Banner Portal
Estranhamento de si
PDF

Palavras-chave

Estranhamento
Psicossomatização
Adoecimento
Práticas integrativas
Vulnerabilidade

Como Citar

MARANHÃO, Andreia Pagani; MORAES, Betânea Moreira. Estranhamento de si : o adoecimento como sintoma. Tematicas, Campinas, SP, v. 28, n. 55, p. 163–194, 2020. DOI: 10.20396/tematicas.v28i55.14159. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tematicas/article/view/14159. Acesso em: 28 maio. 2024.

Resumo

O “Estranhamento de si” é apresentado como um híbrido entre a esfera psicossomática e político-econômica, na qual o adoecimento aparece como sintoma da exploração produtiva e disciplinamento dos sujeitos. Espera-se delinear a sociogênese do processo e sua etiologia funcional ao desenvolvimento do sistema. A partir dos dados encontrados, evidencia-se a estrutura social da psicossomatização e identificam-se possibilidades de reinvenção das praxis de cuidado nas racionalidades integrativas da saúde.

https://doi.org/10.20396/tematicas.v28i55.14159
PDF

Referências

ANDRADE, João Tadeu de; COSTA, Liduina Farias Almeida da. Medicina complementar no SUS: práticas integrativas sob a luz da Antropologia médica. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 19, n. 3, p. 497-508, Set. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902010000300003&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 13 jul. 2020.

ARAUJO, José Newton. Figuras de resistência. Cad. psicol. soc. trab., São Paulo, v.17, p. 33-42, jun. 2014.

BASTOS NETO, Osvaldo. O conceito de desvio na teoria social contemporânea: Modernidade e controle. Teoria e política social, ano 1 v.1, p. 1-36.

BRASIL, Ministério da Saúde. Ministério da Saúde inclui 10 novas práticas integrativas no SUS. Agência Saúde 12 de março de 2018. Disponível em: http://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/42737-ministerio-da-saude-inclui-10-novas-praticas-integrativas-no-sus. Acesso em: 13 jun. 2020.

COUTINHO NETO, Oscar Bandeira. Estudo sobre cargas de trabalho e processos de desgaste das auxiliares de enfermagem em um Hospital Universitário de Pernambuco. Dissertação de Mestrado, Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública, 1998.

DESCRITORES EM CIÊNCIAS DA SAÚDE: DeCS. Transtornos psicossomáticos. São Paulo: BIREME/OPAS/OMS, 2017. Disponível em: http://decs.bvsalud.org. Acesso em: 22 jun. 2019.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 1987.

FOUCAULT, Michel. Nascimento da biopolítica. Curso ministrado no Collège de France (1978-1979). São Paulo: Martins Fontes, 2008.

FRIAS JUNIOR, Carlos Alberto. A saúde do trabalhador no Maranhão: uma visão atual e proposta de atuação. Dissertação de Mestrado, Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública, 1999.

GUATTARI, Félix. As três ecologias. Campinas: Papirus, 1990.

GONCALVES, Mariana Alves; PORTUGAL, Francisco Teixeira. Análise histórica da Psicologia Social Comunitária no Brasil. Psicol. Soc., Belo Horizonte, v. 28, n. 3, p. 562-571, dec. 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-71822016000300562&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 06 fev. 2020.

HAN, Byung-Chul. Sociedade do cansaço. 2ª ed. Petrópolis: Vozes, 2017.

HELMAN, Cecil. Doença versus Enfermidade na Clínica Geral. Campos. N. 10, v. 1, p. 119-128, 2009.

JOUBERT, Michel. Perturbations sociales et santé mentale. In: JOUBERT, Michel. Santé mentale, ville et violences. 3ª ed. Toulouse: Érès, 2013.

JOUBERT, Michel [Entrevista] Abrasco - Associação Brasileira de Saúde Coletiva, 22 de outubro de 2014. Disponível em: https://www.abrasco.org.br/site/eventos/simposio-brasileiro-de-saude-e-ambiente/por-uma-metacritica-que-transforme-o-mundo/7412/. Acesso em: 13 jun. 2020.

LAURELL, Asa Cristina; NORIEGA, Mariano. Processo de Produção e Saúde: trabalho e desgaste operário. São Paulo: Hucitec, 1989.

LUSTOSA, Amanda Furtado; ROSA, Lúcia Cristina. Os limites do corpo: A construção de sentidos para o corpo em crise no contexto da saúde mental. In: ADAD, Shara; BARROS JR, Francisco (Orgs). Corpografia: Multiplicidades em fusão. Fortaleza: Edições UFC, 2012.

