Banner Portal
O tempo da arte como um corpo em camadas
PDF

Palavras-chave

Artes visuais
Memória
Acontecimento
Sobrevivência.

Como Citar

FARINA, Mauricius Martins. O tempo da arte como um corpo em camadas. Revista Visuais, Campinas, SP, v. 3, n. 4, p. 83–102, 2017. DOI: 10.20396/visuais.v3i4.12193. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/visuais/article/view/12193. Acesso em: 21 jun. 2024.

Resumo

Neste texto, partimos de conexões entre objetos e processos, buscando uma aproximação com a formação complexa da expressão, considerando a ampliação de oportunidades que a experiência da arte propõe ao mundo. Em sua fase "pós-autônoma", a arte se reconecta com a realidade que é agora uma teia cujos emaranhados redesenham uma circularidade orgânica em sua própria sobrevivência.

https://doi.org/10.20396/visuais.v3i4.12193
PDF

Referências

ARGAN, Giulio Carlo. Arte e crítica de arte. Lisboa: Estampa, 1995.

BENJAMIN, Walter. O anjo da história. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

DIDI-HUBERMAN, Georges. A imagem sobrevivente. História da arte e tempo dos fantasmas segundo Aby Warburg. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Ante el tiempo. Historia del arte y anacronismo de las imágenes. Buenos Aires: Adriana Hidalgo, 2008.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs. Capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1996.

FOSTER, Hal. O retorno do real. São Paulo: Cosac Naify, 2014.

GADAMER, Hans-Georg. Hermenêutica da obra de arte. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

GINZBURG, Carlo. A micro-história e outros ensaios. Lisboa: Difel, 1991.

GOMBRICH, Ernest H. A história da arte. Rio de Janeiro: LTC, 1999.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Campinas: Editora da Unicamp, 2003.

SETTIS, Salvatore. La "Tempestad" interpretada. Madrid: Akal, 1990.

Downloads

Não há dados estatísticos.