“O racismo no Brasil é velado”

o discurso da miscigenação e a ocultação do óbvio

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/tematicas.v29i57.13823

Palavras-chave:

Miscigenação, Discurso midiático, Discurso político, Interpretações do Brasil

Resumo

A quem serve o discurso de que o racismo no Brasil é velado ou de que o racismo inexiste neste país formado pela miscigenação? Esse discurso se faz presente na sociedade brasileira, é difundido pela mídia e por líderes políticos, e ganhou espaço em polêmicas recentes. Partindo dessa questão, o artigo propõe uma análise qualitativo-interpretativista de quatro tweets de um representante político e de falas e textos veiculados nos meios midiáticos nacionais, buscando compreender as raízes desse discurso e suas implicações na sociedade brasileira. Para isso, parto de uma revisão bibliográfica histórica sobre intérpretes do Brasil, como Sílvio Romero, Gilberto Freyre, Sérgio Buarque de Holanda, Euclides da Cunha, Antonio Candido, entre outros, que desempenharam um papel significativo na consolidação do discurso da miscigenação como elemento nuclear da identidade nacional e na popularização dessa concepção. Em diálogo com a conjuntura atual, percebem-se “revozeamentos” e rupturas nas polêmicas discursivas e interesses em torno dos discursos hegemônicos sobre raça e miscigenação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Douglas Vinícius Souza Silva, Universidade Estadual de Campinas

Doutorando em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas. 

Referências

ARIAS, Juan. O racismo do Brasil é diferente dos Estados Unidos?, El país. 2016. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2016/06/26/opinion/1466966859_490736.html. Acesso em: 04 jun. 2020.

CANDIDO, Antonio. Dialética da malandragem. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, v. 8, p. 67-89, 1970.

CANDIDO, Antonio. O significado de Raízes do Brasil (Prefácio). In: HOLANDA, Sérgio Buarque. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

CANDIDO, Antonio. Formação da Literatura Brasileira: momentos decisivos 1750-1880. Rio de Janeiro: Ouro Sobre Azul, 2012.

COUTINHO, Afrânio. Conceito de Literatura Brasileira. Petrópolis: Vozes, 1981.

CUNHA, Euclides da. Os sertões: campanha de Canudos. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1999.

EMICIDA. Agressões à imprensa e o significado da democracia / Papo Rápido / Papo de Segunda, 2020, Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=TTeBKm7DHuA. Acesso em: 04 jun. 2020.

FOLHA DE S. PAULO. Racismo Cordial, 1998. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff23089803.htm. Acesso em: 04 jun. 2020.

FREYRE, Gilberto. Casa grande & senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. Rio de Janeiro: Schmidt, 1933.

FREYRE, Gilberto. Casa Grande & Senzala. São Paulo: Global, 2006.

GILBERT, Martin. A Noite de Cristal. Rio de Janeiro: Ediouro, 2006.

GLOBO NEWS. Edição das 10h, 2020. Disponível em: http://g1.globo.com/globo-news/jornal-globo-news/videos/t/videos/v/edicao-das-10h-sexta-feira-29052020/8589667/. Acesso em: 30 mai. 2020.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

LISPECTOR, Clarice. Mineirinho, 1969. Disponível em: https://www.geledes.org.br/mineirinho-por-clarice-lispector/. Acesso em: 20 jul. 2019.

MAISONNAVE, Fabiano. Ministro da Educação, Abraham Weintraub discute com manifestantes no Pará, 2019. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/educacao/2019/07/ministro-da-educacao-abraham-weintraub-discute-com-manifestantes-no-para.shtml?fbclid=IwAR0itcPNc8Qg7s63hxgoJifHWu2L62m6Y4Fcb-reIE4J7GajcWmuFmcJfqw. Acesso em: 23 jul. 2019.

MANOEL, Jones. A economia política do extermínio: Paraisópolis e a próxima “tragédia”..., Blog Boitempo, 2020. Disponível em: https://blogdaboitempo.com.br/2020/01/13/a-economia-politica-do-exterminio-paraisopolis-e-a-proxima-tragedia/. Acesso em: 04 jun. 2020.

MELO, Alfredo César Barbosa de. Saudosismo e crítica social em Casa-Grande & Senzala: a articulação de uma política da memória e de uma utopia. Estudos Avançados (USP. Impresso), v. 23, p. 279-296, 2009.

MELO, Alfredo César Barbosa de. Antropófagos devorados e seus desencontros: da “formação” à “inserção” da literatura brasileira. Literatura e Sociedade (USP), v. 1, p. 42-54, 2016.

MENEZES, Lená Medeiros de. A volta de um Rio que faz sonhar. Rio Pesquisa, Rio de Janeiro, ano V, n. 20, p. 48-50, set. 2012.

MOITA-LOPES, Luiz Paulo da. Pesquisa interpretativistas em linguística aplicada: a linguagem como condição e solução. Revista DELTA, n. 10 (2), p. 329-338, 1994.

MUNDURUKU, Daniel. Minha vó foi pega a laço, 2020. Disponível em: https://www.geledes.org.br/minha-vo-foi-pega-a-laco/. Acesso em: 30 dez. 2020.

NASCIMENTO, Abdias do. O genocídio do negro brasileiro: processo de um racismo mascarado. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

PRADO JR. Caio. Formação do Brasil contemporâneo: colônia. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

RIBEIRO, Djamila. Racismo no Brasil: todo mundo sabe que existe, mas ninguém acha que é racista, diz Djamila Ribeiro, 2020. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-52922015. Acesso em: 11 jun. 2020.

ROMERO, Sílvio. Literatura, História e Crítica. Rio de Janeiro: Imago Ed. / Aracaju: Universidade Federal de Sergipe, 2002.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. Sobre o autoritarismo brasileiro. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

TWITTER. Tweets de Abraham Weintraub em sua página pessoal, 2020. Disponível em: https://twitter.com/AbrahamWeint. Acesso em 11 jun. 2020.

VELOSO, Lucas. Estudo exclusivo do Fórum de Segurança Pública reforçou a seletividade policial no país; 75% das vítimas são negras, 2019. Disponível em: https://almapreta.com/editorias/realidade/a-policia-brasileira-mata-tres-vezes-mais-negros-do-que-nao-negros. Acesso em: 04 jun. 2020.

WEINTRAUB, Abraham. Abraham Weintraub fala sobre povos indígenas e ciganos em reunião ministerial, 2020. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=F8s_PFBrLgI. Acesso em: 04 jun. 2020.

Downloads

Publicado

2021-06-25

Como Citar

SILVA, D. V. S. “O racismo no Brasil é velado”: o discurso da miscigenação e a ocultação do óbvio. Tematicas, Campinas, SP, v. 29, n. 57, p. 117–148, 2021. DOI: 10.20396/tematicas.v29i57.13823. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tematicas/article/view/13823. Acesso em: 27 maio. 2022.