LUZ, Madel Therezinha; BARROS, Nelson Filici. Racionalidades Médicas e Práticas integrativas em Saúde: Estudos teóricos e empíricos. Rio de Janeiro: UERJ/IMS/LAPPIS, 2012.

LUZ, Madel Therezinha. Cultura contemporânea e medicinas alternativas: novos paradigmas em saúde no fim do século XX. Physis – Revista de Saúde Coletiva, v. 15 (suplemento), p. 145-176, Rio de Janeiro, 2005.

MARX, Karl. Manuscritos econômico-filosóficos. 2ª reimp. São Paulo: Boitempo, 2008.

MARX, Karl. O Capital. Livro 1. São Paulo: Boitempo, 2011.

MASSÉ, Raymond. Culture et Santé Publique. Montréal: Gaëtan Morin,1995.

MBEMBE, Achille. Crítica da razão negra. Lisboa: Antígona, 2014.

MENÉNDEZ, Eduardo. Modelos de atención de los padecimietos: de exclusions teóricas y aticulaciones practices. Ciência & saúde coletiva. v. 8, n. 01, p. 185-208, 2003.

MESQUITA, Ana Cláudia Mesquita; CARVALHO, Emilia. A Escuta Terapêutica como estratégia de intervenção em saúde: uma revisão integrativa. Revista da Escola de Enfermagem USP, 2014; n. 48, v. 6, p. 1127-3.

MERSKEY, Harold; BOGDUK, Nicolai. Pain Terms – A Current List with Definitions and Notes on Usage. In: MERSKEY, Harold; BOGDUK, Nicolai (Eds.). Classification of Chronic Pain. 2. ed. International Association for the Study of Pain – IASP, Task Force on Taxonomy. Seatle: IASP Press, 1994. Disponível em: https://www.iasp-pain.org/PublicationsNews/Content.aspx?ItemNumber=1673&navItemNumber=677. Acesso em: 13 jun. 2020.

NISHIDA, Silvia Mitiko. Sentindo o mundo através da somestesia – o tato. Como funciona o corpo humano, s/ ano. Disponível em: https://www2.ibb.unesp.br/Museu_Escola/2_qualidade_vida_humana/Museu2_qualidade_corpo_sensorial_somestesia1.htm. Acesso em: 13 jun. 2020.

OLIVEIRA, Regina Márcia Rangel. A abordagem das lesões por esforços repetitivos/distúrbios osteomoleculares relacionados ao trabalho - LER/DORT no Centro de Referência em Saúde do Trabalhador do Espírito Santo - CRST/ES. Dissertação de Mestrado, Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública; 2001.

PETROVIC, Gajo. Alienação. In: BOTTOMORE, Tom (Ed.). Dicionário do pensamento marxista. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.

RANIERI, Jesus. Alienação e estranhamento – atualidade de Marx na crítica contemporânea do capital. In: Conferência Internacional Karl Marx y los desafios del siglo XXI, 3., 2006, Havana. Disponível em: http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/ar/libros/cuba/if/marx/documentos/22/Alienacao%20e%20estranhamento....pdf. Acesso em: 22 jul. 2019.

SIQUEIRA, José Tadeu. Porque a dor é uma questão também de saúde pública, Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor, 2014. Disponível em: http://www.sbed.org.br/materias.php?cd_secao=74. Acesso em: 17 jun. 2018.

SOUZA, Eduardo; LUZ, Madel Therezinha. Bases socioculturais das práticas terapêuticas alternativas. História, Ciências, Saúde, v.16, n.2, Rio de Janeiro, abr.-jun. 2009.

SOUZA, Luciano Klostermann. A influência da massagem terapêutica na imagem corporal – estudo em idosos do sexo feminino. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Fisica, Universidade do Porto, 2003.

VAPIANA, Vitória Nassar; GOMES, Rogério Miranda; ALBUQUERQUE, Guilherme Souza. Adoecimento psíquico na sociedade contemporânea: notas conceituais da teoria da determinação social do processo saúde-doença. Saúde debate. Rio de Janeiro, v. 42, n. 4, p. 175-186, dec. 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-11042018000800175&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 27 jun. 2019.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 Andreia Pagani Maranhão, Betânea Moreira Moraes

Downloads

Não há dados estatísticos.