A cidade porosa de Bruno Carvalho

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/tematicas.v29i57.13826

Palavras-chave:

Cidade porosa, História cultural, Rio de Janeiro, Cidade Nova

Resumo

Este texto é uma resenha do livro Cidade porosa: dois séculos de história cultural do Rio de Janeiro, de Bruno Carvalho, vertido ao português em 2019 pela editora Objetiva. A resenha se propõe a apresentar como o autor utiliza o conceito de “porosidade” para reconstruir a história cultural do Rio de Janeiro a partir da experiência cultural da Cidade Nova, bairro que foi devastado para a construção da Avenida Presidente Vargas na década de 1940.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mateus Sanches Duarte, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestrando pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio Janeiro.

 

Referências

ANDRADE, Oswald de. Do Pau-Brasil à antropofagia e às utopias: manifestos, teses de concursos e ensaios. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1972.

BENJAMIN, Walter. Imagens de pensamento/ Sobre o haxixe e outras drogas. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1985.

CARVALHO, Bruno. Cidade porosa: dois séculos de história cultural do Rio de Janeiro. São Paulo: Objetiva, 2019.

VENTURA, Zuenir. Cidade partida. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

Downloads

Publicado

2021-06-25

Como Citar

DUARTE, M. S. A cidade porosa de Bruno Carvalho. Tematicas, Campinas, SP, v. 29, n. 57, p. 236–243, 2021. DOI: 10.20396/tematicas.v29i57.13826. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tematicas/article/view/13826. Acesso em: 30 jun. 2022.