Banner Portal
Imagem, memória e tempo na visualidade da história da infância
PDF

Palavras-chave

Imagem
Memória
Tempo
História infância

Como Citar

MASIERO, C. G.; OLIVEIRA, L. da C. de. Imagem, memória e tempo na visualidade da história da infância. Revista Visuais, Campinas, SP, v. 5, n. 2, p. 49–64, 2019. DOI: 10.20396/visuais.v5i2.12361. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/visuais/article/view/12361. Acesso em: 26 fev. 2024.

Resumo

Philippe Ariès (1960) foi o precursor do estudo da história da infância como categoria isolada, sendo a imagem a sua principal fonte de pesquisa. Depois disso, inúmeros outros estudos se dedicaram a interrogá-la, utilizando diferentes fontes e perspectivas. Procurando dar continuidade à observação da relação entre infância e sua representação visual, este estudo tem por objetivo refletir sobre a imagem e sua complexidade, isto é, sobre a forma como também é portadora de memória e de diferentes temporalidades. Para tanto, serão utilizados os estudos empreendidos por Aby Warburg, Georges Didi-Huberman e outros intelectuais que se dedicaram ao tema. Esse debate será perpassado pela análise da visualidade da história da infância, especialmente pela configuração da exposição Histórias da Infância, ocorrida no Museu de Arte de São Paulo Assis Chateubriand (MASP) no ano de 2016, em que duas obras dialogaram de maneira especial: a pintura Rosa e azul, de Pierre-Auguste Renoir, e uma das fotografias da série Brasiliana Teimosa de Bárbara Wagner.

https://doi.org/10.20396/visuais.v5i2.12361
PDF

Referências

ARIÈS, Philippe. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: LTC, 1981.

BARBARA, Wagner. Disponível em: https://www.barbarawagner.com.br/barbara-wagner. Acesso em: 20. 11. 2016.

BREDEKAMP, Host; DIERS, Michael. Prefácio. In: WARBURG, Aby. A Renovação da Antiguidade pagã – Contribuições científico-culturais para a história do Renascimento europeu. Tradução: Markus Hediger. Rio de Janeiro:Contraponto, 2013.

CORTELAZZO, Patrícia Rita. Impressionismo e Pós-impressionismo. In.: CORTELAZZO, Patrícia Rita. A História da Arte por meio da leitura de imagens [livro eletrônico]. Curitiba: Intersaberes, 2012. p.66–89.

DIDI-Huberman, Georges. Diante da imagem. São Paulo: Editora 34, 2013.

DIDI-Huberman, Georges. Diante do Tempo: História da Arte e anacronismo das imagens. Tradução: Vera Casa Nova; Márcia Arbex. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2015.

GINZBURG, Carlo. Seu país precisa de você, um estudo de caso sobre iconografia política. In: GINZBURG, Carlo. Medo, reverência e terror, Quatro ensaios de iconografia política. São Paulo: Cia das Letras, 2014.

KERN, Maria Lúcia Bastos. Imagem, historiografia, memória e tempo. ArtCultura, v. 12, n. 21, 2010.

KERN, Maria Lúcia Bastos. Imagem, Memória e Tempo: o conhecimento em movimento. In: FLORES, Maria Bernadete Ramos; PETERLE, Patrícia. História e Arte, Herança, Memória, Patrimônio. São Paulo: Rafael Coppetti, 2014, p.111–129.

HEYWOOD, Colin. Uma história da infância. Porto Alegre: Artmed, 2004.

POSTMAN, Neil. O desaparecimento da infância. Tradução: Susana Menescal de Alencar Carvalho e José Laurenio de Melo. Rio de Janeiro: Graphia, 1999.

SAMAIN, Etienne (Org.). Como pensam as imagens. In: Warburg, Abay . Mnemosyne. Constelação de culturas e ampulheta de memórias. Campinas: UNICAMP, 2012. p. 51–65.

SCHMITT, Jean-Claude. O historiador e as imagens. In: O corpo das imagens. Ensaios sobre a cultura visual na Idade Média. Bauru: EDUSC, 2007, p.11–54.

STEARNS, Peter N. A infância. Tradução de Mirnas Pinsky. São Paulo: Contexto, 2006.

WAIZBORT, Leopoldo. Apresentação. In: WARBURG, Aby. Histórias de fantasmas para gente grande – Escritos, esboços e conferências. São Paulo: Cia. Das Letras, 2015, p. 7–21.

WARBURG, Aby. Histórias de fantasmas para gente grande – Escritos, esboços e conferências. São Paulo: Cia. Das Letras, 2015.

Downloads

Não há dados estatísticos.