One of Us! On the Coupling of New Media Art and Art Institutions. PAUL, Christiane (org.). A companion to digital art. Coleção Wiley Blackwell Companions to Art History. Hoboken, UK: John Wiley & Sons Inc., 2016.

SANTOS, Franciele Filipini dos. A contribuição de exposições de arte, ciência e tecnologia a partir de 1968 para a historiografia da arte contemporânea. Tese (Doutorado em Arte e Tecnologia) Programa de Pós-Graduação em Artes, Instituto de Artes, UnB: Brasília, 2015.

SHANKEN, Edward. Contemporary art and new media: Digital divide or hybrid discourse? In: PAUL, Christiane (Org.). A companion to digital art. Coleção Wiley Blackwell Companions to Art History. Hoboken, UK: John Wiley & Sons Inc., 2016.

VELHO, Gilberto. Observando o familiar. In: NUNES, Edson de Oliveira (Org.). A aventura sociológica: Objetividade, paixão, improviso e método na pesquisa social. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

Publicado
2020-06-26
Como Citar
Medina, C. D. (2020). Disruptiva: memória sobre o comportamento do público em exposições de arte e tecnologia. Revista Visuais, 6(1), 119-144. https://doi.org/10.20396/visuais.v6i1.13513