O tempo no capitalismo

uma reflexão a partir de Moishe Postone

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/tematicas.v29i57.15308

Palavras-chave:

Tempo, Capital, Capitalismo contemporâneo, Moishe Postone (1942-2018), Karl Marx (1818-1883)

Resumo

As transformações sociais e econômicas de grande envergadura que têm ocorrido na sociedade capitalista desde os anos de 1970 desafiam a teoria social crítica contemporânea a compreender a natureza dessa mudança e explicar seus variados desdobramentos na vida social. Esse artigo aborda uma dimensão dessa transformação: a temporalidade capitalista. Para tanto, o artigo se concentra nos argumentos de Moishe Postone sobre a natureza do tempo no capitalismo, que são elaborados a partir de sua leitura da teoria madura de Karl Marx – com especial atenção para o Grundrisse e O Capital. A conclusão dessa leitura é a de que, para Postone, a dualidade da forma mercadoria constitui uma relação entre uma dimensão temporal concreta (de valores de uso) e uma dimensão temporal abstrata (valor) que implica um específico tempo histórico que é crescentemente denso, veloz e instável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Henrique Pereira Braga, Universidade Federal do Espírito Santo

Professor Adjunto do Departamento de Economia da Universidade Federal do Espírito Santo. Coordenador do Grupo de Estudos em Pensamento Econômico e Teoria Social da Universidade Federal do Espírito Santo. Pesquisador Associado do Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas em Marx da Universidade Federal Fluminense. 

Ivan Zanatta Kawahara, Universidade Federal Fluminense

Doutorando em arquitetura e urbanismo pela Universidade Federal Fluminense. 

Referências

DUAYER, Mario, & de ARAUJO, Paulo Henrique Furtado. “Para a crítica da centralidade do trabalho: contribuição com base em Lukács e Postone”. Revista Em Pauta: teoria social e realidade contemporânea, 13(35), p. 15-36, 2015. Disponível em: https://bit.ly/3fWAdVV. Acesso em: 01 dez. 2020.

BRAGA, Henrique Pereira. Limites e possibilidades do capitalismo: uma introdução ao estudo da riqueza e da pobreza na crítica à economia política. Tese (Doutorado em Ciências Econômicas). Campinas: IE/UNICAMP, 2016. Disponível em: https://bit.ly/3h37Vct. Acesso em: 19 maio 2020.

BRAGA, Henrique Pereira. “Notas sobre a relação entre estranhamento e capital: uma análise dos Manuscritos Econômico-Filosóficos e do Grundrisse”. Marx e o Marxismo-Revista do NIEP-Marx, 6 (10), p. 29-43, 2018. Disponível em: https://bit.ly/3lqOgnN. Acesso em: 01 dez. 2020.

CRARY, Jonathan. 24/7: late capitalism and the ends of sleep. London: Verso, 2014.

DUARTE, Cláudio Roberto. “A potência do abstrato: resenha com questões para o livro de Moishe Postone”. Revista Sinal de Menos, 11(2), p. 70-122, 2015. Disponível em: https://bit.ly/2VqNVa8. Acesso em: 01 dez. 2020.

GORZ, André. O Imaterial: conhecimento, valor e capital. São Paulo: Annablume, 2005 [2003].

HAN, Byung-Chul. Sociedade do cansaço. Editora Vozes, 2015.

LANGE, Elena Louisa. “Moishe Postone: Marx’s Critique of Political Economy as Immanent Social Critique”. In: BEST, B.; BONEFELD, W.; O’KANE, C. (Ed.). The SAGE handbook of Frankfurt school critical theory. London: SAGE, 2018, p. 514-532.

MARX, Karl. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2004 [1844].

MARX, Karl. Grundrisse: esboço da crítica da economia política. São Paulo: Boitempo, 2011 [1857/1858].

MARX, Karl.O Capital: crítica da economia política (Volume I). São Paulo: Boitempo, 2013 [1890].

MÉSZÁROS, István. Beyond Capital: Toward a Theory of Transition. New York: Monthly Review Press, 1995.

MUSTO, Marcello. (ed). Karl Marx’s Grundrisse: foundations of the critique of political economy 150 years later. London; New York: Routledge, 2008.

PEREIRA, Leonardo Jorge da Hora. “Dominação abstrata ou concepção abstrata? Considerações sobre a teoria crítica do capitalismo de Moishe Postone.” Cadernos De Filosofia Alemã: Crítica E Modernidade, 23(1), p. 41-61, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.11606/issn.2318-9800.v23i1p41-61. Acesso em: 01 dez. 2020.

POSTONE, Moishe. “Necessity, labor, and time: a reinterpretation of the Marxian critique of capitalism”. Social Research, 45(4), p. 739-788, 1978. Disponível em: https://bit.ly/31YAkve. Acesso em: 08 jul. 2020.

POSTONE, Moishe. Time, labor, and social domination: a reinterpretation of Marx’s critical theory. Cambridge: Cambridge University Press, 2003 [1993].

POSTONE, Moishe. Tempo, trabalho e dominação social: uma reinterpretação da teoria crítica de Marx. São Paulo: Boitempo, 2014.

POSTONE, Moishe. “Capital and Temporality”. In: M. Musto (ed.). The Marx revival: key concepts and new critical interpretations. Cambridge: Cambridge University Press, 2020, p. 157-176.

RANIERI, Jesus José. Alienação e estranhamento em Marx: dos manuscritos econômicos-filosóficos de 1844 a ideologia alemã. Tese (Doutorado em Sociologia). Campinas: IFCH/UNICAMP, 2000. Disponível em: https://bit.ly/2YcGOmU. Acesso em: 07 jun. 2020.

ROSA, Hartmut. “Escalada ou saída? O fim da estabilização dinâmica e o conceito de ressonância”. In: – (autor). Aceleração: a transformação das estruturas temporais na modernidade. São Paulo: Editora Unesp, 2019 [2005], p. IX-XLIX.

THOMPSON, Edward Palmer. “Tempo, disciplina de trabalho e capitalismo industrial”. In: – (autor) Costumes em comum. São Paulo: Companhia das Letras, 1998 [1968], p. 267-304.

XIMENES, Olavo Antunes de Aguiar. “A teoria crítica de Postone e os Grundrisse de Karl Marx”. Revista Limiar, 4(7), p. 137-153, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.34024/limiar.2017.v4.9217. Acesso em: 01 dez. 2020.

Downloads

Publicado

2021-06-25

Como Citar

BRAGA, H. P.; KAWAHARA, I. Z. . O tempo no capitalismo: uma reflexão a partir de Moishe Postone. Tematicas, Campinas, SP, v. 29, n. 57, p. 347–369, 2021. DOI: 10.20396/tematicas.v29i57.15308. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tematicas/article/view/15308. Acesso em: 27 maio. 2022.